Publicidade
Esta história é mais de 5 anos de idade.
Fotos

Esse Cara Quer Salvar os Cachorros do Corredor da Morte na Inglaterra

Niall Lester trabalha como oficial do bem-estar animal em Dartford, uma cidadezinha do Sudeste da Inglaterra, e tomou para si a missão de salvar o máximo de cães possível do corredor da morte.

por Chris Bethell
30 Janeiro 2014, 12:10pm

Niall Lester e Dru, na sala onde foi encontrado depois de ser abandonado.

Se seu coração não se derrete por cães abandonados, então você pode muito bem ser um monstro. Tem alguma coisa supremamente escrota em adotar um cachorro – que são bebês com quatro patas e um apetite melhor, basicamente – só para abandoná-lo numa área industrial, num parque ou na beira da estrada, porque a pessoa percebeu que não está pronta para cuidar dele.

Quando e se esses cachorros forem pegos pela zoonose, eles têm uma semana ou duas para serem reclamados ou adotados num abrigo; depois disso, eles são destruídos. Niall Lester trabalha como oficial do bem-estar animal em Dartford, uma cidadezinha do Sudeste da Inglaterra, e tomou para si a missão de salvar o máximo possível desses cães do corredor da morte, por meio de sua organização de caridade, a New Hope Animal Rescue, e, às vezes, até alojando eles em sua própria casa.

A fotógrafa Georgie Mason tem documentado Niall e os cachorros que ele salva há meses, então, conversei um pouco com ela sobre esse salvador dos cachorros perdidos da Inglaterra. 

Niall e Tyson.

VICE: Oi, Georgie. Como você se envolveu com o trabalho do Niall?
Georgie Mason: Eu conheci o Niall no ano passado, quando o fotografei para outro projeto baseado na relação entre pessoas e seus cães. Fiquei imediatamente atraída pela personalidade, paixão e sua vida no geral, e quis desesperadamente explorar mais sobre ele e seu trabalho. Ano passado, decidi basear meu projeto final da faculdade no Niall e na questão dos cachorros abandonados.

Nial e Marsha, uma Staffordshire bull terrier.

Você sabe quantos desses cachorros acabaram adotados?
Todas as fotos da série até agora são baseadas nas histórias das vidas anteriores dos cães. Por exemplo, a terceira foto da série conta a história de uma Staffordshire bull terrier chamada Marsha, que viveu sozinha nos pântanos Erith, no sudoeste de Londres, por dez meses depois de ser abandonada, antes que o Niall a salvasse no verão de 2012. Voltamos aos pântanos para tirar essa foto.

A última fotografia da série foi tirada numa sala de veterinário, para revisitar o lugar onde essa outra Staff bull terrier mestiça, a Blaze, ia ser colocada para dormir. Ela foi levada ao veterinário pelo dono, que não a queria mais depois que ficou cega quando filhote. Então, ela estava no corredor da morte e, pouco antes da hora dela chegar, o Niall a resgatou da sala do veterinário, minutos antes da eutanásia. Todas as fotos do trabalho se baseiam em voltar aos locais dos resgates, então, cada uma tem uma história diferente sobre o porquê, onde e como o cachorro foi abandonado.

A série também conteria uma mensagem sobre matar esses cães se ninguém reclamá-los ou adotá-los?
Eu diria que isso definitivamente destaca a questão, sim. Isso fica particularmente evidente na última foto, já que a Blaze estava a minutos de ser destruída antes que o Niall chegasse até ela. Quanto aos outros cães fotografados, se Niall não os tivesse resgatado – ou sem a intervenção de outro resgate –  eles provavelmente seriam sacrificados quando estivessem nas mãos do canil  local.

Niall e Blaze.

Quanto tempo esses cachorros vivem depois que fica decidido que eles serão sacrificados?
O mais comum é apenas uma semana. Com sorte, mais de duas semanas. Depois desse tempo, se não forem reclamados ou adotados, eles são destruídos. O trabalho do Niall é tirar esses cães de qualquer perigo imediato, evitando que eles acabem num canil.

E se chegar a esse ponto, como eles são sacrificados?
Por injeção letal, intravenosa.

Você notou se alguma raça é mais abandonada que as outras?
Por mais generalizado que isso possa parecer, todos esses cães acabaram nessa posição por causa de pessoas: os donos, que fundamentalmente não adotam esses cães pelas razões certas. Esse tipo de dono é em geral um produto do grande problema com os cães “símbolo de status”, e é por isso que cerca de 70% dos cachorros em canis e resgatados são de raças mestiças de buldogue, como a Staff. Como o Niall apontou muitas vezes antes, se os labradores fossem os cães da moda para o tipo de gente que tem Staff agora, haveria uma grande epidemia de labradores e o mesmo ciclo vicioso continuaria.

Niall e Phoenix.

Você acha que alguns cachorros devem mesmo ir parar no “corredor da morte” se tiverem agido de maneira perigosa?
Não concordo. Acho que isso só evita a raiz do problema. A questão é que existem muitos cães que não são cuidados direito, ou mesmo treinados, o que pode levar a esse tipo de comportamento, é chocante. Deveríamos ter regulamentos sobre quem pode ter um cachorro, e eles precisam de treinamento e educação básica para saber como se comportar.

Onde você planeja chegar com esse trabalho?
Pretendo continuar o projeto com o Niall para criar uma coleção grande de imagens que devem virar um livro, com o Niall como o tema principal das fotos, mas com o cão, a história e o local mudando a cada vez. Também tenho outro projeto planejado para este ano, baseado em pitbulls e raças similares e seus donos, gente que teve seus cães apreendidos devido a Lei dos Cães Perigosos do Reino Unidos. Alguns desses donos nunca tiveram seus cães devolvidos, eles foram sacrificados só por causa de sua raça.

Todas as fotos por Georgie Mason.

Siga o Chris no Twitter: @CBethell_photo