Publicidade
Noticias

Fascistas Ingleses Tomaram uma Surra em Dover no Domingo

O grupo de extrema-direita Support the Calais Truckers tentou pela segunda vez bloquear o porto de Dover no domingo, mas passou a maior parte do dia sendo atacado por antifascistas, enquanto a polícia tentava ficar no meio dos dois lados.

por Ben Jackson, Fotos: Jack Pasco
29 Janeiro 2015, 11:00am

O grupo de extrema-direita Support the Calais Truckers (Apoie os Caminhoneiros de Calais – SCT) tentou pela segunda vez bloquear o porto de Dover no domingo, mas passou a maior parte do dia sendo atacado por antifascistas, enquanto a polícia tentava ficar no meio dos dois lados.

O SCT supostamente existe para protestar contra a lei que diz que caminhoneiros podem ser multados se um imigrante ilegal se esconder na sua caçamba para entrar no Reino Unido. Mas, na realidade, o grupo serve como plataforma para idiotas de extrema-direita, neonazistas e fascistas. Antes do protesto do final de semana passado, eles disseram que estavam esperando "mais apoio" do que tinham conseguido na última manifestação. Em vez disso, ainda menos gente apareceu. Eles conseguiram parar metade da estrada por cerca de meia hora.

Em outubro, o grupo tentou bloquear a A20, uma estrada que leva até as docas e Calais, emputecendo os mesmos caminhoneiros cujos direitos eles alegam defender. No domingo, foi mais ou menos a mesma coisa, só que Nick Griffin não apareceu para fazer um discurso bizarro comparando os manifestantes aos celtas que defenderam a ilha dos romanos.

Chegando ao Castle Pub, onde a extrema-direita se reuniu, ficou claro que as coisas não iam ser fáceis para eles. Tudo que eu consegui ver logo de cara foi a polícia e os antifascistas. Eram tantas vans policiais que uma moradora local afirmou que achava que aquilo era uma convenção da polícia. Em certo momento, alguns dos fascistas se refugiaram no telhado do pub, estando em menor número que os antifascistas.

Um cara mais velho chamado Mike, parado na porta do pub, ficou feliz em me falar por que estava ali. Ele contou que era organizador do National Front (Frente Nacional), uma organização de extrema-direita que só aceita brancos. "Há um grande fluxo de pessoas invadindo o país", ele me disse. "Eles têm muitas palavras para essas pessoas: requerentes de asilo, imigrantes, muçulmanos. Mas eles são é invasores." Ele tinha uma voz macia, mas falava como Rudolph Hess.

Depois de um tempo, os colegas do Mike saíram do pub e se posicionaram na rua. Houve um longo impasse entre os fascistas e os antifascistas que ficava sinistramente silencioso às vezes, quando as pessoas não estavam trocando insultos. A polícia permaneceu entre os dois grupos. "Belo exemplo de raça superior vocês são. Não temos nada a temer se vocês estão nos defendendo", gritou um antifascista por cima da fileira de policiais.

A competição de xingamentos acabou quando dois caras de lados opostos começaram a avançar um para cima do outro e a polícia entrou no meio.

Eu não estava com sorte com os antifascistas, que não queriam falar com jornalistas, mas aí encontrei "D", um cara de óculos escuros que explicou que a manifestação deles era simplesmente uma reação à manifestação dos fascistas. "Se eles não estivessem aqui, também não estaríamos", ele explicou. "Você pode enfrentar o fascismo com uma caneta. Há muita gente fazendo isso online. Mas precisamos de gente fazendo isso aqui e agora, com uma espada."

A solução, frisou D, seria acabar completamente com as fronteiras. "Movimento livre dentro da Europa", ele acrescentou. "Os britânicos parecem poder ir a qualquer lugar do mundo, porque são brancos."

Houve outro impasse assim que a marcha começou, com os antifascistas dando os braços para bloqueá-la. Depois, veio uma troca de pedradas. O resultado foi que um lado da A20 ficou bloqueado – o lado que leva para fora do país, provavelmente o sentido que o SCT queria que os imigrantes tomassem.

Aí os dois lados entraram numa briga, com moradores locais observando confusos sob suas capas de chuva. Um fascista foi nocauteado e os antifascistas começaram a chutá-lo até seus colegas o levantarem. E a polícia se intrometeu.

A perseguição continuou até as docas. Carros e caminhões que entravam eram recebidos pelo que parecia ser um clube amador de parkour realmente violento, com as pessoas saltando as barreiras de trânsito.

Os antifascistas tentaram chegar até os fascistas através desse terreno gramado no meio da estrada, com a polícia atrás.

A polícia conseguiu segurá-los, o que permitiu que os fascistas continuassem sua marcha.

Depois, eles posaram para esta foto com suas bandeiras numa rotatória.

Mais tarde, os antifascistas posaram para sua própria foto. Não é sempre que você vê antifascistas posando com uma faixa fascista, mas eles conseguiram roubar uma de uma facção da Liga de Defesa Inglesa, a South East Alliance, que estava participando, além de algumas buzinas de ar. A extrema-direita ama muito suas bandeiras; então, capturar uma é uma bela conquista e um ótimo jeito de encerrar um dia escroto para os fascistas ingleses.

@bjacksonuk / jackpasco