Este artigo tem mais de 5 anos.
Fotos

Quem é que se lembra de ir com uma máscara de gás para um acidente de comboios?

O momento WTF do dia.

Por Ruben Laranjeira
23 Janeiro 2013, 4:30pm

Já não é novidade para ninguém (a menos que tenhas andado a dormir numa gruta durante os últimos dois dias) que em Granja do Ulmeiro, estação de Alfarelos, dois comboios colidiram com um grande estardalhaço. Ficámos contentes que não tenha havido vítimas, até porque, há bocado, recebemos um email bastante curioso: o Ruben Laranjeira, fotógrafo que mora em Viana do Castelo, enviou-nos umas fotografias do local do acidente. Mas, afinal, quem é que se lembra de usar uma máscara de gás no cenário de um acidente de comboios? O Ruben.

Ele explica-nos melhor: "Como é óbvio, tenho interesse por fotografia, principalmente por fotografia com algum carácter dramático, ou inédito. Quando vi o acidente na televisão, percebi que [o local do acidente] era perto da casa dos meus pais. Peguei na minha máquina e decidi ir até Coimbra, onde me encontrei com o meu irmão para que este me tirasse umas fotos no meio dos escombros do acidente. Quando chegámos ao local, o acesso principal estava vedado pela polícia. Aquilo estava cheio de curiosos e de repórteres por todos os lados. A polícia tentava manter a ordem, para que a limpeza do ponto de acidente seguisse. Então, eu e o meu irmão tentámos arranjar um outro sítio, em que desse para subir para a linha e fazer o percurso a pé até ao local do acidente. Foi o que fizemos e percorremos uns 500 metros pela linha, de câmara na mão. Como pensaram que éramos fotógrafos de um qualquer jornal, deixaram-nos em paz. Chegámos lá e tirámos todas as fotos que eu tinha pensado antes de sair de casa. Foi um timing mesmo muito louco, porque não choveu durante essa meia hora (mas choveu durante o dia todo). Ninguém nos mandou embora, estava tudo por nossa conta. O ambiente era um pouco pesado, apesar de ninguém ter morrido, mas estes sítios impõem sempre respeito. Depois de tirar as fotos todas, alguém da CP mandou-nos embora educadamente, para que continuassem os trabalhos de limpeza. Quando chegámos ao carro para bazar, começou a chover."