Outros

Teria Walt Whitman feito nudes?

No aniversário de 198 anos do poeta norte-americano, historiadores analisam fotos que poderiam ser as nudes de Whitman.

Esta matéria foi originalmente publicada no Broadly .

Como a maioria dos homens homossexuais modernos, sou um connoisseur de nudes. Elas são a língua franca dos nossos dias, as cartas na mesa da geração Grindr. Uma boa foto pode te levar longe, e por isso muitos homens maquiam as suas, deixando os destinatários comparando padrões de pelos, tatuagens parcialmente cortadas e outras marcas pessoais.

Com todo meu conhecimento no assunto, decidi embarcar numa missão complexa: verificar um pinto de 141 anos, fotografado por Thomas Eakins, que pode — ou não — pertencer a Walt Whitman.

Publicidade

Se você só leu citações de Whitman, provavelmente não soube que o principal poeta do Brooklyn era um grande safado. Seu épico, Folhas na Relva, é um dos livros de poesia mais eróticos já escritos. Ele amava nudez, sexo e todos os desejos do corpo. Ou como ele escreve em "Canção de Mim Mesmo" de Folhas na Relva:

Acredito na carne e nos apetites,
Ver, ouvir, sentir, são milagres, e cada parte de mim é um milagre.

Divino sou por dentro e por fora, e torno sagrado tudo que toco e tudo por que sou tocado,
O cheiro dessas axilas é mais fino que orações,
Essa cabeça mais que igrejas, bíblias e todos os credos.

Se devo adorar uma coisa mais que as outras, é a propagação do meu próprio corpo, ou de qualquer parte dele…

Esse trecho deve ser a lista mais lírica de coisas que dão tesão. Whitman era um apóstolo da nudez mesmo em situações não sexuais, em Specimen Days, uma coleção de pensamentos e diários que ele publicou mais no final da vida, ele escreveu sobre como tinha orgulho de seu corpo.

É improvável que ele fosse se opor a posar nu para fotos, especialmente para um artista renomado como Thomas Eakins. A misteriosa nude em questão, na verdade, é um grupo de sete fotos em preto e branco, nas quais vemos um homem tipo Gandalf girando como um frango de rotisseria: de frente, de perfil e de costas. É um dos muitos estudos fisionômicos que Eakins fez na vida, e contém o modelo mais velho, de longe, de toda sua obra. O modelo não projeta nem modéstia nem orgulho. Ele simplesmente permite que a câmera catalogue seu corpo. No geral, a imagem preenche todos os requisitos para ser Whitman: dois braços, duas pernas, uma barba branca comprida e uma piroca simpática.

Publicidade

Mas seria mesmo ele? Eakins não rotulou as fotos ("velho", ele anotou simplesmente), e sob um olhar atento, o rosto parece inconclusivo. Parece Whitman, claro. Mas seria mesmo ele?

Thomas Eakins, J. Paul Getty Museum, Malibu, Califórnia.

Para tentar responder essa dúvida, consultei alguns especialistas. Comecei com Karen Karbiener, professora especializada em Whitman da NYU que também promove tours pelo "Brooklyn de Walt" quando o tempo está bom. Entre as aulas, ela analisou o pau de Whitman em seu escritório.

"Na primeira página de Canção de Mim Mesmo, ele diz 'estarei sem disfarces e nu', e aqui está ele!", ela disse, rindo enquanto baixava a foto em seu computador. "A altura combina", ela murmura. "Ele tinha cerca de 1,80 metro, nunca teve uma barriga grande, sempre esteve em forma mesmo quando mais velho… Não vi muitos homens de 80 anos nus na vida, mas presumo que essa é uma boa forma para um homem de 80 anos!"

A foto não só combina com o que sabemos sobre Whitman fisicamente, diz Karbiener, mas também energicamente. Whitman foi um dos homens mais fotografados do século 19, e ele gostava de novas tecnologias em geral. Na verdade, há um mistério similar no cânone de Whitman envolvendo uma gravação primordial de Edison com alguém (provavelmente Walt) declamando um verso de "América".

"Acho que Walt não teria vergonha de posar assim", disse Karbeiner depois de analisar as fotos. "Especialmente para Eakins. Há afeição e respeito mútuos aqui."

Publicidade

Eakins e Whitman se conheceram por volta de 1887, segundo livros mantidos pelo secretário de Whitman, Horace Traubel. Os dois eram artistas de alto calibre e amantes de homens jovens e viris; críticos acham que a passagem "28 Homens se Banhando na Praia" em Canção de Mim Mesmo inspirou Eakins a pintar The Swimming Hole. Logo depois do primeiro encontro deles, Eakins começou a pintar um retrato de Whitman, e é possível que essas fotos nuas fossem estudos para a pintura.

Ed Folson, estudioso de Whitman e codiretor do Walt Whitman Archive, apontou que o timing faria sentido, escrevendo para o Walt Whitman Quaterly que "em 1887, Whitman estava com boa saúde (depois de se recuperar de um pequeno derrame) e estava ocupado posando para vários artistas, incluindo Eakins, Gilchrist, Sidney Morse e J. W. Alexander".

Ainda assim, Folson prefere não fazer apostas, e não diz realmente que o modelo seria Whitman. Em 1997, Folson levou as fotos para um neurologista, esperando descobrir se elas continham evidências dos derrames e outras doenças que afligiram Whitman no final da vida. Mas esses resultados neurológicos também foram inconclusivos. Apesar da galeria digital Walt Whitman Archives incluir a imagens, eles apontam que o modelo pode ou não ser ele.

"Seja lá quem for, a foto mostra a coisa sobre a qual Whitman estava escrevendo: a adoração absoluta do corpo."

"As pessoas não querem se arriscar", Karbiener disse quando discutimos a falta de consenso entre os especialistas. Provavelmente não há como saber, a não ser que textos de Whitman reapareçam (o que não é impossível, considerando a descoberta recente de um de seus manuscritos perdidos). Mas talvez a origem da foto não importe.

"Essa é a abordagem que tomo quando ensino isso", disse Karbiener ao final da nossa discussão. "Seja lá quem for, a foto mostra a coisa sobre a qual Whitman estava escrevendo: a adoração absoluta do corpo."

Se Whitman fosse vivo hoje, talvez aquela foto agraciasse seu perfil no Grindr. Alguns podem achar indecoroso comemorar os 198 anos de um tesouro da literatura norte-americana com uma investigação de suas nudes, mas é algo que combina estranhamente com Whitman. Esse homem que amava quebra-cabeças, novas tecnologias e — sim — o pênis. Ele se deleitava com seu corpo, e esfregava isso na cara da moralidade vitoriana. Compartilhar essa foto, seja ou não o próprio Whitman, talvez seja a coisa mais Whitman para fazer em seu aniversário.

Tradução: Marina Schnoor

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.