Será que o PIP Vai Melhorar o Mercado Pornô Brasileiro?

As apostas do Prêmio da Indústria Pornô estão feitas para ver se o evento vai ajudar a levantar o mercado pornográfico nacional.

De longe, parecia um evento corriqueiro no bairro do Brooklin: muito paetê, cabelos platinados e homens engravatados em bando. Talvez não tão corriqueiro quando a entidade da Elke Maravilha passava perto dos engravatados mandando beijo, quando avistei o Vampeta com os olhos fixos no celular e quando noteimoças ostentando boa quantidade de tatuagens, espartilhos e decotes generosos. Esse era o cenário do Prêmio da Indústria Pornô, organizado pelo canal de TV por assinatura Sexy Hot.

Declaradamente inspirado na premiação ianque AVN Awards, o evento foi organizado com intenção de valorizar a produção nacional. "Nós vimos, depois de várias pesquisas, que o assinante de internet não possui o mesmo perfil do assinante de televisão paga. O assinante de internet é mais passivo, enquanto o assinante de televisão é outra coisa. Um não está canibalizando o outro. Abrimos para o leque total de produtoras, independentemente de contratos com o canal", declarou o diretor geral da Playboy Brasil, Maurício Paletta.

A premiação contou com 11 categorias, sendo duas delas escolhidas por um júri técnico. O resto foi decidido porvoto popular, que, segundo os organizadores, chegou a 100 mil votos, todos efetuados pelo site oficial do evento. Um número até pequeno se considerarmos que o brasileiro praticamente só consome pornografia nacional, segundo o PornHub.

Modesto se comparado ao gigante AVN Awards e também bastante limitado se levarmos em consideração que a premiação excluiu as produções de filmes gays e de travestis, que no Brasil são bastante consideráveis. Stanlay Miranda, dono da Buttman Brasil, destacou que ainda tem muito chão para o prêmio conseguir representar de verdade a variedade que a pornografia brasileira apresenta para seus consumidores. "Faltava uma coisa dessas aqui. Ainda faltam categorias, tem que pôr gay, tem que pôr travesti. Faz parte. Quero que tenha um hall da fama para eu estar nele. O mercado mudou; na minha época, tinha 15 mil locadoras só no Brasil. O mercado, hoje, é internet, televisão, mas o pornô nunca vai acabar."

Evaldo Shiroma, a mente por trás da Erotika Fair e dono do clube das mulheres que testamos não muito tempo atrás, também acha que o Brasil precisa trabalhar muito para conseguir voltar ao seu auge (nem tão bom assim), que ocorreu na década passada. "Se considerarmos que existiam 15 mil locadoras só no Brasil que vendiam DVDs e hoje, com a facilidade em dois cliques da pornografia na internet, fica claro que o Brasil precisa se reinventar mesmo. Assim como os Estados Unidos estão fazendo".

Assim como o Grammy e diferentemente do AVN, o PIP não teve putaria nem palavrão e também não trouxe muitas surpresas nos ganhadores. O reinado da Brasileirinhas ainda continua,e Angel Lima, atriz peituda, nos trinques tipo modelo exportação e grande aposta da produtora, faturou três prêmios. Ela arrematou: "Melhor Anal", "Melhor Oral" e "Melhor Fetiche". Tímida, Angel agradeceu os votos,e ainda rolou um momento ternura com o seu namorado e também ator Brad Montana: ele destacou que, com esse prêmio, as atrizes talvez possam ser tratadas como "as estrelas que merecem".

A primeira categoria premiada foi a primeira impressão da previsibilidade do evento. O prêmio de "Melhor Orgia" foi entregue pelo Vampeta, o jogador mais querido (ou não) do futebol noventista, que, com muita curtição, contou como sua experiência no futebol holandês ajudou na sua decisão de ter posado nu.

Quem levou foi a Brasileirinhas- e quem foi agarrar o troféu? O dono da tatuagem mais anos 90 (combinou com o Vampeta) e duvidosa do Brasil, Rafinha Bastos, que,aparentemente, está flertando com o mercado pornográfico. Fica a dúvida: será que o Rafinha vai ser tão pouco valorizado como as atrizes da indústria?

Logo após ele sair do palco, a atriz Bruna Ferraz foi agradecer pelo prêmio e logo arrematou que isso será o passaporte dela para o exterior. Para além de carimbar o passaporte para os States, "trabalhar para a gringa" foi um assunto recorrente entre os atores da indústria com quem conversamos.

Quem faturou "Melhor DP" foi o trio Monica Mattos, Igor Picachú e Tony Tigrão. Também nenhuma novidade: quando a Mônica tá no meio,não tem mesmo pra ninguém, mesmo que ela esteja aposentada - a cena foi gravada em 2010, e ela, inclusive,nem deu as caras no prêmio, assim como outros agraciados. O mesmo aconteceu com a linda e gravidíssima Fabiane Thompson, que levou para casa o prêmio de melhor atriz, mesmo não filmando desde que descobriu que ia ser mãe.

Nos prêmios escolhidos pelo júri técnico, a produtora de alt-porn X-Plastic ganhou de "Melhor Diretor" para Marco Cidade pelo filme Insônia; já oprêmio de "Melhor Filme" foi para o veterano (e internacionalmente premiado)  Gil Bendazon,da produtora Red Angel,pelo filme Show de Bundas. Aliás, a trupe do alt-porn apareceu em peso no evento, quase como uma torcida organizada.

Com o fim da premiação, o coquetel começou, e aproveitamos a malemolência causada pelo uísque servido a rodo e trocamos ideia com algumas pessoas sobre o evento. Loupan, ator gente fina demais e um dos indicados para o prêmio de "Melhor Ator", foi o primeiro que entrevistamos após a premiação e também quase uma síntese do que captamos. "Faltou o pornô mesmo, os grandes que não vieram. É só você ver quem não veio. O Gil, a Monica, o Lorena [Aquino]: é uma galera que falta. Nunca vai ser igual ao AVN. Acho que eles [os organizadores] são malandros mesmo, não querem pagar os direitos de imagem. A indústria tá fraca, mas os grandes trabalham para fora. Eu faço coisa pro Reality Kings, pra Brazzers. O pornô brasileiro, eu vou fazer sempre, mas é o gringo que paga as contas. Aqui não conta como mercado. Qualquer um que pega uma câmera, é diretor, ator. Quem é bom, manda pro AVN mesmo", desabafou o veterano. Para ele, existem meios mais eficientes de auxiliar a indústria. "Fizeram [o prêmio] porque os atores e diretores pornôs são bobos. Você quer ajudar? Dá dinheiro, não prêmio."

Veterana como o Loupan, Mayanna Rodrigues resumiu um pouco da história da decadência da demanda pela produção nacional tipo exportação. "Hoje em dia, é fraco. Na época em que comecei fazendo coisas para produtoras gringas, ainda rolava uma boa demanda, de 2005 até 2007. Desde 2008, houve uma queda na demanda. As produtoras gringas pararam de vir pra cá, e as brasileiras começaram a comprar filmes antigos para distribuir. A Brasileirinhas, por exemplo, lançou cinco filmes comigo na capa dos que eu fiz em 2005. Muitas produtoras faliram, a Buttman faliu e agora ela está tentando se reerguer. Talvez melhore com esse apoio da Sexy Hot."

Assim como muita gente da indústria, Mayanna é rápida em identificar a internet como protagonista da crise atual do pornô. "A queda se deveu à pirataria e à internet. A venda de DVDs era enorme, especialmente lá fora. E como aqui no Brasil tudo é mais barato, eles vinham para cá gravar. Agora com os sites, a pirataria e o pornô amador, ajudou a acabar com o pouco que tinha aqui".

O diretor da Brasileirinhas Fábio Dias, que,apesar da baixa estatura,é conhecido como Fabão Pornô (foi muito difícil não escrever esse nome em caixa alta), repetiu o problema da pirataria, mas também apontou a sua solução pessoal. "Minha empresa hoje é 100% internet, tenho 14 sites pagos e vivo de assinatura. Mas, para eu conseguir viver disso,conto com um parceiro maravilhoso que chamo de Deus, mas cujo nome é Google. Desde o ocorrido do Megaupload, o Google colocou uma lei: em todos os sites de streaming, seja XVideos, PornHub, existe um botão que ninguém conhece chamado DMCA. Por isso, tenho oito funcionários que ficam o dia inteiro procurando meus vídeos compartilhados sem autorização e denunciando. O Google notifica em menos de uma hora, e, se o cara que postou não tirar do ar em 24 horas, o Google tira do ar."

Mas não foi só de negócios que falamos. A atriz Patricia Kimberly, que aqui chamarei de Marilyn Monroe brasileira, andava pelo coquetel sorrindo sem pudores e dando entrevistas. A performer sentiu falta de mais categorias. "Senti falta, sim,da minha indicação que a produtora não mandou, mas foi ótimo." E ela mandou o papo reto de ser atriz pornô brasileira. "Muita gente fala do preconceito, mas o preconceito existe em todas as áreas. Eu faço para ser vista mesmo, gosto disso. A intenção é me mostrar nos meus filmes. Eu encaro, visto a camisa e estou na luta."

O clima do evento era esperançoso e parecia que todos os convidados carregavam uma interrogação: será que o prêmio vai levantar a indústria? Por trás dos sorrisos, dos decotes e dos champanhes servidossem cerimônia, dava para sentir um certo clima de nervosismo de quem trabalha no meio.

As apostas que isso possa alavancar o bem capenga mercado nacional foram feitas. Será que uma premiação vai conseguir superar a facilidade de seconsumir pornografia de graça, sem ter dedesembolsar uma grana? Facilidade que até mesmo quebrou as pernas da indústria norte-americana. E indo além:quem vai ganhar com a premiação serão as produtoras, que levam uma boa fatia da grana, ou os atores, que serão devidamente renumerados e respeitados?

Lista dos vencedores:

Melhor cena de orgia
"Carnaval 2010"
"Rei do Anal 3"
"Amigas da Minha Irmã"

Melhor cena de fetiche
"Fetiches e Fantasias 2"
"Bundas Alucinantes"
"Diário de uma Dominadora"

Melhor cena de sexo oral
"Profissão: Atriz Pornô"
"Disk Boquete"
"Uma Sra. Chupada"

Melhor cena de DP
"Tesão sem Fim"
"Sexo na Van - Patrícia Ventura, a tia do sexo"
"Meninas Más"

Melhor cena de sexo anal
"Anal maníacas 2"
"Excita-me"
"Sexo sem cortes"

Melhor atriz
Angel Lima
Michely Fernandez
Fabiane Thompson

Melhor ator
Loupan
Ed Júnior
Jota

Melhor título
"Plugadas"
"Disk Boquete"
"Transa ao Tom de Cinza"

Revelação do ano
Renatinha Gaúcha

Carol Castro
Diana Dubay

Siga a Marie Declercq no Twitter.

Felipe Larozza

Bruna Ferraz
Felipe Larozza

Mayanna Rodrigues
Felipe Larozza

Mayanna Rodrigues
Felipe Larozza

Fabiane Thompson
Felipe Larozza

Rita Cadillac tirando uma onda.
Felipe Larozza

Elke Maravilha
Felipe Larozza

Stanley Miranda
Felipe Larozza

Evaldo Shiroma
Felipe Larozza

Patrícia Kimberly
Felipe Larozza

As atrizes da X-Plastic Jully DeLarge e Grazi
Felipe Larozza

Felipe Larozza

Ed Júnior
Felipe Larozza

Loupan
Felipe Larozza

Loupan
Felipe Larozza

Felipe Larozza

Tony Tigrão
Felipe Larozza

Rita Cadillac apresentando o prêmio de "Melhor Atriz".
Felipe Larozza

Vampeta
Felipe Larozza

Fabão Pornô
Felipe Larozza

Sérgio Loroza e Bianca Jahara
Felipe Larozza

Sérgio Loroza
Felipe Larozza

Jazz Duro
Felipe Larozza

Rafinha Bastos recebendo o prêmio e Vampeta.
Felipe Larozza

Mais VICE
Canais VICE