Noisey

Resenhando todas as músicas brasileiras para a Copa do Mundo 2018

Nacionalismo por si só é meio caído, mas torcer pro Brasil com música estrangeira eu sou total contra. Ouvi todos os sons com tema Copa para ver se tem algum que realmente ajude a gente esquecer o 7 x 1.

por Rica Pancita do Twitter
14 Junho 2018, 10:00am

Imagem via Sintonia Musikal.

Chegou o momento. Sempre dois anos após a Olimpíadas surge uma nova edição da competição esportiva que realmente importa para a população da República Federativa do Brasil. A Copa do Mundo de futebol (masculino) faz com que parte da população gaste um salário mínimo em figurinha, dois salários mínimos em um aparelho de TV novo, e sei lá quanto de dinheiro que morre em cerveja, comida e bolão de aposta de boteco ao longo do próximo mês.

Se em tempos outrora esse momento era acompanhado de uma música oficial, como “Pra Frente Brasil” e “Voa Canarinho”, hoje essa vaga é disputada a tapa pelo mercado publicitário e fonográfico pra ver quem consegue fazer o hino ufanista do ano, e torcer pra que, no fim das contas, a população não prefira ouvir de novo “Fé Brasileira” do Chiclete com Banana.

Ouvi os principais lançamentos em que não ficou óbvio que a música tenha sido encomendada por uma instituição financeira ou por cervejaria. Se deixei escapar alguma é porque o trabalho em tentar parecer viral foi muito bem feito.

Fora isso fico na torcida de que alguma dessas músicas sirva pra te trazer o ânimo necessário de acompanhar 90 minutos de um jogo que nem sempre é emocionante. Nacionalismo per se é meio caído, mas torcer pro Brasil metendo música estrangeira eu também sou total contra.

É Brasil, carai. Bora pra lista:

Felipe Neto - “Família Canarinho”

O novo ídolo da pimpolhada brasileira me surge com esse popzinho de melodia infantil (pois é música infantil), com bateria de samba e cavaquinho na metade final. Pelo menos foi o único a citar os convocados, sendo assim, provavelmente, a primeira música da história do Brasil a citar o nome de Geromel. De resto, considerando o contexto do negócio, não vejo tanto problema assim (mas é chata). Poderia talvez ter pensado num refrão mais fácil de memorizar ou algo assim.

Neguinho da Beija-Flor - “Eu Quero Essa Copa”

Começamos com esse partido alto do Neguinho da Beija-Flor que tenta agradar quem tá animado com a Copa e quem fala “queria ver essa galera animada CONTRA A CORRUPÇÃO”. Com umas frases muito de efeito como "É tão bonito a galera gritando gol / A criançada estudando e sendo feliz / E ver meu povo com saúde no país" sendo precedido por um “quero ver goleada contra a corrupção”, Neguinho, outrora intérprete de “O Campeão”, dessa vez pretende deixar o povo brasileiro um pouco mais triste, tal qual a tríade de sambas-enredo pró-governo militar que a Beija-Flor fez no início dos 70 (aquelas merda lá).

Anavitória & Atitude 67 - “Agora é Hexa”

Pop de violãozinho com uns batuque que eu até poderia dizer que é 100% brasileiro, mas na verdade é um batuque muito genérico de música pop de violãozinho. Se não fosse a parte do rap seria uma boa música pra forçar as crianças a cantar na apresentação da escola. Vai torcer pra gente ganhar. Que bom.

MC WM & Leo Santana - “Copa do Bumbum”

Nota-se que a melhor saída pra tentar fazer um “hit da copa” é falar o mínimo possível de fut, fazer um clipe com uniforme da seleção pra lembrar as pessoas que é um “hit de copa”, e ver se as pessoas compram. Aí que é uma música de Copa, mas na verdade não é, mas na verdade é sim porque depois da Copa eles vão ter que alterar a letra se quiser continuar tocando-a. É ok, pagode baiano com batida pop, e beleza. Tem jogo a tarde que a gente vai tar bebado mesmo, então toca qualquer coisa. Pros jogos às 9h da manhã não sei se dá certo não.

Rincon Sapiência - “Resenha de Futebol”

Essa música tem uma base muito boa. Tem uma hora bossinha, tem outra hora que dá uns batuquinho. Poderia ser até o “Uma Partida de Futebol” do raps, só que aí tem o problema que é muito mais difícil pra grande massa decorar um raps. Talvez algum programa de rádio sobre fut adote, vai saber.

MC Loma & As Gêmeas Lacração - “Disputa do Bumbum”

Pode ser o hino oficial de quem nem curte muito futebol mas curte que com muita sorte podemos ter 8 dias de reunir a galera pro churrasco. Não vejo nada de errado com isso, inclusive acho que no mínimo 60% da população brasileira tá nessa onda aí. Fui ver o clipe e tem uma cena com bandeiras de vários países e uma hora dão um close na bandeira norte-americana. Ou seja, ninguém tá nem aí com nada na verdade. A gente finge que tá todo mundo ligadaço pra não perder a chance de ser liberado do trabalho às 14h. A música é o esquema lá da MC Loma que eu tenho minhas questões que eu já falei antes, mas a galera gosta e o que importa é a galera. Eu quero é ser dispensado às 14h.

Cacife Clandestino - “Neymar”

Neymar saiu do Brasil fazendo propaganda de refri com Thiaguinho do Exalta, além de ter feito “Eu Quero Tchu Eu Quero Tcha” ser conhecido ao redor do globo. E foi ouro olímpico. E ganhou um trap. Os cara tão lá no ônibus com pandeiro e tantã e o cara ganhou um trap, “galera olha só o que eu ganhei, um trap”. Pelo amor. Graças a Deus desde que a música foi lançada até a data de hoje, Neymar parece não ter sido afetado pelo som do trap, que provavelmente deixaria ele com a famosa setinha pra baixo do Winning Eleven.

Timbalada - “Sou Brasileiro Sou”

Se ainda há um resquício de dúvida em qualquer leitor desse texto, então chegou a hora de deixar a coisa clara: Carlinhos Brown se tornou o maior compositor de “música brasileira pra gringo” de todos os tempos. Chegou o navio cruzeiro, encostou no porto, desceu vários gringo da rampa sedentos por CULTURA BRASILEIRA? Carlinhos Brown & Timbalada. Depois passa o merecido chapéu. É o som que a gente olha e fica meio sem saber o que que tá acontecendo, mas pra gringo isso aqui é mais Brasil que o Pelé. Que que eu acho? Eu num acho é nada.

Luiz Ayrão - “Chegou a Hora, Brasil!”

Do mesmo cantor de “Meu Canarinho”, música sucesso da Copa 82, chega mais uma música que também não vai dar sorte nenhuma pra seleção. Luiz Ayrão decidiu que ia misturar copa com reclamação sobre política que, se JÁ não foi pensado pra ser jingle de campanha de algum candidato a governador muito picaretaço, ela com certeza será comprada pela equipe de algum candidato a governador muito picaretaço para usar como jingle de campanha. Umas frases tipo “vote bem, não vote errado não”, “o povo quer ser campeão também na saúde, na educação”, “DEZ PRA NÓS, ZERO PARA O LADRÃO” (essa frase especificamente não tem nada a ver com nada. É dez gols? Ou nota dez? Que que tem a ver nota dez com jogo de fut?) que meu Deus do céu nos proteja dessa gente nos grupos de zapzap.

Alexandre Pires - “Eu Vim Pra Fazer Diferença”

Um pagode muito “vamo lá galera, levanta aí de cabeça erguida, os exaltados serão humilhados”. Ouvir esse pagode só me faz pensar que a gente virou o primeiro tempo perdendo de cinco já. Mano, “se Deus é por nós” então nós e Deus vimos a seleção tomar cinco só no primeiro tempo. Num joga esses papo não que eu fico triste.

MC Kevinho - “PaPum”

A grande promessa de “hit da Copa” (trívia: a grande promessa de “hit da Copa” nunca foi o “hit da Copa” até hoje) não tem nada a ver com Copa. A gente sabe que tem porque tem som de apito e Gabriel Jesus no clipe, mas não tem nada a ver com Copa. É uma música boa que, talvez, estejamos de saco cheio dela até o final de junho. A ver. Por enquanto, boa.

Aviões & Wesley Safadão - “Eu e a Torcida do Brasil”

Arrocha sofrência. Tudo certo. Menção à torcida do Brasil mas em outro contexto porque vai que dá bosta. Se der bosta e tomar cinco no primeiro tempo, essa música é apenas sobre sofrência. Foi bem pensada pra entrar nas coletâneas da Copa e ter sobrevida após julho.

MC Troia - “Som da Copa”

Gostei que o cara tem vocal bom pra reggueira e meteu um batidão bregafunk muito bom. E grita “ai carai”. Essa aí pode tocar sim no pré-jogo que eu vou gostar 👍🏽👍🏽👍🏽👍🏽.

Jerry Smith - “Kikadinha”

Jerry Smith de Vasconcelos Suplicy também achou por bem usar o mínimo possível de referências ao jogo de futebol pra justificar uma música nova a essa altura do campeonato com clipe vestindo camisa da seleção. É uma música boa, porém abaixo da média do cancioneiro do Jerry Smith. Batida maneirinha, trompetinho tá legal também, enfim é aceitável.

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.