Publicidade
Music by VICE

O Testemolde deu um tempo com as suas próprias fórmulas

Avesso à repetição de riffs e sob a influência de bandas como Unsane, Helmet e Melvins, o trio paulistano segue as raízes do rock barulhento dos anos 1990 e lança pela Sinewave o EP instrumental ‘Pausa’.

por Eduardo Ribeiro
17 Fevereiro 2017, 12:00pm

Pausa, o nome do novo EP da banda de rock instrumental Testemolde, traduz um pouco da fase vivida pela banda no momento. A obra assume o título dado à imagem da capa, de autoria do guitarrista Azeite, que é artista plástico e partiu para estudar numa temporada de seis meses fora do país. Mas, se levarmos em conta somente os aspectos musicais e viajarmos de leve na maionese, dá para fazer outra analogia.

Em contraponto ao antecessor Hidroxila (2015), o lançamento da Sinewave representa um breque na fórmula que o trio vinha apresentando desde 2008, quando começou como um quarteto com voz. Azeite de Leos, David Menezes Davox (baixo) e Guilherme Garcia (bateria) continuam a passear entre a agressividade do hardcore e o grunge metalizado. Dessa vez, no entanto, nenhum riff se repete nas faixas — "Somália" e "Helena" —, o baixo vira carro-chefe, e as bases estão mais carregadas, pesadas e lentas.

O investimento da banda na criação dos riffs já vem progredindo, desde 2012, a cada novo trabalho, como efeito ao mesmo tempo de uma liberdade e de uma lacuna deixadas pela saída do vocal. "Na transição, o David largou a segunda guitarra e assumiu o baixo", explicam os músicos por escrito. "Somos o que somos porque acabamos começando a compor músicas que não necessitassem de voz, e, cada vez mais, a trabalhar em riffs elaborados a fim de suprir essa ausência de um vocalista."

Ouça Pausa na íntegra no player abaixo ou baixe o disco lá no site da Sinewave.