women

O feminismo ‘foi longe demais’, dizem 50% dos homens da Gen Z

Uma pesquisa da organização anti-extremismo do Reino Unido HOPE not hate alerta que metade dos homens de 16 a 24 anos sentem que o feminismo torna mais difícil eles terem sucesso.   
03 Agosto 2020, 7:33pm
Feminism Has ‘Gone Too Far’, Say 50 Percent of Gen Z Men
Foto por Emily Bowler. 

Metade dos homens jovens acreditam que o feminismo “foi longe demais e dificulta que os homens tenham sucesso”, segundo um novo relatório da organização anti-extremismo HOPE not hate.

O relatório “Young People in the Time of COVID-19”, divulgado hoje, entrevistou 2.076 pessoas de 16 a 24 anos sobre suas crenças ideológicas durante a pandemia. Eles descobriram que apenas 21% dos participantes homens não concordavam que o feminismo tinha ido longe demais. Apenas 39% acreditavam que hoje é uma época mais perigosa para ser mulher que homem no Reino Unido, enquanto quase um em cada cinco tinha uma visão “negativa” sobre feministas.

A HOPE not hate liga esse sentimento antifeminismo entre homens millennials mais jovens e da Gen Z a ideologias de extrema-direita. O relatório alerta: “Direitos dos homens e antifeminismo estão se tornando uma estrada escorregadia para a extrema-direita, atraindo homens jovens que sentem que sua masculinidade está ameaçada numa era de mudança das normas sociais”.

Sam Smethers, executiva chefe da organização feminista The Fawcett Society, disse a VICE News: “Esses dados são consistentes com pesquisa anterior da Fawcett, que descobriu que uma porção significativa dos homens jovens se sente ameaçada pelo feminismo, mas também que homens jovens têm mais chances que homens mais velhos de se descreverem como feministas, então as opiniões são polarizada”.

“Isso explica os altos níveis de misoginia, abuso, violência casual e objetificação que as mulheres experimentam hoje”, acrescentou Smethers. “Precisamos de uma mudança radical na atitude dos homens se vamos reverter isso.”

Joe Leverson, diretor de comunicações e campanha da Young Women’s Trust, disse a VICE News que muitas mulheres jovens ainda enfrentam questões de machismo: “Nossa própria pesquisa no fim do ano passado descobriu que quase 70% das mulheres entre 18 a 24 anos se consideravam feministas, e disseram que o machismo é um grande problema no Reino Unido”.

Além do feminismo, o relatório da HOPE not hate também detalhou os sentimentos pessimistas da Gen Z no meio da pandemia de coronavírus. Quase metade (44%) dos entrevistados disseram que saúde mental é o maior problema que eles encaram hoje, com 55% sentindo que a pandemia reduziu suas opções para o futuro.

@RubyJLL

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.