comportamento

O que o brasileiro gosta de fazer no busão

Distribuir likes no Instagram, olhar o Zap alheio, fazer planos com a @.
21.6.18
Imagem: Reprodução / TV Globo

Eu, morador da Grande São Paulo, que me desloco diariamente de Osasco a São Paulo para trabalhar, encontrar os amigos ou comprar umas brusinhas, não saberia o que seria de mim, mero mortal, sem o ônibus, ou Mercedão para os íntimos.

Não vou negar que prefiro mil vezes andar de busão do que pegar um carro, isso nos dias comuns ou quando estou com o bonde formado. Quem é que nunca sonhou em ter o bilhete do transporte público com milhares de Reais para poder andar por aí livre, leve e solto? Choices.

Publicidade

Para aqueles que assim como eu preferem dar sinal, pensar alto: "Vai, motorista, acelera" ou "Ó, cobrador, vai descer" do que fazer a Angélica, compilamos as melhores artimanhas para serem feitas no ônibus. Olha só:

Primeiramente, sentar

Passar a catraca e ver que existe um lugar sobrando não tem preço. E ainda tem momentos tão únicos, quando está sobrando apenas um lugar e você se sente agraciado por poder chegar e sentar – o que também acontece quando o busão vira seu táxi particular e você vai sozinho com o cobrador e o motora.

Distribuir like no Instagram

Enquanto o busão segue o seu caminho, você tira um tempo para rolar na timeline do Facebook, distribuir likes a rodo no Instagram ou publicar aquele tuíte de como está sendo seu dia.

A bolha do fone de ouvido

Fones de ouvido servem como armadura de proteção para evitar qualquer papo desnecessário, além de sua principal função para botar aquele som que não sai da playlist e serve certinho como trilha sonora do trajeto.

Matar a fome

Vocês também passam numa banquinha ou doceria antes de entrar no busão para garantir aquela estapeada no estômago? Pois bem. Seja doce, salgadinho, um dogão, um cafezinho, um espetinho de carne ou umas esfirras, tá tudo liberado. Um pão de queijo salvador, um iogurte para garantir que você encare o dia e chegue pronto aonde for. Claro que quem estiver próximo não sentirá a mesma alegria e prazer.

Ler e evitar semi-desconhecidos

Dá para ler tanto em pé, quanto sentado. Tem a mesma força de criar uma bolha para que ninguém te incomode durante o percurso (quem não tem pânico de semi-conhecidos?) e, ainda, aproveita para exercitar a máquina cerebral. PENA QUE NÃO DÁ PRA LER DEITADO.

Dar um tapinha na make

Oi, meninas, tudo bom!? No vídeo de hoje vamos falar sobre maquiagem no ônibus. Tudo anda sempre corrido, quase não temos tempo e de repente você senta e se depara com uma cara pálida, amassada ou com sono e a única salvação é passar aquele pó compacto e um rimelzinho para garantir sua saída de casa.

Debulhar-se em lágrimas

É isso, não precisa estar triste para chorar, mas pode ser umas também. A janela do busão pode ser o melhor ombro de muita gente. Tem lances que você olha para o horizonte, escuta aquela música que toca lá no fundo e de repente você está com o rosto e a roupa molhada. O vazio do transporte público (mesmo ele estrombado de gente), nos permite liberar geral e soltar nossas emoções. Leve o lencinho.

Bisbilhotar o Zap (alheio)

A curiosidade está entre as necessidades básicas da humanidade. Existem momentos em que você está tão concentrado no papo alheio que só percebe tal proeza quando alguém deixa o lugar e sai. Ou mesmo quando o assunto morre. A cada escuta, a ansiedade bate para descobrir o desfecho da história. Socorro. Ah, também não vamos negar que sempre vale aquela espiadinha no celular do colega ao lado para ver o que está rolando de tão interesse que não o faz largar o celular.

Distender as pálpebras

O conforto do ônibus permite que você reponha suas energias durante o seu trajeto. O balanço, o aconchego e até a janela, se tornam um ambiente propício para dormir. Sucesso é quando a gente acorda no desespero achando que o ponto de desembarque já passou, mas na real é o próximo. Mancada é quando não percebemos e estamos lindamente babando no ombro do outro ou no nosso.

Fazer nada

Entrar ou esperar na frente. Passar o bilhete na catraca. Esperar no corredor ou sentar. Dar sinal e descer. Apenas.

Bolar uns planos com a @

Aqueles momentos de contemplação, quando você se percebe fazendo altos planos com a @, pensando em como tudo seria mais fácil se você não estivesse sentando na poltrona do busão e vivendo a vida que sempre sonhou. Vem que esse momento é seu.

Jogar uma partidinha

Caçar pokémons durante o trajeto, uma batalha no Crash Royale ou até mesmo uma jogada no Candy Crush, Tetris ou joguinhos da cobrinha. É inevitável. A ansiedade e o ócio estão de mãos dadas e a única solução é jogar.

Zoar com a galera do rolê

Colar com os amigos no busão é sempre um bang muito 10/10. Também tem aqueles momentos que tá todo mundo chapado e um tentando salvar o outro, não deixar dormir, muito menos perder o ponto. Qualquer lance se torna piada, é uma euforia que só nesse contexto é possível ter.

Descer e seguir a vida

Auto-explicativo.

Siga o Bruno Costa no Twitter.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.