Publicidade
Noticias

Boletim Matutino da VICE - 24/9/2019

Tudo o que você precisa saber sobre o mundo esta manhã com curadoria da VICE.

por Equipe VICE Brasil
24 Setembro 2019, 1:17pm

Fernando Frazão / Agência Brasil

Brasil

Desembargador Siro Darlan é alvo de operação da PF no RJ

O desembargador Siro Darlan, do Tribunal de Justiça do RJ, é alvo de uma operação da Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (24). O magistrado é alvo de um inquérito no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que apura a venda de sentenças no Fórum da capital. Sete mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo ministro Luis Felipe Salomão, do STJ. Além dos inquéritos no STJ, Darlan também é alvo de uma representação na Presidência do Tribunal de Justiça e de uma investigação no CNJ para apurar faltas disciplinares. De acordo com o inquérito no STJ, o desembargador usava os plantões judiciários para vender habeas corpus e, assim, liberar os presos. – G1

Família de Ágatha Félix recusa ajuda financeira do governo do Rio

A família de Ágatha Félix, menina de 8 anos morta por uma bala perdida durante ação policial no Complexo do Alemão, no Rio, recusou o auxílio da secretaria estadual de Vitimização —e não quer receber recurso de nenhuma espécie do governo. A pasta, que atende familiares de vítimas da violência, diz que ofereceu-se para pagar o velório da jovem. Danilo Félix, tio da garota, afirma que o enterro foi realizado com recursos da família e do jornal Voz das Comunidades: "Não queremos ajuda do governo". – Folha de S. Paulo

Morte de Ágatha intensifica críticas a Witzel nas redes sociais aponta FGV

A morte de Ágatha Félix intensificou o debate nas redes sociais sobre a segurança pública no Rio de Janeiro. Um estudo obtido pelo G1 mostra que, desde a morte da menina de 8 anos na sexta-feira (20), no Complexo do Alemão, o governador Wilson Witzel (PSC) foi alvo de 150 mil comentários no Twitter até domingo (22): 75% deles foram negativos e 25%, positivos. O estudo é da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV/Dapp). O monitoramento das discussões sobre segurança começou dias antes do crime, diante de denúncias de violência nas comunidades do Rio ainda na terça-feira (17). – G1

Rio tem protestos após morte de Ágatha Félix: 'Que a Justiça seja feita', diz tia

A segunda-feira (23) foi marcada por protestos contra a morte da menina Ágatha Félix, de 8 anos de idade, no Conjunto de Favelas do Alemão na sexta-feira. Uma das manifestações aconteceu à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro. Uma faixa com a frase "Parem de nos matar" foi colocada na escadaria do Parlamento. Parentes, testemunhas e o motorista da Kombi onde ela foi baleada dizem que a criança foi atingida por um disparo feito por um policial militar. Tia de Ágatha, Daniele Lima Félix se uniu aos ativistas e cobrou uma resposta das autoridades. "A gente precisa que a Justiça seja feita, estamos aqui para cobrar a Justiça. Ela era uma linda de apenas 8 anos que estudou a manhã inteira, foi passear com a mãe à tarde e estava a 5 minutos de casa. Estar aqui significa pra gente não deixar cair na estatística que nem tantos outros já viraram", disse. – G1

Após morte de Ágatha, Witzel retira incentivo para polícia matar menos no Rio

Em um decreto publicado no Diário Oficial do Rio de Janeiro nesta terça-feira (24), Wilson Witzel retirou a redução de mortes cometidas por policiais como um dos indicadores do Sistema Integrado de Metas, que norteia os bônus pagos a policiais militares do estado. Na prática, os policiais não serão mais incentivados a reduzirem sua letalidade. Criado em 2009 por José Mariano Beltrame, o sistema previa a redução de quatro crimes de letalidade violenta: homicídio doloso, roubo seguido de morte, lesão corporal seguida de morte e a morte decorrente de intervenção policial. Witzel retirou o último. – Época

Bolsonaro é 'risco' para democracia, diz juiz que mandou prender Pinochet

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) representa um "risco muito alto" para a democracia, avalia Baltasar Garzón, o ex-juiz espanhol que decretou, em 1998, a prisão do ex-ditador chileno Augusto Pinochet e transformou o direito internacional. Em entrevista antes de embarcar ao Brasil, Garzón atacou a atual política de segurança pública brasileira, teceu duras críticas contra o ex-juiz e hoje ministro Sergio Moro e pediu atenção contra o crescimento do neofascismo em diferentes partes do mundo. – UOL

Policiais são responsáveis por 1 a cada 3 mortes violentas na cidade de SP

Policiais civis e militares foram autores de 197 mortes na cidade de São Paulo no primeiro semestre deste ano. Ao todo, foram 581 mortes violentas entre janeiro de junho de 2019. Ou seja, para cada três mortes violentas ocorridas na capital, uma teve como autor um policial. Os dados são do Instituto Sou da Paz. Proporcionalmente, trata-se do maior número de mortos por policiais na capital desde 2010. Já o número de policiais mortos se mantém em queda desde 2013. No primeiro semestre deste ano, foram mortos 11 policiais civis e militares, o que representa 1,9% do total de mortes violentas na cidade. – UOL

Damares tenta censurar revista por reportagem sobre aborto

Uma reportagem da revista AzMina sobre aborto levou a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, a denunciá-la ao Ministério Público e gerou uma onda de ataques nas redes contra as jornalistas. O ministério, em nota, afirmou que encaminhou denúncia ao Ministério Público de São Paulo e justifica a decisão afirmando que a reportagem "pode incentivar a prática clandestina" ao incluir "receitas de como praticar um aborto". O Ministério Público confirmou que recebeu representação e que a encaminhou para a abertura de inquérito criminal. O texto em questão foi publicado na última quarta (18) no site da revista. Intitulado “Como é feito um aborto seguro”, reúne recomendações da OMS (Organização Mundial da Saúde) sobre como interromper a gravidez de forma segura e conta como é feito o aborto em lugares onde é permitido. Explica, contudo, que o aborto no Brasil só é permitido em caso de estupro, risco à vida da mulher ou anencefalia do feto. – Folha de S. Paulo

Com radares desligados, acidentes graves crescem em estradas federais no país

Promessa do presidente Jair Bolsonaro , o desligamento de radares de fiscalização de velocidade , sob a justificativa de que há uma “indústria da multa” no país, foi cumprido à risca nas rodovias federais administradas diretamente pelo governo. Enquanto as estradas federais tiveram um “apagão” de radares, os acidentes graves — que registram mortos ou feridos — subiram nos sete primeiros meses do ano pela primeira vez desde 2011, quando o Brasil se comprometeu a adotar metas estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) para tornar o trânsito seguro. De acordo com levantamento do SOS Estradas com base em dados da PRF, embora o total de acidentes em geral tenha caído 8% na comparação com o mesmo período do ano passado, os acidentes graves subiram 2% em 2019, de 10.038 para 10.212 ocorrências, interrompendo a tendência de quedas consecutivas desde 2011. – O Globo

Diretor da Funarte chama Fernanda Montenegro de 'sórdida' e diz estar em 'guerra' contra artistas

Roberto Alvim, diretor do Centro de Artes Cênicas da Funarte, usou seu Facebook na noite de ontem para atacar Fernanda Montenegro. Na publicação, o dramaturgo usa palavras como "sórdida" para descrever a atriz de 89 anos. O texto escrito por ele surgiu em consequência da capa para a edição de outubro da revista literária Quatro cinco um, em que Fernanda é retratada como uma bruxa sendo queimada em uma fogueira de livros. "Um amigo meu, bem-intencionado, me perguntou hoje se não era hora de mudar de estratégia e chamar a classe artística pra dialogar. Não. Absolutamente não. Trata-se de uma guerra irrevogável", escreveu Alvim. – UOL

Bolsonaro é pressionado a não assinar prêmio Camões de Chico Buarque

O presidente Jair Bolsonaro pretende analisar uma questão delicada no Palácio do Planalto assim que voltar da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), da qual participa nesta terça-feira (24), em Nova York. Bolsonaro vai decidir se assina o diploma que será concedido ao cantor e escritor Chico Buarque pelo Prêmio Camões, o principal troféu literário da língua portuguesa. O total concedido ao brasileiro é de € 100 mil, valor pago, em parcelas iguais, por Brasil e Portugal, que criaram o prêmio. A parcela da condecoração que cabia ao governo brasileiro já foi depositada em junho, segundo informou a assessoria de imprensa da Biblioteca Nacional. Na avaliação de membros do núcleo ideológico ao não assinar o documento, o presidente faria um gesto político. – Folha de S. Paulo

Silvio Santos faz concurso de beleza com crianças de maiô e geral fica puto nas redes

O Programa Silvio Santos causou polêmica no último domingo (22). Durante um quadro chamado Miss Infantil, crianças desfilaram de maiô para a plateia e jurados, seguido de comentários do dono do SBT. A atração resultou em mensagens ácidas na internet. Depois de se apresentarem com fantasias, as meninas apareceram com os trajes de banho. “Você vai ser a próxima candidata a Miss Brasil, vai desfilar de maiô, já começa desfilando desde já”, disse Silvio Santos para uma das crianças. Após todas as seis participantes se apresentarem, Silvio convocou o voto da plateia. “Vocês do auditório vão ver quem tem as pernas mais bonitas, o colo mais bonito, o rosto mais bonito, e o conjunto mais bonito”, anunciou. – Veja

Mãe que narra jogos para filho palmeirense cego ganha prêmio da Fifa

A brasileira Silvia Grecco, mãe do palmeirense Nickollas, conquistou hoje (23) o prêmio Fifa Fan Award, concedido aos torcedores que se destacaram no ano. Devido à deficiência visual do garoto, Silvia o acompanha em jogos do Palmeiras e narra cada lance da partida para ele. A brasileira concorreu ao prêmio junto com a torcida holandesa da Copa do Mundo de Futebol Feminino e contra o uruguaio Justo Sánchez. Antes do início da cerimônia, em entrevista à Globo, Silvia falou sobre a emoção do momento e disse que contou cada detalhe do evento para o filho. "Eu estou falando todos os detalhes, desde a entrada, do carro, como nós viemos, todo o aspecto físico, todos os detalhes. Eu estou contando tudo para ele, e ele está curtindo muito", afirmou. – UOL

Mundo

Suprema Corte britânica decide que suspensão de Parlamento foi ilegal e Boris Johnson se ferra

A Suprema Corte do Reino Unido decidiu nesta terça-feira (24) que foi ilegal o pedido feito pelo premiê Boris Johnson para a rainha Elizabeth II de suspender o Parlamento até poucos dias antes da data prevista para a saída britânica da União Europeia. A decisão foi tomada de maneira unânime pelos 11 juízes que compõem a corte. Anteriormente, o mais alto tribunal da Escócia já tinha considerado a suspensão ilegal. A presidente da Suprema Corte, Lady Hale, declarou que "o efeito [da suspensão] sobre os fundamentos da democracia foi extremo". O presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow, afirmou que o Parlamento "deve se reunir sem demora" e que passaria a consultar os líderes do partido "com urgência". – G1

Tagged:
brasil
Silvio Santos
Jair Bolsonaro
Boletim Matutino
Wilson witzel
damares alves
Siro Darlan
Fernanda Montenegro