Helipa LGBT+ é o rolê chave das manas da quebrada

O fotógrafo Yuri Mira tirou umas fotos do rolê que tem o intuito de democratizar os fluxos para os LGBTs e descentralizar as baladas gays.

por Equipe THUMP; fotos por Yuri Mira
|
mar 29 2018, 11:00am

Cansados de fluxos com o público majoritariamente hétero e cis, o paulistano Matheus Belle e amigos resolveram comemorar o aniversário de um deles com seu próprio baile na garagem de uma casa em Itaquera, zona leste de São Paulo. A notícia da house party se espalhou pelo Facebook e, quando os organizadores se deram conta, a casa lotou com mais de 600 pessoas. Foi o bastante pra que eles decidissem levar o rolê pra rua, e assim fundar o Helipa LGBT+.

Com uma primeira edição (oficial) que atraiu dois mil interessados no Facebook, o evento criado por Matheus e endossado Higor Polastro, Leonardo Pereira e Kevin Michael pretende democratizar os fluxos para o público LGBT+ e, ao mesmo tempo, descentralizar as baladas gays de São Paulo. “As manas não precisam ir para o centro. Temos que ocupar sim a zona leste, a oeste e a norte, todas as regiões de São Paulo. Temos que ter sim nosso baile gay, não apenas bailes héteros”, fala Matheus. O nome, eles pegaram em referência ao maior baile funk de São Paulo, o Baile do Helipa, que rola no Heliópolis (zona sul).

Crédito: Yuri Mira/VICE

O Helipa LGBT+ 1.0 aconteceu ainda em Itaquera, a segunda edição já rolou em um sítio em São Mateus, também na Zona Leste da cidade, divisa com Santo André, e foi o comprovante do sucesso do evento: com mais de 800 participantes, a rave, que rolou em duas pistas – uma de funk, brega-funk e pop; uma de tribal house e outros bate-cabelos – e uma piscina, durou até às 13h do dia seguinte. Às vésperas de sua terceira edição, que rola neste sábado (31), a festa já conta com 23 datas fechadas e, para Matheus, esse é só o começo: “Meu foco não é dinheiro, é o combate LGBT+ em São Paulo. [A quebrada] tem o seu espaço – existem vários bailes espalhados pela cidade – mas o nosso é o único com foco na cultura LGBT+. As manas tem que ter o seu espaço no funk.”

O fotógrafo Yuri Mira foi convidado por Matheus a curtir a segunda edição e tirou umas fotos, que você vê abaixo. Nas palavras do mesmo, o Helipa LGBT+ é “uma mistura da estética LGBT+ com o que a gente vê nos clipes do Kondzilla”: sobrancelhas arqueadas, Oakley, Lacoste, polos Ralph Lauren, perucas, meia arrastão, blusinhas curtas e muito make. Veja as fotos abaixo e acompanhe a página do Helipa LGBT+ no Facebook pra saber dos próximos rolês.

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Crédito: Yuri Mira/VICE

Leia mais no THUMP, o canal de música eletrônica da VICE.
Siga o THUMP no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.

Mais VICE
Canais VICE