Mais armas, mais mortes de mulheres, negros e LGBTs