Noisey

O clipe de "Frontline", da Kelela, fala de dor de um jeito inesperado

Ah, e ele é feito com The Sims.
Lauren O'Neill
London, GB
Amanda Cavalcanti
Traduzido por Amanda Cavalcanti
28.2.18

A Kelela é uma presença artística excepcionalmente forte na música, visual e sonicamente. Isso é algo que você ouve profundamente em seu álbum de estúdio de estreia, Take Me Apart, que foi lançado no ano passado. Você também vê isso com toda a clareza em todos os clipes desse disco que ela lançou até agora.

Enquanto "LMK" foi um clipe de festa e "Blue Light" foi bonito e surreal, ela tomou outra direção no clipe de "Frontline", que conta sua história com animações, que lembram muito o jogo de simulação humana preferido de todo mundo, The Sims.

De acordo com a Rolling Stone, o conceito do clipe foi desenvolvido por Kelela e Mischa Notcutt e animado por Claudia Matè. Ele mostra uma Sim similar à Kelela (roupas incríveis e tudo) durante um término, e numa fala à Rolling Stone sobre o clipe, Kelela disse:

Com o clipe de The Sims, eu tava tentando contar minha história de um jeito leve, mas dramático. É sobre ir embora e deixar seu ex com o vento batendo no seu cabelo, e enquanto isso reconhecendo o sentimento curioso de dor por ele ter te deixado por uma mulher branca.

Como Kelela observa, é um assunto complicado, o que torna sua decisão de apresentar a narrativa desta forma ainda mais fascinante. Há muitas maneiras de interpretar o clipe: talvez seja um comentário sobre transcender os modos aparentemente definidos em que interagimos, ou sobre a forma como podemos controlar nosso próprio comportamento (como um jogador pode controlar seus Sims), mas, infelizmente, não a dos outros. Talvez também não seja. A beleza da arte de Kelela é que ela oferece muitas possibilidades ricas.

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.