Publicidade
Notícias

Milo Yiannopoulos foi longe demais

Caiu na internet um vídeo em que o jornalista inglês, militante da extrema-direita, aparece tratando a pedofilia como algo aceitável.

por David Gilbert
21 Fevereiro 2017, 5:24pm

Foto: ASSOCIATED PRESS

Esta matéria foi originalmente publicada na VICE News.

Milo Yiannopoulos foi desconvidado para dar uma palestra numa reunião conservadora de prestígio, seu contrato para um livro foi cancelado, e agora ele pode ser demitido do site Breitbart News, depois que emergiram na internet comentários em ele sugere que aceita pedofilia.

Ao dizer que consensual é uma "ideia opressiva e arbitrária", o editor sênior do Breitbart Yiannopoulos parecia passar um pano para abuso infantil no vídeo, dizendo: "Nos agarramos a essa coisa de abuso infantil, ao ponto de policiarmos pesadamente toda relação entre adultos responsáveis". Ele continuou dizendo que relacionamentos "entre garotos e homens mais velhos... podem ser experiências incrivelmente positivas".

Leia também: "Tentei deixar Milo Yiannopoulos me convencer a ser uma simpatizante gay de Donald Trump"

O autointitulado "supervilão mais famoso da internet" negou as acusações, alegando que os vídeos foram editados para deturpar seus comentários. "Quero reafirmar minha completa repugnância com adultos que abusam sexualmente de menores", disse Yiannopoulos numa postagem no Facebook. "Fico horrorizado com pedofilia."

Além de chamar o vídeo de uma "edição descuidada", Yiannopoulos culpou a "mistura usual de sarcasmo britânico, provocação e humor baixo" pelo ultraje atual.

A resposta dele foi considerada "insuficiente" pela União Conservadora Americana (ACU em inglês), o grupo que organiza a influente Conservative Political Action Conference (CPAC), que acontece em Maryland no final de semana e vai contar com Donald Trump entre seus convidados.

O presidente da organização, Matt Schlapp, anunciou que o convite para Yiannopoulos palestrar tinha sido retirado, acrescentando: "Pedimos que ele aborde imediatamente esses comentários perturbadores". Depois da decisão da ACU, a editora de Yiannopoulos anunciou que cancelaram o contrato do livro como resultado dos comentários dele. "Depois de consideração cuidadosa, a Simon & Schuster e Threshold Edition cancelaram a publicação do livro Dangerous de Milo Yiannopoulos", disse a editora numa declaração.

A escritora Roxanne Gay, que tinha retirado seu livro da Simon & Schuter em protesto quando a editora anunciou seu contrato com Yiannopoulos, respondeu à decisão dizendo: "Quando seus comentários sobre pedofilia/pederastia vieram à luz, a Simon & Schuster percebeu que sairia muito mais caro trabalhar com Milo do que o que eles lucrariam. Eles não finalmente 'fizeram a coisa certa', e agora sabemos onde o limite deles, sem piada, fica".

A Fox Business sugeriu ainda que a reação aos comentários pode não ter terminado, com uma fonte dentro do Breitbart News, site no qual Yiannopoulos é o editor de tecnologia, dizendo que os executivos estão pesando "os danos dos comentários dele à marca Breitbart".

Insistindo que já passou por coisa pior, Yiannopoulos anunciou no Facebook que vai dar uma entrevista coletiva na tarde de quinta-feira em Nova York para falar sobre a polêmica.

Tradução: Marina Schnoor 

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.