FYI.

This story is over 5 years old.

A Experiência com Jalapeño que Quase Causou o “Apocalipse do Sriracha”

Quando um departamento de controle dos EUA decide moer muitas pimentas em sua própria cozinha, muita coisa pode dar errado.
Crédito: Flickr/Memphis CVB

A fábrica californiana do molho de pimenta sriracha mais famoso do mundo quase foi fechada no início desse ano. Um dos principais motivos foi uma experiência científica amadora que ocorreu na copa de um laboratório envolvendo moedores e pimentas jalapeños.

Quase perdemos o sriracha da Huy Fong Foods, tudo graças a uma burocracia provinciana que poderia fazer parte de um episódio de Parks and Recreation. Um dos outros motivos foi a série de receitas perigosas de molho de pimenta testadas a mando do conselho municipal da cidadezinha de Irwindale: o objetivo era avaliar a qualidade do ar da região onde o delicioso molho de pimenta é fabricado.

Publicidade

A saga, que começou em outubro do ano passado e terminou em maio desse ano, está registrada em emails e memorandos trocados entre membros do conselho de Irwindale e representantes da Huy Fong Foods. Esses documentos foram todos obtidos legalmente com ajuda do Muckrock, de acordo com a Lei de Liberdade de Informação dos EUA. Essa treta recebeu a alcunha de "Apocalipse do Sriracha", e todo mundo ficou meio tenso enquanto ela rolava.

Relembrando: um juiz mandou fechar a fábrica temporariamente após alguns moradores da cidade reclamarem do odor constante de alho e pimenta que empesteava a cidade – um homem chegou a dizer que tinha "começado a notar algumas partículas vermelhas em sua piscina".

Os "métodos" utilizados nas experiências. Crédito: Cidade de Irwindale

Para testar a segurança do processo de moagem de pimentas, o Departamento de Controle de Qualidade do Ar da Costa Sul dos EUA resolveu moer pimentas – porém em sua própria cozinha, não na fábrica em questão (o experimento não foi feito na época correta de moagem de pimenta).

Em uma apresentação preparada para o conselho municipal, o departamento deu os detalhes de sua "experiência de moagem de pimentas jalapeño", na qual os cientista pegaram um quilo e meio de pimentas jalapeño verdes e as moeram com um moedor manual “para simular o processo de moagem”; após isso eles utilizaram um processador de alimentos "para simular ambos os processos de moagem e de mistura". Nas experiências seguintes os pesquisadores incluíram um pouco de vinagre a gosto.

Publicidade

Os pesquisadores acrescentaram que a fábrica da Huy Fong processa quase 50 milhões de jalapeños vermelhas por ano, mas acharam que talvez um quilo e meio de jalapenõs verdes desse na mesma.

No final eles descobriram que quando você faz uma pasta de pimenta em um processador de comida (moendo a pimenta e acrescentando um pouco de vinagre), o número de partículas presentes na cozinha do laboratório “aumenta consideravelmente”. O aumento foi maior, porém, quando eles chegaram mais perto de fazer um molho de pimenta, usando jalapeños, vinagre, alho e açúcar. Se você estiver ficando com fome, saiba que não é o único.

Os resultados do teste –a caixa vermelha mostra os níveis de partículas vermelhas. Crédito: Conselho de Irwindale

Não devemos ignorar o fator ridículo dessa situação: o Departamento de Controle de Ar dos EUA mediu os níveis de partículas em uma cozinha qualquer após um processo de moagem completamente diferente do processo que ocorre na Huy Fong Foods. A experiência foi feita em uma escala muito pequena e sem nenhum dos sistemas de filtração comumente presentes em fábricas alimentícias. Esses pesquisadores mediram o nível de partículas presentes nas imediações do processador; os moradores que reclamaram do cheiro de pimenta não estavam dentro da fábrica.

De qualquer forma, o final dessa história foi feliz – o conselho e a Huy Fong Foods criaram um acordo no começo do ano que garantia a estadia da fábrica na cidade, em parte porque a empresa estava sendo cortejada por outras cidades de outros estados.

Pelo menos os inspetores levaram um bom tanto de molho de pimenta para casa.

Tradução: Ananda Pieratti