Por que casais falam com voz de bebê?

A razão para seu namorado te chamar de momolada? É culpa da mãe dele.

por Sirin Kale; Traduzido por Marina Schnoor
|
dez 11 2017, 5:53pm

Foto por Daxiao Productions via Stocksy. 

Matéria originalmente publicada no Broadly .

Se tem alguma coisa mais hedionda que um casal apaixonado, é um casal fazendo aquela vozinha de bebê — e é por isso que meu namorado me chama de chata do caralho, e é por isso que eu amo ele. Mas por que casais insistem em conversar como se fossem idiotas? E tem outro termo mais apropriado de afeição pelo seu parceiro que “Mãe”, como disse o vice-presidente norte-americano Mike Pence?

A maioria dos especialistas concorda que adultos falando com voz de bebê num relacionamento romântico tem o efeito de criar laços. Num nível fundamental, chamar seu namorado de “nenê” ou, mais horrível ainda, “momolado” é um jeito de solidificar o laço entre vocês.

Por quê? Culpe sua mãe.

“Essa é uma prática muito comum em várias culturas, com mães de todo mundo”, explica a neuroantropologista da Florida State University professora Dean Falk. Ela é a autora de Finding Our Tongues: Mothers, Infants, and the Origins of Language, e especialista nas origens do desenvolvimento da linguagem humana.

“Isso existe para aquisição da fala entre bebês, e também expressa amor e facilita criar laços entre mãe e filho”, ela diz, explicando que estudos mostram que bebês adoram quando a mãe fala assim — e quando outras pessoas usam esse tom de voz também.

Em se tratando de laços entre adultos, Falk acredita que um princípio similar se aplica. “Minha hipótese é extremamente simples”, ela diz. “Casais, falando assim, voltam à sua própria experiência quando eram crianças e seu primeiro amor, sua mãe.”

Especialistas em linguística concordam que falar com voz de nenê tem um papel em formar laços. No entanto, eles também se interessam em examinar os termos carinhosos específicos que os casais tendem a usar. “Geralmente, quando bebês começam a adquirir a fala, eles usam a vogal 'a' e consoantes como 'p', 'b' e 'm' porque são bilabiais [um som causado pelo fechamento ou quase fechamento dos lábios] e são mais fáceis de pronunciar”, diz o professor Frank Nuessel da Universidade de Louisville. Como resultado, palavras como “baby” são comuns em conversas de adultos usando esse tom de voz.

Para Nuessel, voz de bebê não é só uma questão de laço — é uma questão de fornecer a adultos um espaço para se expressar, livre das convenções tediosas da conversa humana normal. “Uma das razões é iniciar um cenário de interpretação, para que os dois participantes se sintam livres para expressar seus pensamentos e sentimentos num enquadramento confortável”, ele explica. “Isso dá aos dois uma certa liberdade das restrições dos papéis adultos normais.”

A vida adulta pode ser opressiva e exaustiva – particularmente considerando a energia gasta mantendo a ilusão de que você é um adulto totalmente funcional, em vez de só uma criança fazendo de conta. É aí que falar com voz de bebê entra, explica o psicoterapeuta Dr. Nan Wise.

“Essas conexões sociais são fundamentais para o bem-estar. Usar voz de bebê um com o outro é um jeito de facilitar o apego.” — Dr. Wise

“São sete sistemas emocionais básicos nos animais – é como fomos programados evolutivamente”, diz o Dr. Wise. Esses sistemas – incluindo raiva, medo, cuidado e brincar – podem até formar parte de infraestrutura neurológica do cérebro.

Wise argumenta que a necessidade de falar com voz de bebê toca em outros sistemas embutidos. “Quando somos jovens, todos os animais aprendem brincando”, ele explica. “Essas conexões sociais são fundamentais para o bem-estar. Então usar voz de bebê um com o outro é um jeito de facilitar esses sistemas de apego inatos de brincar, e de cuidado.”

Mas claro, se você está tentando sair um pouco do mundo e desestressar, por que não se envolver na brincadeira adulta definitiva – sexo – e deixar a voz de bebês pra criançada?

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.

Mais VICE
Canais VICE