Publicidade
Viagem

A ilha de Komodo será fechada porque estão roubando dragões

Turistas serão proibidos de visitar a ilha da Indonésia a partir de janeiro de 2020.

por Gavin Butler; Traduzido por Marina Schnoor
15 Abril 2019, 1:48pm

Imagem via Shutterstock.

O governo indonésio anunciou que vai fechar a ilha de Komodo para turistas ano que vem para evitar que as pessoas roubem dragões. Numa reunião com o Ministério de Meio Ambiente semana passada, o porta-voz da administração da província de Sonda Oriental, Marius Jelamud, declarou que “a ilha Komodo será fechada temporariamente em janeiro de 2020”, segundo o Tempo. O fechamento deve durar pelo menos 12 meses.

A decisão veio depois que a Polícia de Java Oriental desmantelou um cartel de tráfico em posse de 41 dragões-de-komodo, que estava tentando vender no mercado negro internacional por 500 milhões de rúpias [quase R$130 mil] cada. O comandante sênior Akhmad Yusep Gunawan, chefe da unidade de crimes especiais da Polícia de Java Oriental, disse que cinco filhotes de dragões-de-komodo também foram resgatados do grupo de supostos traficantes de animais. “Os criminosos planejavam enviar os animais para três países do Sudeste Asiático através de Singapura”, Yusep disse aos repórteres semana passada, segundo o The Jakarta Post.

As autoridades indonésias também prenderam cinco contrabandistas em Java por suposto tráfico de dragões-de-komodo, além de ursos-gatos-asiáticos, cacatuas e casuares. “Os suspeitos vendiam os dragões na internet através do Facebook”, disse o porta-voz da Polícia de Java Oriental, Frans Barung Mangera, numa declaração. O comissário de polícia Rofiq Ripto Himawan disse ao Channel News Asia que os animais geralmente são contrabandeados para compradores asiáticos. “Esses animais são vendidos para medicina tradicional”, disse Rofiq. “Dragões-de-komodo podem ser usados para fazer antibióticos.”

Considerado o maior lagarto do mundo, o dragão-de-komodo é uma das espécies mais ameaçadas do planeta. O Parque Nacional Komodo da UNESCO, em Sonda Oriental, é o único lugar onde os répteis podem ser vistos em seu habitat – e apesar de o parque continuar aberto para visitantes até 2020, as autoridades estão fechando os portões de Komodo na esperança de lançar um programa de conservação e aumentar a população local de dragões. A UNESCO diz que atualmente são cerca de 5.700 dragões-de-komodo espalhados pelo parque.

Matéria originalmente publicada pela VICE Austrália.

Siga o Gavin no Twitter e Instagram.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tagged:
indonesia
viagem
tráfico de animais
Komodo
dragão de komodo