Publicidade
Noisey

Grunge Jesus: Uma eulogia a Chris Cornell

O vocalista do Soundgarden foi um ícone do rock, detentor de uma das vozes mais incríveis que já ouvimos. Sua memória segue viva em meio aos fãs de grunge.

por Jeff Weiss
22 Maio 2017, 10:20pm

Texto originalmente publicado Noisey US.

O grunge é um gênero com um nome perfeito. Resumindo, o termo conjura em imediatamente uma constelação de imundície sem qualquer traço de luz. Guitarras lodosas, uivos primais e blusas de flanela de brechó, cimentando o monopólio dos roqueiros tristes de Seattle sobre as aspirações adolescentes de quase toda uma geração — o que acabou gerando centenas de milhares de tatuagens terríveis e uma real ameaça de falência para barbeiros e salões de beleza por todo o mundo.

Todo e qualquer gênero musical é, em parte, ficção. Mas alguns parecem mais verdadeiros que outros. O Soundgarden apresentava uma espécie de grunge platônico — fabuloso, digno de bater cabeça, uma esponja para os surtos violentos de frustração adolescente. Em 1991, seu vocalista Chris Cornell, à época com 27 anos, afirmou não ter nenhum dia em que não sentisse raiva. Cornell faleceu na última quinta (18), aos 52 anos de idade, com poucas folgas dessa cólera ao longo destas últimas décadas.

Leia o texto completo no Noisey.