Publicidade
Notícias

Boletim Matutino da VICE - 18/1/2019

Tudo o que você precisa saber sobre o mundo esta manhã com curadoria da VICE.

por Equipe VICE Brasil
18 Janeiro 2019, 11:45am

José Cruz / Agência Brasil

Brasil

Funcionária que disparou WhatsApp para Bolsonaro ganha cargo no Planalto

A funcionária da agência de comunicação que contratou disparos em massa de mensagens de WhatApp para a campanha presidencial de Jair Bolsonaro (PSL) foi nomeada para um cargo comissionado na Secretaria-Geral da Presidência, e deve despachar a poucos metros do presidente. Com salário de cerca de R$ 10,3 mil, Taíse de Almeida Feijó será assessora do gabinete do secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, um dos principais articuladores da campanha. A nomeação foi feita no Diário Oficial da União na segunda-feira (14). Taíse trabalhou para a agência de comunicação AM4 Inteligência Digital, empresa contratada pelo PSL para a campanha de Jair Bolsonaro à Presidência. Segundo a agência, Taíse era a funcionária responsável pela contratação das mensagens enviadas por meio do WhatsApp. – UOL

Governo Bolsonaro suspende nomeação de olavista responsável pelo Enem

O governo Jair Bolsonaro tornou sem efeito na noite desta quinta-feira, 17, em edição extra do Diário Oficial da União, a nomeação de Murilo Resende, que assumiria a coordenação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Não foi esclarecido o motivo da suspensão. A nomeação de Resende, defensor do Escola sem Partido e admirador do filósofo Olavo de Carvalho, criou polêmica entre educadores. Ele é doutor em Economia pela Fundação Getulio Vargas (FGV) e chegou a ser acusado de plágio por um artigo publicado em 2018. – O Estado de S. Paulo

Doria veta criação de comitê contra tortura em São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), vetou nesta quinta-feira (17) um projeto de lei aprovado no ano passado pelos deputados estaduais paulistas que criava o Comitê Estadual de Prevenção e Enfrentamento à Tortura e o Mecanismo de Prevenção e Enfrentamento à Tortura do estado. A criação de mecanismos contra a tortura no Brasil é um compromisso assumido pelo estado brasileiro, que em 1991 assinou uma convenção internacional contra a prática da tortura no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU). No veto publicado no Diário Oficial, Doria diz que a prevenção da tortura deve contar com apoio "incondicional e irrestrito" do Estado, mas que o comitê, subordinado à Assembleia Legislativa, como previa a lei, extrapolaria os limites do Poder Legislativo. – G1

Doria sanciona lei que proíbe consumo de bebida alcoólica em postos de gasolina

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), sancionou um projeto de lei nessa quarta-feira, 16, que proíbe o consumo de bebidas alcoólicas nas dependências dos postos de combustível de todo o estado. A ingestão de álcool fica autorizada no interior das lojas de conveniência e restaurantes, além de áreas restritas e delimitadas que não se confundam com a pista de abastecimento de veículos. Publicada no Diário Oficial do Estado de São Paulo desta quinta-feira, 17, a medida já está em vigor. Os postos de gasolina deverão afixar avisos de proibição em pontos de ampla visibilidade e advertir os infratores sobre a proibição. "Em caso de persistência", diz o texto, "o infrator será retirado do local, utilizando-se força policial, se necessário". – Band

PM é condenado a 24 anos e meio de prisão por matar jovem a pauladas em SP

O policial militar Jefferson Alves de Souza, do 22º Batalhão da Polícia Militar de São Paulo, foi condenado a 24 anos e 6 meses de prisão no final da noite desta quinta-feira (17) pelo assassinato de Gabriel Alberto Tadeu Paiva, 16, com uma paulada na cabeça. O PM foi acusado de homicídio qualificado e poderá recorrer, mas não em liberdade. Outro policial militar réu no processo, Thiago Quintino Meche, foi inocentado por inexistência de provas de que teria cometido a agressão. Segundo conclusões da juíza Débora Faitarone, da 1ª Vara do Júri de São Paulo, ele teria apenas testemunhado o acontecido. – UOL

Mundo

Sobe para 21 número de mortos em atentado em escola de polícia em Bogotá

O número de mortos no atentado com um carro-bomba ocorrido na quinta-feira (17), em um estacionamento da Escola de Polícia General Francisco de Paula Santander, em Bogotá (Colômbia), subiu para 21, informou a corporação. A Polícia também atualizou a quantidade de feridos para 68. O autor, que morreu no ataque, foi identificado pelo Ministério Público como José Aldemar Rojas Rodríguez. Ele era colombiano e entrou na escola às 9h30 local (12h30 de Brasília) em uma caminhonete cinza Nissan Patrol de 1993. Rojas Rodríguez morreu no ataque. Ainda não há informação sobre possíveis ligações do autor com grupos armados que operam no país. – UOL

E mais

Ginasta brasileira Jackelyne da Silva morre aos 17 anos

A Confederação Brasileira de Ginástica anunciou a morte da atleta Jackelyne da Silva, 17 anos, que defendia as cores do Esporte Clube Pinheiros. O motivo do falecimento ainda não foi informado. A ginasta estava internada na Unidade de Pronto Atendimento de Itaquera, em São Paulo. Jack, como era conhecida, morreu na tarde de quarta (16), em São Paulo. "Recebemos com tristeza a notícia do falecimento da atleta de Ginástica Artística do clube do Pinheiros, Jackelyne da Silva. Nos solidarizamos com os familiares, amigos e técnicos. Ficam, agora, as boas recordações da ginasta fazendo o que mais amava", escreveu a CBG em sua conta oficial no Instagram. – UOL

Cantor sertanejo Marciano morre aos 67 anos

O cantor sertanejo Marciano, que marcou a história da música sertaneja ao lado de João Mineiro, morreu aos 67 anos. A informação foi confirmada na rede social do cantor: "É com imenso pesar que, em nota, confirmamos o falecimento do cantor Marciano, o Inimitável. Em breve, divulgaremos mais informações. Nesse momento, agradecemos o carinho de todos e pedimos orações à família." O cantor, que nos últimos anos usava o título de “O Inimitável”, iniciou a carreira na década de 1970 formando a dupla João Mineiro e Marciano. Juntos, eles fizeram hits como “Ainda ontem chorei de saudade” e “Se eu não puder te esquecer”. – G1