A Nicki Minaj está de volta com "Barbie Tingz" e "Chun-Li"

A rapper do Queens sentou pra conversar com a Zane Lowe no Beats 1 pra falar sobre seu hiato de redes sociais, Drake e Meek Mill, e lançou dois novos singles.
12 Abril 2018, 6:01pm

Notícia traduzida do Noisey US.

Nicki Minaj tem estado relativamente quieta em 2018. Ela não twittava desde dezembro, fazendo com que seus fãs especulassem que ela estava tirando uma folga ficar em estúdio. Esta semana, sua legião de fãs notou a rapper de Pinkprint twittando e deletando uma contagem regressiva misteriosa, que acabou sendo uma tática de marketing enigmática para seus novos singles "Barbie Tingz" e "Chun-Li". Minaj está de volta e seu novo trabalho é um sinal de que ela não planeja desacelerar.

Nicki lançou "Barbie Tingz" e "Chun-Li" em uma entrevista com Zane Lowe no Beats 1. Em sua primeira entrevista do ano, Minaj se abre sobre o processo de escrever seu próximo álbum. "Ele colocou meu foco de volta onde ele precisava estar – a música", disse ela, depois de abordar seu desaparecimento das redes sociais. Ela até se abriu sobre estar entre a briga do Meek Mill com o Drake. "Na época, eu amava os dois. Eu não conseguia apagar o amor que eu tinha pela minha equipe, mas também não podia falar, não podia dizer muita coisa." Quebrando seu silêncio desde a prisão de Meek, ela hesitou em falar sobre o que sabia sobre o caso. "A juíza em questão fez tudo o que pedi a ela. Não posso falar mal dela porque a conheci pessoalmente", disse ela.

Ela foi muito breve sobre os detalhes do álbum e seu documentário secreto, mas deixou o público saber que ela está trabalhando nele desde dezembro, e algumas músicas datam de quase um ano e meio atrás.

Ouça "Barbie Tingz" e "Chin-Li" abaixo:

Para ser sincera, estamos em um ótimo momento para ser uma mulher na música, mas mais especificamente uma mulher no hip-hop. Com um modelo de negócios tradicional que se concentra em uma mulher de cada vez, 2018 é a prova de que, como consumidores, superamos esse sistema antiquado. O último álbum de Minaj, Pinkprint, foi lançado em 2014 e o mundo mudou desde então. Estamos sentados no meio de uma administração onde as mulheres estão constantemente se mobilizando por liberdades civis e protestando contra o abuso de poder em indústrias dominadas por homens. A mudança na música está sendo consideravelmente mais lenta que a de Hollywood, mas estar presente e visível é ativismo em si. Você sendo um membro da Barb, da Bardi Gang, ambos, ou nenhum, é um sinal de que podemos coexistir de maneiras em que os homens nem precisam pensar duas vezes.

Siga Kristin Corry no Twitter.

Publicidade