Publicidade
comportamento

Troquei minha maquiagem de millennial por uma rotina de beleza Gen Z

Minha prima de 15 anos me ensinou a fazer contorno.

por Jessica Evans; Traduzido por Marina Schnoor
10 Setembro 2019, 10:00am

Todas as imagens cortesia da autora.

Como uma adolescente dos anos 90, cresci com rímel azul e base rosada para os lábios. Eu roubava um pouco do Touche Éclat da minha mãe para espinhas hormonais, ou usava seu rímel Max Factor 2000 Calorie Volumising de farmácia se queria me arrumar mesmo. Basta dizer que não ficava lá muito bom. Mas ninguém da minha idade ficava. Estávamos no mesmo barco de glitter corporal, batom marrom e tubos de brilho labial Lancôme Juicy.

Minha prima Gabriella de 15 anos cresceu com tutorias de beleza do YouTube na ponta dos dedos e, pro bem e pro mal, vídeos de maquiagem do Instagram de influencers aparentemente “o-b-ce-ca-das” por algum novo produto. Gabriella não é só melhor em se maquiar que eu quando era adolescente, as habilidades de maquiagem dela deixam a eu de 27 anos no chinelo. E ela não é a única. Milhares de meninas da Gen Z gastam muito mais dinheiro em marcas de maquiagem chiques como Fenty e Charlotte Tilbury do que já gastei na vida, com recomendações tiradas principalmente de influencers de beleza nas redes sociais – gente como Huda Kattan, Nikkie Tutorials, Carli Bybel e Kandee Johnson, por exemplo, têm muitos seguidores da Gen Z. O que as adolescentes aprendem no YouTube e Instagram significa que elas estão fazendo maquiagens no espelho do seu quarto do mesmo nível de um balcão de loja de departamentos. Até minha mãe de 59 anos pergunta para as sobrinhas mais novas “Me mostra como usar o bronzer?”

Sou igualmente fascinada pelas habilidades de beleza da Gen Z. Num jantar de família mês passado, estudei a maquiagem da Gabriella do outro lado da mesa, embasbacada com o iluminador perfeitamente posicionado e sombra combinando. De algum jeito, ela consegue aquele visual iluminado e natural que tentei (e não consegui) fazer acontecer nos últimos dez anos.

Makeup Gen Z VICE
A prima da autora, Gabriella, 15 anos, tira ideias de maquiagem do Instagram e youtubers.

Quando pergunto a Gabriella o que ela acha de maquiagem, ela diz: “O que mais gosto na maquiagem é como ela pode esconder suas inseguranças para te deixar mais confiante, e pode retratar diferentes emoções. Minhas inspirações de beleza são Carli Bybel, Taylor Hill e Bella Hadid. Também adoro a rotina coreana glass skin”.

A rotina glass skin coreana? Acho que se alguém perguntasse pra mim aos 15 anos quais eram meus objetivos de beleza, eu não diria “um regime de skincare de seis passos”, mas “ah, sim, quero mais glitter”. Mesmo assim, inspirada pela seriedade da Gabriella, decidi trocar minha maquiagem millennial por uma rotina de beleza Gen Z por quinze dias, colocando de lado meus medos de parecer perua demais e ter que gastar metade da manhã fazendo contorno.

Minha maquiagem normal é bem básica, consistindo de uns três produtos embotados por excesso de uso. Meu primeiro passo então foi comprar alguns produtos recomendados pela Gabriella: Prime Set Glow Revolution (um spray fixador de maquiagem), gloss labial Winnie Beau London, iluminador No7, esponjas de maquiagem, rímel Charlotte Tilbury, pó compacto Makeup Obsession, blush No7 e produtos de skincare Elemis Superfood.

Gabriella também fez o favor de me mandar um vídeo passo a passo mostrando como ela faz sua maquiagem. Sigo o truque dela de colocar corretivo e iluminador no que parece ser meu rosto inteiro: sobrancelhas, parte de cima da bochecha, parte de baixo da bochecha, testa e linha do maxilar. Parece que estou me contornando até a morte. Em seguida, sou instruída a misturar um pouco de aloe vera no iluminador No7 e aplicar como base (é tipo um primer para a pele e dá um brilho extra, explica Gabriella), aí bater o corretivo com os dedos nos lugares que quero “destacar e levantar”.

VICE Gen Z Makeup
A autora com a maquiagem inspirada na Gen Z.

Gabriella também usa uma escova de cabelo Tangue Teaser para pressionar pós de contorno na maquiagem e criar pontinhos como sardas, para um “look fofo de verão”. Essa ideia deu um tilt na minha cabeça de millennial, mas quando tento do hack criativo, fracasso miseravelmente. O resultado não é um rosto fofo com sardas, parece mais que alguém jogou um Crocs na minha cara.

Mesmo usando todos os produtos que a Gabriella recomendou, e fazer o melhor possível para imitar as técnicas de aplicação dela, o processo todo é mais difícil do que parece. Tenho dificuldade para fazer o visual aparentar que não estou usando tanta maquiagem quando estou usando muita maquiagem. Fico especialmente impressionada com como a Gabriella sabe exatamente quanto produto aplicar, e em que área do rosto precisamente. É uma forma de arte magistral – as pinceladas, as batidinhas com os dedos e o conhecimento aparentemente instintivo de onde exatamente passar o corretivo, o iluminador e o bronzer. Quando eu achava que tinha aprimorado minha maquiagem com tentativa e erro na adolescência, parece que estou começando tudo de novo.

Gen Z Millennial Makeup VICE
A autora antes e depois da makeover Gen Z.

A ex-maquiadora da MAC e especialista de beleza Jade Williams me diz que diferente dos estilos de maquiagem dos anos 90 e 2000, as tendências Gen Z incluem “uma ênfase em cuidados e acabamento de pele”, além de “consciência ecológica, toques de néon nos olhos com delineador ou sombra, e texturas cremosas brilhantes para contorno e realce”.

Williams testemunhou três décadas de tendências de beleza, e diz que todas as clientes Gen Z dela pedem o tipo de rosto que minha prima usa: sobrancelhas emplumadas, olhos de Bambi esfumaçados e nariz, bochechas e queixo contornados para parecerem menores e o mais esculpidos possível.

É um rosto que você vai ver na maioria das celebridades cujas imagens nos bombardeiam todo dia – das estrelas de TOWIE até as irmãs Kardashian. Mas sendo honesta, quando estou usando esse estilo de maquiagem, simplesmente não me sinto eu mesma. Apesar de ter recebido elogios de amigos, em vez de me destacar na multidão por usar uma maquiagem ousada e sexy, sinto que o oposto acontece – como se eu tivesse mergulhado num mar de outros peixes arco-íris. Me sinto glamourosa, mas me misturo. Gosto bastante dos meus olhos fora de moda, queixo pontudo e nariz batatinha, porque me sinto mais eu mesma quando essas coisas não estão escondidas.

Gen Z Makeup Millennials VICE

Pode chamar de rosto Love Island ou rosto de Instagram, o estilo de maquiagem favorito da Gen Z faz todo mundo parecer igual, especialmente com filtros e FaceTune por cima. Individualidade supostamente é defendida pelos influencers da internet, mas, mesmo assim, muitas vezes os visuais bonitos que vemos nas redes sociais são estranhamente similares.

Não acho um problema que a Gen Z seja expert em beleza – mas a principal coisa que tirei de experimentar o estilo de maquiagem dessa geração é a esperança de que meninas mais nova, como minha prima linda, vejam que é OK abraçar o que torna nossos rostos diferentes também.

@jesshopeevans

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.