Meio Ambiente

Bolsonaro espalha teorias conspiratórias sobre os incêndios na Amazônia

Jair Bolsonaro disse que passou de “capitão motosserra a Nero” e inventou culpa de ONGs ambientais pelo enorme incêndio florestal.
22.8.19
amazonia queimadas
Imagem de satélite da NASA de 13 de agosto de 2019 mostra vários focos de incêndio na floresta Amazônica brasileira. (NASA via AP)

A Amazônia está pegando fogo (e dá pra ver do espaço), e o presidente Jair Bolsonaro está alimentando uma teoria da conspiração que joga a culpa em ONGs dedicadas a proteger a floresta tropical. Ele disse que os grupos iniciaram os incêndios para “chamar atenção contra mim, contra o governo brasileiro”, mesmo sem qualquer prova disso.

Os incêndios florestais chamaram atenção do mundo esta semana depois que a fumaça ajudou a jogar São Paulo na escuridão no meio do dia. E enquanto fogo iniciado por fazendeiros para limpar a terra possa ser o culpado pela Amazônia em chamas, Bolsonaro – cujo apoio ao desmatamento diante de protestos ambientais lhe rendeu o apelido de “Capitão Motosserra” – resolveu culpar as ONGs.

Publicidade

“A questão da queimada na Amazônia, que no meu entender pode ter sido potencializada por ONGs, porque eles perderam grana, qual é a intenção? Trazer problemas para o Brasil”, ele disse.

Pelo Facebook Live na quarta-feira, perguntaram a Bolsonaro se ele tinha alguma prova de que a culpa era das ONGs. Ele disse que “não tinha um plano escrito” para apoiar essa alegação e que “não é assim que se faz”, segundo a Al Jazira.

As ONGs no Brasil logo responderam à teoria da conspiração de Bolsonaro. “Essa é uma declaração doente”, disse Marcio Astrini, coordenador de políticas públicas do Greenpeace no Brasil. “O aumento do desmatamento e queimadas são resultado da política anti-ambiental dele.”

Em sua campanha, Bolsonaro defendeu diminuir restrições de desmatamento para promover interesses comerciais, e como presidente, ele fez exatamente isso. Desde que assumiu em janeiro, a Amazônia perdeu cerca de 3.400 quilômetros quadrados de floresta, o que representa um aumento de 39% sobre o mesmo período do ano passado.

Camila Veiga, da Associação Brasileira de ONGs, disse a AFP que “os incêndios são a consequência de uma política de devastação ambiental, de apoio ao agronegócio, do aumento de pastos”.

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais do Brasil disse esta semana que houve 74.155 queimadas no país este ano, a maioria na Amazônia. Isso representa um aumento de 80% sobre o ano passado.

É difícil apontar como cada incêndio começou, mas a maioria das especialistas concorda que a culpa é dos humanos. Christian Poirier, diretor de programas da Amazon Watch, afirma que as queimadas foram iniciadas por criadores de gado e madeireiros limpando terras.

Publicidade

“A maioria desses incêndios foi provocado por humanos”, Poirier disse a CNN.

E enquanto Bolsonaro culpa as ONGs sem provas, há muita evidência de que ele incentivou aqueles que querem desmatar a Amazônia.

O INEP mostrou um enorme aumento do desmatamento apenas nos últimos meses – e Bolsonaro chamou esses dados de mentira.

“Você tem que entender que a Amazônia é do Brasil, não de vocês”, Bolsonaro disse para um grupo de jornalistas estrangeiros mês passado. “Se toda a devastação que vocês nos acusam de fazer tivesse sido feita no passado, a Amazônia não existiriam mais, seria um grande deserto.”

Matéria originalmente publicada na VICE News.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tradução do inglês por Marina Schnoor