Publicidade
Entretenimento

A artista que cria prêmios para homens que fazem absolutamente o mínimo

Fez você gozar? Respondeu sua mensagem? Só usa o Tinder pra se distrair quando tá fazendo cocô? Ah, que boy bonzinho. Toma aqui seu biscoito, anjo.

por Eleanor Lambert; Traduzido por Marina Schnoor
03 Maio 2018, 4:06pm

"Te fez gozar" / "Respondeu sua mensagem". Imagens via @awardsforgoodboys.

Num mundo onde as manchetes te socam no estômago com notícias sobre ataques em massa contra a humanidade, a ineficiência dos líderes eleitos e predadores sexuais no poder, achar alguma leveza nisso tudo pode parecer contraintuitivo. Até contraprodutivo. Mas talvez 2018 seja o momento perfeito para celebrar o tragicômico – ou encontrar humor nos cantos mais sombrios da vida.

O revival do movimento #MeToo, um termo criado uma década atrás por Tarana Burke, vem empoderando mulheres para expor e desmantelar machismo institucional e assédio sexual. E esse é um progresso bem-vindo. Ainda assim uma artista está encontrando catarse de uma maneira mais sutil e sarcástica: apontando o comportamento escroto dos machos e desmontando a masculinidade insidiosa que abastece as manchetes de hoje.

Acha que seu corpo é tão normal quanto a sua cara.

“Sempre achei o humor uma ferramenta incrivelmente valiosa para lidar com problemas e provocar mudanças”, disse Shelby Lorman, a escritora e artista por trás do Instagram mordaz @awardsforgoodboys, para a VICE. Ela começou a conta em 2017 como um jeito de tirar sarro dos “bons meninos” – o apelido dela para homens que esperam ser elogiados por não serem completos monstros.

“As pessoas vivem aplaudindo homens por evitar comportamentos obviamente ruins, enquanto as mulheres têm que atender um milhão de padrões impossíveis”, explicou Lorman. “É tipo 'Ah, ele não matou ninguém? Meu herói!'”

Ei, eu sei que faz um tempo (RS), mas tô na cidade. Quer ouvir meus problemas e me dar um boquete conselho?”

O @awardsforgoodboys mostra os padrões hipócritas do sexismo enraizado na sociedade enquanto faz as mulheres rirem. E considerando os quase 80 mil seguidores de Lorman, muita gente se identificou. “Seguidores e amigas dizem que é um alívio consumir algo tópico e crítico, mas que ainda tem alguma leveza”, contou.

Achei seu Instagram muito original. Até dei risada.”

Bom menino!”

Ninguém está a salvo da ira de Lorman; quando um cara fez um elogio ao avesso para suas ilustrações através do Tinder, ela fez um screenshot e postou a DM dele no Instagram. “Claro, o 'elogio' dele para o meu trabalho não era maldoso”, explicou. “Acho que ele foi sincero. A questão é que homens assim elogiam do avesso: com algo inerentemente condescendente.”

Chamando os homens na chincha desse jeito, Lorman não pretende ser maliciosa. Ela está tentando fazer com que eles reconheçam comportamentos que marginalizam mulheres, intencionalmente ou não, e aí rirem de si mesmos. “Quando ri, você baixa sua guarda, e quando baixa sua guarda, os sentimentos podem entrar”, falou. “Algo que você pode ter bloqueado antes, porque é difícil pensar nessas coisas que estão tão enraizadas”, pode ser enquadrado de uma maneira não ameaçadora para as pessoas repensarem seu comportamento.

É a favor do aborto mas, “você abortaria, né?”

Lorman tem consciência de que as questões que ela aborda estão aqui “muito, muito tempo antes da elite de Hollywood decidir que queria mudança”. Ela acha que o diálogo atual em torno do #MeToo é incrivelmente importante, mas também “inerentemente falho, como a maioria dos grandes movimentos. Ele deixa muita coisa de fora. Isso vem de muitas vozes poderosas, ricas e brancas”. Tentar mudar fundamentalmente a sociedade com desenhos no Instagram não é o objetivo do @awardsforgoodboys, o ponto é fornecer uma perspectiva crítica das questões gerando manchetes, mostrando exemplos cotidianos de comportamento tóxico.

Só usa o Tinder quanto está entediado ou cagando (ele jura!)

Enquanto a resposta geral ao @awardsforgoodboys tem sido, segundo Lorman, muito positiva, certas pessoas não gostaram das críticas. Alguns homens (e mulheres) ficaram putos com o puxão de orelha público, especialmente se sentiram que eram o motivo da piada. Mas sempre que um BomMenino™ pensa que um post é para humilhá-lo – ou “sobre” ou “para” ele – isso só prova o ponto da conta. “Se as pessoas podem rir e pensar criticamente, em vez de só julgar”, disse Lorman, “esse é um ponto de entrada eficiente para fazer as pessoas falarem”. E falar é exatamente o que as mulheres estão fazendo.

Saque mais postagens e suas respectivas traduções mais pra baixo.

Sou descolada e criativa, o que significa que minha incapacidade de fazer contato visual ou qualquer pergunta sobre você será considerada apatia pensativa e sexy, tolerável porque minha tristeza é única e integral para a minha arte.”

Terminou com você pessoalmente

Mantenha a calma enquanto te explico o que é blockchain

Seu corpo, minhas regras! Quer dizer – merda! Seu corpo suas regras! Moça, você pode tirar uma foto minha? (É pro Tinder.)” BomMenino™ vai pra marcha.

Te avisa que está transando com outras pessoas! Logo depois de vocês transarem sem proteção... (Mas ele usa camisinha com as outras)

Te espera dizer “Bom dia” antes de dar uma razão completamente crível para ter que ir embora AGORA.

Siga a Eleanor Lambert no Instagram.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.