Política

Vade retro, Satana! Um catadão dos vexames ministeriais do governo Temer

Sob acusação de golpista e zueira de satanista, Michel Temer fez um governo cheio de episódios caóticos.

por Camilla Feltrin; ilustrado por Felipe Pessanha
19 Dezembro 2018, 9:00am

Ilustração: Felipe Pessanha/VICE

Sob acusação de golpista e forte zueira de satanista, Michel Temer faz um governo cheio de episódios caóticos. Teve reunião com ator pornô no Ministério da Educação, jantar satânico para fingir que tudo estava bem e acusações de que Roger Waters teria recebido dinheiro do Partido dos Trabalhadores para falar qualquer coisa que fosse.

Bem aceito pelo mErCaDo, Temer termina o mandato sem conseguir fazer a economia deslanchar e com reprovação de 85% dos brasileiros. Mesmo assim, ao menos seis ministros e ex-ministros da atual gestão já sabem o que vão fazer no próximo ano: trabalhar com João Doria, governador eleito de São Paulo e reverenciado por uma parcela de liberais na economia e conservadores (pero no mucho) nos costumes.

Listamos alguns eventos que sacudiram o noticiário nos últimos dois anos e esperamos não ficar com saudades, taoquei?

Jucá e o pacto para “estancar a sangria”

Que “Ordem e Progresso” que nada. O slogan do governo Temer é “com o Supremo, com tudo”, frase dita pelo senador Romero Jucá, (MDB-RR) que ocupou o Ministério do Planejamento no primeiro ano de nova gestão, em conversa gravada com Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro. Em áudio divulgado às vias do impeachment, ele sugeriu "mudança" no governo federal para “estancar a sangria” das delações da Operação Lava Jato.

Situação: Preferimos evitar o trecho do áudio em que Machado fala em um “governo de união nacional” com um “grande acordo, protege o Lula, protege todo mundo”.

Frota e o ministro da Educação

Agora defensor da moral e bons costumes, Alexandre Frota se reuniu com Mendonça Filho, então ministro da Educação, e os Revoltados On Line para debater o que chama de “doutrinação nas escolas” e propagandear o projeto Escola Sem Partido. Pegou mal, afinal, Frota tem em seu currículo filmes como Na Teia do Sexo ("A loirinha Graziella Gucci contrata o bad boy Alexandre Frota para assassinar seu marido e o preço é pago com buceta!") e 00Frota - O Homem da Pistola de Ouro, 2009 ("Cenas alucinantes de muita ação e, claro, muita sacanagem!") e, o ministro teve que se explicar. “Não discrimino ninguém porque respeito a liberdade de cada pessoa fazer suas escolhas de vida”, alegou em nota.

Situação: Frota foi um eleito deputado federal por São Paulo com 155.522 votos.

Serra abençoando pastores

O reverendo R. R. Soares e sua esposa, líderes da Igreja Internacional da Graça de Deus, foram abençoados com passaportes diplomáticos. Os presentes vieram das mãos do ex-ministro das Relações Exteriores José Serra, que também autorizou o benesse para outros líderes da Assembleia de Deus.

Situação: Os passaportes especiais foram anulados. Antes, no entanto, a concessão do benefício aos religiosos já havia sido suspensa sob argumentação de que havia uma “confusão entre Estado e religião incabível.”

Homem não vai no médico porque não quer

Uma pesquisa feita pelo SUS (Sistema Único de Saúde) ouviu 6.141 homens e constatou que 31% deles não têm o hábito de ir às unidades de saúde, o que é um grande problema na hora de diagnosticar e tratar doenças. Durante apresentação do dado, o então ministro Ricardo Barros "explicou" o motivo: "homens trabalham mais, são provedores da maioria das famílias e não acham tempo para se dedicar à saúde preventiva."

Situação: Foi repreendido pela filha, a deputada estadual do Paraná Maria Victória Borghetti Barros (PP), e desmentido por pesquisas que mostram que as mulheres trabalham cinco horas semanais a mais que os homens.

Temer faixa torta

Meses após assumir a presidência no lugar da impichada Dilma Rousseff, Temer continuava com vergonha de sair usando a faixa presidencial. Sem problemas: foi só colocar a faixa no Photoshop. Com problemas: ficou patético.

Situação: Passamos a conhecer um pouco mais o publicitário Elsinho Mouco que teve coragem de afirmar o seguinte para Mônica Bergamo, na Folha: "A foto foi tirada por um craque e ficou bonita”.

Roberto Freire vs. Raduan Nassar

Durante a cerimônia em que era homenageado pelo Prêmio Camões, em Portugal, Raduan Nassar leu uma carta que classificava Temer e laia de "governo repressor contra o trabalhador", "contra universidades federais e ensino gratuito", "atrelado ao neoliberalismo com sua escandalosa concentração de riqueza" e outros elogios do tipo. Foi ovacionado pelo público presente, menos por Roberto Freire, responsável à época pelo Ministério da Cultura e que tentou defender a seus camaradas. "É fácil fazer manifestações em um governo democrático, como o atual", disse antes de ouvir um "cala a boca" da plateia e sair vaiado.

Situação: Malditos golpistas filhos da puta!

Jantar satânico

Se os livros de História tiverem que escolher apenas uma foto para ilustrar o governo Temer, a tirada pelo fotógrafo Sérgio Lima em que o presidente parece estar em um ritual satânico tem que ser a escolhida. A imagem foi registrada em uma churrascaria de Brasília na ocasião em que o governo tentava fingir que estava tudo bem após estourar a Operação Carne Fraca, aquela que mostrou que comemos carne podre que nos é liberada graças às propinas pagas pelas gigantes JBS e Friboi às autoridades.

Situação: Tenebrosa.

Blairo Maggi saúda a portaria que dificulta a pena para trabalho escravo

O Estadão resumiu a história muito bem. Reproduzimos:

"O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, divulgou hoje nota de apoio à Portaria 1.129/2017 do Ministério do Trabalho, que dificulta a punição de empresas que submetem trabalhadores a condições degradantes e análogas à escravidão. Maggi disse, na nota, que a portaria 'vem organizar um pouco a falta de critério nas fiscalizações'. E complementou: 'Ninguém quer ou deve ser favorável ao trabalho escravo, mas ser penalizado por questões ideológicas ou porque o fiscal está de mau humor não é justo. Parabéns presidente Michel Temer. Parabéns ao ministro (do Trabalho) Ronaldo Nogueira'."

Situação: Esquecemos.

Luislinda Valois, o salário de dois dígitos e a comparação com a escravidão

O governo Michel Temer foi o primeiro desde o general Ernesto Geisel (1974-1975) a não ter uma única mulher como ministra. Pegou mal. Então, ele disse que ia incluir uns nomes no segundo escalão. Pegou mais mal ainda e Grace Mendonça foi nomeada na AGU (Advocacia-Geral da União). Na sequência, Luislinda Valois (PSDB-BA) foi chamada para o Ministério dos Direitos Humanos. A política, porém, caiu após pedir para acumular seu salário de desembargadora aposentada com a remuneração da pasta alegando “trabalho análogo à escravidão”. O valor almejado por ela era de R$ 61,4 mil, muito mais que o teto permitido de R$ 33,7 mil à época. Valois queria receber mais de R$ 300 mil de forma retroativa durante os meses em que foi ministra.

Situação: Sofrendo em casa com salário de desembargadora aposentada.

Cristiane Brasil te despreza, trabalhador

Filha do delator do Mensalão, a deputada Cristiane Brasil (PTB-RJ), enfrentou uma luta para conseguir ser nomeada ministra do Trabalho — cargo o qual jamais ocupou. A política sofreu críticas por ser processada na Justiça trabalhista, o que é uma grande ironia para o cargo que foi indicada. Para responder ao críticos, achou de bom tom aparecer ao lado de quatro homens fortes e sem camisa em um barco: "Eu juro para vocês eu achava que eu não tinha nada para dever para essas duas pessoas".

Situação: Sendo investigada por comandar um esquema de concessões fraudulentas no Ministério do Trabalho e impedida de ver o próprio pai, também investigado.

Ministro do Turismo classifica machismo como brincadeira

Durante a Copa do Mundo na Rússia, um grupo de homens cerca uma jornalista russa e manda ela falar a cor do órgão sexual em português. Sem entender, ela reproduz as palavras para o delírio masculino. Alguns deles perderam os empregos porque esse tipo de brincadeira não é considerado engraçado, mas sim machista e desrespeitoso. O ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, então dá uma entrevista coletiva em Moscou e fala que os brasileiros andam intolerantes com as falhas humanas e que o caso não foi tão grave, já que não “morreu ninguém”.

Situação: Brasil eliminado.

PT comprou Roger Waters

Na histeria das eleições, Sérgio Sá Leitão, ministro da cultura, afirmou que as críticas de Roger Waters a Jair Messias Bolsonaro era coisa de gente comprada.Disse com todas as letras que o músico britânico ganhou R$ 90 milhões via Lei Rouanet para chamar o capitão da reserva de porco. Algumas pessoas caíram na gargalhada, outras levaram a sério.

Status: O Ministério da Cultura afirmou por meio de nota que Roger Waters não foi contemplado através da lei de incentivo, o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) começou e tão logo encerrou uma investigação após denúncia de Bolsonaro e equipe e Leitão já tem emprego garantido em 2019: será secretário da Cultura no governo de João Doria a partir de janeiro.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.