Publicidade
Notícias

Boletim Matutino da VICE - 22/10/2018

Tudo o que você precisa saber sobre o mundo esta manhã com curadoria da VICE.

22 Outubro 2018, 11:00am

Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Eleições

Justiça Eleitoral instaura ações ligadas à campanha de Bolsonaro

O corregedor-geral da Justiça Eleitoral, ministro Jorge Mussi, decidiu neste domingo (21) instaurar mais duas Ações de Investigação Judicial Eleitoral (Aijes) contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) e seu candidato a vice, Hamilton Mourão. As ações foram propostas pela Coligação Brasil Soberano (PDT/Avante) e pelo PDT com base em reportagem do jornal Folha de S. Paulo que apontou que Bolsonaro estaria se beneficiando da ação de empresas de disparo de mensagens em massa via WhatsApp contratadas por empresários que o apoiam. Questionado sobre o assunto, ele respondeu à época da denúncia não ter "nada a ver com isso". Na decisão deste domingo o corregedor determinou a notificação de Bolsonaro e das empresas para apresentarem defesa em cinco dias, a exemplo do que já tinha sido decidido na última sexta-feira (19). – UOL

Brasil

Celso de Mello chama fala de Eduardo Bolsonaro sobre fechar o STF de ‘golpista’

O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), classificou a afirmação do deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), de que bastam um soldado e um cabo para fechar a Corte, de “inconsequente o golpista”. Disse ainda que o fato de Bolsonaro ter tido uma votação expressiva nas eleições —ele recebeu quase 2 milhões de votos— não legitima “investidas contra a ordem político-jurídica”. Na declaração, publicada na íntegra pela Folha de S. Paulo, Mello ainda afirma que a declaração “mostra bem o tipo (irresponsável) de parlamentar cuja atuação no Congresso Nacional, mantida essa inaceitável visão autoritária, só comprometerá a integridade da ordem democrática”. – Folha de S. Paulo

Troca de tiros entre policiais de SP e MG deixa um morto em Juiz de Fora

Um policial civil morreu e outros dois ficaram feridos após uma troca de tiros na tarde desta sexta-feira (19) em um prédio anexo do Hospital Monte Sinai, no Bairro Dom Bosco, em Juiz de Fora. De acordo com as informações preliminares da Polícia Militar, uma confusão começou no estacionamento do local por volta das 16h. Os envolvidos, a princípio, são sete policiais civis do estado de São Paulo, que escoltavam um detento em tratamento na unidade. Na manhã de sábado (20), a Polícia Civil de Juiz de Fora informou que foram apreendidos cerca de R$ 15 milhões nos carros do grupo de São Paulo. A princípio, a maioria das notas seria falsificada. Os policiais paulistas tiveram prisão preventiva decretada neste domingo (21). – G1

Prefeitura não paga conta de água e luz, e muro verde de Doria definha em SP

O muro verde inventado e inaugurado em 2017 pelo então prefeito João Doria (PSDB) na avenida 23 de maio, em São Paulo, passou meses sem receber irrigação porque a prefeitura não pagou contas de água e luz referentes ao abastecimento. A falha de gestão contribuiu para a deterioração das plantas, hoje secas. O jardim vertical foi instalado por uma empresa privada, a Movimento 90º, que aceitou mantê-lo por meio de uma doação ao município, algo incentivado por Doria nos 15 meses que passou na prefeitura antes de abandonar o cargo para disputar a eleição ao governo do estado. – Folha de S. Paulo

Mundo

Trump diz que EUA vão abandonar tratado nuclear com a Rússia

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que Washington vai sair de um tratado da época da Guerra Fria que eliminou uma classe de armas nucleares, alegando violações da Rússia. A medida disparou um alerta de Moscou sobre adoção de medidas retaliatórias. O Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF), negociado pelo então presidente dos Estados Unidos Ronald Regan e pelo líder soviético Mikhail Gorbachev em 1987, estabeleceu a eliminação de mísseis nucleares e convencionais de alcances curto e intermediário por ambos os países. "A Rússia não honrou, infelizmente, o acordo então nós vamos encerrá-lo e sair dele", disse Trump a jornalistas. – G1

Arábia Saudita oferece condolências a filho do jornalista assassinado Jamal Kashoggi

Após admitir na sexta-feira (19) que o jornalista Jamal Kashoggi foi morto em uma “briga” na embaixada do país na Turquia – mas sem dar detalhes da ação – o príncipe regente da Arábia Saudita Mohammed bin Salman ligou para o filho do jornalista para oferecer condolências nesta segunda-feira(22). Segundo a Turquia, o jornalista do Washington Post teria sido assassinado e esquartejado no dia 2 de outubro por uma equipe de 15 agentes sauditas. O governo saudita afirma ter prendido 18 pessoas em conexão com a morte, numa tentativa de tirar a responsabilidade de Salman da reta das investigações. – The Guardian

Governo Trump quer excluir existência de pessoas transgênero da lei federal

O governo do presidente americano Donald Trump está estudando definir gênero como uma condição biológica e imutável determinada pela genitália no momento do nascimento, na decisão mais drástica até agora no esforço da administração para reduzir as proteções a pessoas transgênero pela lei de direitos civis federal. Uma série de decisões pelo governo do democrata Barack Obama havia alargado a definição de gênero em programas federais, incluindo na educação e na saúde, reconhecendo o gênero como algo de escolha do indivíduo e não algo determinado pelo sexo com que a pessoa havia nascido. Agora, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos está à frente de um esforço para estabelecer uma definição legal de sexo sob o Título 9, a lei federal de direitos civis que bane discriminação baseada em gênero em programas educacionais que recebem dinheiro federal, de acordo com um memorando obtido pelo The New York Times. – Folha de S. Paulo