Boletim Matutino da VICE - 14/6/2019

Tudo o que você precisa saber sobre o mundo esta manhã com curadoria da VICE.

|
14 Junho 2019, 3:09pm

Reprodução

Brasil

Greve contra Reforma da Previdência promove paralisações em todo o país

Cidades brasileiras registram protestos e paralisações em serviços públicos na manhã desta sexta-feira (14). Trabalhadores cruzaram os braços contra os cortes do governo na educação e a reforma da Previdência. Os 26 estados e o DF foram afetados. No início da manhã, os efeitos da paralisação eram sentidos nas grandes cidades principalmente no transporte público e com o fechamento de vias. Somente parte das linhas de ônibus, trem ou metrô funcionavam em capitais como São Paulo, João Pessoa, Curitiba, Maceió e Salvador. No Rio, protestos bloquearam vias da cidade. – G1

Bolsonaro demite general Santos Cruz, ministro da Secretaria de Governo

O presidente Jair Bolsonaro demitiu nesta quinta-feira (13) o ministro da Secretaria de Governo, general da reserva Santos Cruz, que foi alvo de ataques de Olavo de Carvalho e do vereador Carlos Bolsonaro, filho do presidente. Santos Cruz cumpria agenda normalmente. Pela manhã, atendeu à convocação do Senado, e foi à comissão de transparência explicar a divulgação de um vídeo com apologia ao golpe militar de 1964. Na saída, ao falar com a imprensa, defendeu o colega da Justiça, Sérgio Moro. Horas depois, Santos Cruz teve audiência com o presidente Jair Bolsonaro. Foi aí que ouviu que estava demitido. E Bolsonaro já havia tomado essa decisão há algum tempo. – G1

Bolsonaro diz que vai demitir presidente dos Correios por 'comportamento de sindicalista'

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou nesta sexta-feira (14) que vai demitir o presidente dos Correios, general Juarez Aparecido de Paula Cunha, por ele ter se comportado como "sindicalista". Ao final de um café da manhã com jornalistas, o presidente comentou que deve exonerar Juarez nos próximos dias por seus gestos durante audiência pública na Câmara. Desagradou o presidente o fato de o general ter tirado foto com parlamentares de esquerda e de ter dito que não haverá privatização dos Correios, como é planejado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes. – Folha de S. Paulo

Por 8 votos a 3, STF aprova uso de leis de racismo para punir homofobia

Por 8 votos a 3, o STF Supremo Tribunal Federal aprovou na noite dessta quinta-feira (13) utilizar a Lei do Racismo para punir homotransfobia -- discriminação contra homossexuais e transexuais. A decisão começa a valer uma semana após a publicação da ata do julgamento, o que só deve ocorrer no fim do mês. Trata-se de uma decisão provisória: o texto aprovado diz que a decisão de hoje vale enquanto o Congresso cria leis específicas para o tema - e não há previsão para que isso aconteça. Os ministros entenderam que a Lei Nº 7.716/89, que define os crimes resultantes de discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional, também deve ser aplicada a quem praticar condutas discriminatórias homofóbicas e transfóbicas. – UOL

Bolsonaro se pronuncia pela primeira vez e diz que deu beijo hétero em Moro

Em seu primeiro comentário público sobre o caso de vazamentos que envolveu o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, o presidente Jair Bolsonaro afirmou na manhã desta quinta-feira (13) que houve uma "quebra e invasão criminosa" e elogiou o ex-juiz federal na sua atuação como magistrado. "Olha só, ontem foi o Dia dos Namorados. Em vez de eu chegar em casa e dar um presente para a minha esposa, eu dei um beijo nela. Não é muito melhor? Eu dei um beijo hétero no nosso querido Sergio Moro. Dois beijos héteros. Fomos lá na Marinha com ele", lembrou Bolsonaro. – Meia Hora

Moro tá nem aí: ‘Se quiserem publicar tudo, publiquem. Não tem problema’

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou ao jornal O Estado de S. Paulo nesta quinta-feira (13) que não vai se afastar do cargo. Alvo de vazamento de diálogos com procuradores da Lava Jato, no Telegram, Moro disse que o País está diante de “um crime em andamento”, promovido, conforme sua avaliação, por uma organização criminosa profissional. Moro afirmou que não há riscos de anulação do processo do triplex do Guarujá, que levou à prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O ministro diz não reconhecer a autenticidade das mensagens e desafiou a divulgação completa do material. – O Estado de S. Paulo

Membros do Judiciário alvos de ataques resistem a entregar celulares para investigação

Uma das principais dificuldades que a Polícia Federal enfrenta na investigação dos ataques aos celulares do ministro Sergio Moro, do procurador Deltan Dallagnol e de outras autoridades é o acesso aos aparelhos das vítimas. Investigadores relataram o jornal O Globo que a maioria dos alvos de tentativas de invasão não quer entregar o próprio telefone. Nesses casos, os peritos vão até a vítima e fazem um “espelhamento” dos aparelhos. Por meio dessa técnica, os policiais conseguem extrair grande parte dos dados. A eficácia do trabalho, porém, não é a mesma que a de uma perícia completa no aparelho. – O Globo

Por ordem judicial, Bolsonaro se desculpa por dizer que deputada não merecia ser estuprada

O presidente Jair Bolsonaro publicou nesta quinta-feira (13) em suas redes sociais uma nota de retratação na qual pede desculpas à deputada federal Maria do Rosário (PT-RS), após determinação judicial. Bolsonaro foi condenado por ter afirmado, em 2014 – quando ainda era deputado federal –, que Maria do Rosário não merecia ser estuprada porque a considera "muito feia" e ela não faz o "tipo" dele. Conforme a decisão, o presidente teria que veicular uma nota de retratação, sob pena de multa diária. A Justiça também determinou o pagamento de indenização de R$ 10 mil a Maria do Rosário por danos morais. – G1

Zema quebra promessa de campanha de que secretários não receberiam salário

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), disse que errou ao prometer em campanha que o primeiro escalão do governo não receberia salários e ao criticar o pagamento de jetons —gratificação que secretários recebem por cargos em conselhos de estatais. A declaração foi feita em entrevista à rádio CBN, nesta quarta-feira (12). No final de maio, Zema vetou a emenda da reforma administrativa, aprovada na Assembleia Legislativa, que proibia o pagamento de jetons a secretários. O veto depende de nova análise dos parlamentares. – Folha de S. Paulo

Visitas a Lula não precisarão mais ser agendadas, decide TRF-4

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região aceitou, por unanimidade, recurso da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e afastou a necessidade de agendamento de visitas com uma semana de antecedência. A decisão foi dada em julgamento nesta quarta-feira (12). O recurso da defesa foi contra decisão da 12ª Vara Federal de Curitiba que julgou legal a determinação pela PF (Polícia Federal) de agendamento prévio de uma semana para visitas ao ex-presidente. Segundo o relator, desembargador federal João Pedro Gebran Neto, embora o cadastramento seja condição razoável à realização de visitas e inerente ao controle de visitação de estabelecimentos prisionais, é possível fazê-lo no momento de ingresso na unidade. – Poder 360

Sobe para sete o número de mortes após temporal no Grande Recife

Subiu para sete o número de mortes no Grande Recife depois de deslizamento de barreiras e alagamentos provocados por chuva intensa. Na noite desta quinta (13), bombeiros conseguiram resgatar os corpos de uma mulher e de três crianças, entre elas um bebê de 11 meses. Todos foram soterrados depois da queda de uma barreira no município de Camaragibe, na região metropolitana. Na tarde desta quinta, o corpo de um homem de 40 anos já havia sido localizado no local. Uma mulher foi resgatada com vida. Equipes de resgate ainda tentam localizar um adolescente e uma criança que continuam desaparecidos. – Folha de S. Paulo

Jovem acusa PMs de estupro dentro de viatura no litoral de SP

A Corregedoria da Polícia Militar afastou na quarta-feira (12) dois policiais militares suspeitos de estuprar uma cozinheira de 19 anos dentro de uma viatura na Praia Grande, litoral de São Paulo. O caso é investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher, e um IPM (Inquérito Policial Militar) foi instaurado para investigar a conduta dos PMs. Segundo o Boletim de Ocorrência registrado sobre o caso, a jovem pediu ajuda a dois PMs, de 29 e 26 anos, que estavam próximos ao Litoral Plaza Shopping, na avenida Ayrton Senna da Silva. Após atendê-la, os policiais teriam dado uma carona à cozinheira até o Terminal Rodoviário Tude Bastos, a cerca de 1 km do shopping. No meio do trajeto, segundo o relato, ela foi violentada dentro da viatura. A jovem foi para a casa do sogro e acionou a Polícia Militar para relatar o crime. – UOL

E mais

Produtor musical André Midani morre aos 86 anos no Rio

Morreu na noite de quinta-feira (13) o produtor e músico André Midani aos 86 anos. Um dos maiores ícones da indústria fonográfica, ele foi decisivo para lançamento da bossa nova no Brasil e descobriu grandes cantores. Midani tinha câncer e estava internado na Casa de Saúde São Vicente, na Gávea, na Zona Sul do Rio. A informação foi confirmada pela clínica e pelo filho dele, Phelippe. O velório deve ser fechado para amigos e familiares. Nos anos 1960 e 1970, quando estava no comando da filial brasileira do conglomerado multinacional Phonogram / Philips, que Midani marcou a música brasileira. Lançou artistas como Tim Maia e Raul Seixas. Também trabalhou com Elis Regina, Tom Jobim, Gilberto Gil, Belchior, Hermeto Pascoal, Paulinho da Viola e Ney Matogrosso. Foi um dos responsáveis por divulgar a bossa nova para o mundo. – G1

Jornalista Clóvis Rossi morre aos 76 anos em São Paulo

O jornalista Clóvis Rossi, decano da Redação do jornal Folha de S. Paulo, morreu na madrugada desta sexta (14) em São Paulo. Ele tinha 76 anos e estava em casa, onde se recuperava de infarto tido na semana passada. Deixa mulher, com quem estava havia mais de meio século, três filhos e três netos. Colunista e membro do Conselho Editorial da Folha, Rossi publicou seu último texto na quarta (12), intitulado “Boletim Médico”. Ele era, segundo o jornalista, “uma satisfação devida ao leitor, se é que há algum”. Seu estilo irônico e descontraído continuava no agradecimento aos colegas do jornal. “Até mentiram dizendo que estavam sentindo a minha falta”, escreveu. – Folha de S. Paulo