Esta história é mais de 5 anos de idade.
Tecnologia

Fanzines

Por equipe VICE.

por VICE Staff
04 Novembro 2009, 2:00am

ANTIUSUAL
Cx. Postal 95042. 25241-970. 
Duque de Caxias, RJ.

Uma verdadeira usina de zines, aglutinador de talentos, desenhista e escritor de histórias surpreendentes e emocionantes, o Alberto Monteiro segue produzindo zines com a facilidade com que algumas pessoas mentem no horário nobre. O Antiusual 10 traz o usual coquetel “não tão claro mas direto” de HQs, textos e viagens gráficas. Mas é apenas um dos zines que o A.M. lançou nos últimos meses: de Autisaide, JAMd JEK e colaborações várias em zines do Maranhão a Pelotas. Dono de um desenho tortuoso, corajoso no uso de brancos, pretos e texturas, com composições inesperadas e climas nihilistas, ele ainda serve de estímulo aos fanzineiros que querem arriscar fazendo quadrinhos nessa terra sem lei: Law, C.M.S.M., Kleber, Ricardo Borges. A imprensa brasileira é meio cega, mas com certeza não vão deixar esse sujeito passar em brancas nuvens. Quando ele ficar rico espero que me convide pra tomar banho na sua piscina.


 


QUOI! LE FLAMMES DÉJÀ?
Rua Osvaldo Cruz, 2480. 60125-151. 
Fortaleza, CEChame os bombeiros, o sol do Nordeste causa danos. “Você sabia que fazer zine é uma operação cansativa, irritante (...)? E que toda essa badalação idiota do tipo: faça você mesmo (...), alternativo, imprensa marginal e o diabo não passa de papo furado?” São as palavras de abertura do Quintino, o editor. O sonho acabou. E ele responde mandando uma série de quadrinhos dementes do pessoal mais demente de Fortaleza. Há salvação através do fogo, parece.

 


NOVO HUMANÓIDE
Rua Adolfo Aveiro, 234. 96077-520. Pelotas, RS

“Novos humanóides não existem, mas se você identificar algum andando por aí, mate-o antes que ele fuja!” Bom conselho, Sr. Law. Law é velho de guerra e nesse zine ele agrupa humanóides fanzineiros de várias tendências experimentais, uma turma de respeito.Desenhos e textos apavorantes congelados pelo vento cortante do extremo Sul. Aquela velha vontade de morrer afogado em nanquim muito adequada para nosso futuro negro.

 


INTERURBANO A COBRAR
Cx. Postal 1363. 01059-970. São Paulo, SP.

Um verdadeiro allt-star zine começando pela editora Cynthia V., mestre das pinturas e colagens, e os colaboradores Célus, Jaca e MZK. A edição número 3 é dedicada ao sonambulismo, esta prática tão comum entre os jovens de 7 a 77 anos.

 


CANDYLAND
Rua Caetés, 878/23. 05016-081. São Paulo, SP

Quadrinista é teimoso. Acabaram-se as revistas e eles continuam surgindo aos montes. Os velhos suplementos de quadrinhos não existem mais, e eles vão lá e fazem um zine xerocado maior que tablóide. O mundo parece que vai acabar e eles não tão nem aí. Guilherme e Olavo fazem exatamente isso, falam do mundo que está se desintegrando num liquidificador num zine tamanho gigante. Um desenha e o outro escreve, o que é raro, e a combinação é perfeita, desenhos diretos e textos imprevisíveis. Os dois também faziam o Luk Skywalker with Diamonds, aventuras sob influência, onde começaram as histórias de Candyland.



 


PINÓIA
Rua Graham Bell, 126/102. 27283-650. 
Volta Redonda, RJ.

“Se você ainda não sabe o que fazer, não faça, apenas veja o que as pessoas estão fazendo. NOW!” Nº3 do zine do Lauro, o agitado autor do Dire, destrutivo personagem de histórias alucinadas. O sujeito desenha muito e as histórias são peculiares, dois mil por hora. O Pinóia é menos quadrinhos e mais zoeira com os amigos Cláudio M.S.M. e A.M. Não estranhe se no envelope vier umas xilos falsas, colagens e experiências gráficas variadas. Fanzine não é só Xerox.


 


SONGS OF INNOCENCE
Rua Antonio Augusto, 632. 60110-370. 
Fortaleza, CE.

Quadrinhos e rock, SM e estricnina. A usina dos zines cearenses se juntou com a banda Dago Red e sacou um zine com a quadrinização de letras das músicas. Weaver é lado obstinado da força, não desiste nunca e está sempre pra esfregar nanquim na cara de todos com aquele traço suculento. Vestido de preto na praia and loving it. Não deixa de pedir o Masturbação, Iogurte & Rock’n’Roll se é que você ainda não tem.




AND
Av. Dr. Altino Arantes, 445. 04042-032. São Paulo, SP.

Traz aquela dose fundamental de MZK, histórias caindo de maduras pra virar livro, uma colagem de textos arrancados de todo lado, Macarrão, A.M., asfalto, Dada, Joacy Jamys, Rap chicano: My gun is loaded, is full of balas (Kid Frost). E esse é só o zine mais recente, tem muito mais de onde vem esse, então manda bastante selo quando for escrever pra ele.


 


TUNA HEAD
Rua Botafogo, 565/203. 90150-050. 
Porto Alegre, RS.

Tão teimoso quanto quadrinista é skatista. Perseguidos por guardinhas e calçamentos mal eles insistem. Os últimos a acreditarem que as ruas podem ser fonte de prazer, enquanto todos se fecham em casamatas, os pixadores e skatistas saem para descobrir o que ainda resta de interessante por aí. E skatistas/fanzineiros tem que ser duplamente teimosos. As fotos são xerocadas, mas e daí? Um zine das ruas para as ruas.

 


CRUNCH
Rua Ministro de Godói, 171/201. 05015-901. 
São Paulo, SP.

Gustavo Arruda nos apresenta tudo que não pode faltar num zine: crônica, quadrinhos (Lonesome Town), pin-ups, figurinhas, receitas (Os petiscos de Doutor Klaus e os Cogumelos de Tia Ann) e figuri-nhas. E dizem que os fanzineiros não sabem o que o público quer. Não sei quem é o Gustavo Arruda.