Fotos

Um gigantesco treinamento militar brasileiro para guerras modernas

O fotógrafo Apu Gomes resgata imagens de como é simular tráfico de drogas, terrorismo, assassinatos e sabotagens no interior de SP.

por Marie Declercq; fotos por Apu Gomes
28 Março 2018, 11:00am

Militar em helicóptero Pantera, utilizado pelo Estado Maior do Exército Brasileiro, sobrevoa a zona rural de Taubaté, no interior de São Paulo, durante simulação de guerra realizada em oitos cidade do Vale do Paraíba em 2012. Foto: Apu Gomes/VICE

O que inicialmente era pra ser uma temporada de férias para o fotógrafo e colaborador da VICE Apu Gomes em Taubaté, São Paulo, acabou virando quase uma semana registrando um dos maiores treinamentos do Exército Brasileiro. Hospedado no sítio de um amigo – que serviu de base principal das operações –, ele acompanhou o treinamento de cerca de quatro mil militares, que aconteceu em diversas cidades da região entre 29 de outubro a 6 de novembro novembro de 2012. Apu só se lembrou dos registros quando as notícias da intervenção militar no Rio de Janeiro começaram a surgir.

O treinamento consistiu na criação de um cenário de conflito entre dois países, batizados de Azul e Marrom, contra o Exército Marrom Verdadeiro (EMV), cujas ações eram focadas no tráfico de drogas, terrorismo, assassinatos e sabotagens de estruturas militares dos países. Segundo a a assessoria de imprensa do Exército, o chamado Exercício Agulhas Negras – Operação Paraibuna contou com a participação de diversas Organizações Militares do Estado de São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás.

Militares tentam evitar atentado suicida em frente ao Fórum do Tribunal de Justiça em São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo durante simulação de Guerra Moderna realizada em oito cidade do Vale do Paraíba em 2012. Foto: Apu Gomes/VICE

A narrativa da operação se dividiu em duas partes, começando com o Governo fictício do país Marrom pedindo ajuda ao Azul para intervir contra o EMV. Assim, as tropas dos azurros ocuparam territórios estratégicos para garantir a mobilidade dos habitantes da região. Na segunda fase, foi o início da chamada Guerra Moderna, onde o exército azul ocupou a região e neutralizou o comando do EMV para estabelecer a paz do país Marrom.

Após dois dias de espera e negociações, o fotógrafo conseguiu a autorização do comando do Exército para fotografar o treinamento nas ruas dos municípios de Caçapava, Taubaté, Jambeiro, Natividade da Serra, Paraibuna, Redenção da Serra, São Luiz do Paraitinga e Tremembé.

Durante os treinamentos, Apu acompanhou negociações com emissários do exército da ONU, neutralizações de homens-bomba e ações nas quais o inimigo está supostamente mesclado com a população. Militares eram encarregados de se vestirem como civis para o exercício. De acordo com o próprio Exército, o “exercício desenvolve capacidades para atuar em cenários contemporâneos complexos, envolvendo conflitos armados ou não, buscando proteger populações civis envolvidas, bem como neutralizar as ações das forças oponentes”.

Em 2017, o mesmo exercício do Agulhas Negras chegou na sua 22º edição e, segundo o mesmo, “tem a oportunidade de trabalhar suas Unidades subordinadas em conjunto”.

Saque mais fotos do treinamento registrado pelo fotógrafo.

TAUBATE, SP, BRASIL, 01-11-2012, GUERRA MODERNA - Militares montam guarda em frente a lança morteiro em um acampamento improvisado na zona rural de Taubaté, no interior de Sãoo Paulo durante simulação de Guerra realizada em oitos cidade do Vale do Paraíba em 2012. Foto: Apu Gomes/VICE .
Militares montam guarda em frente a lança morteiro em um acampamento improvisado na zona rural de Taubaté. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militar em helicóptero Pantera, utilizado pelo Estado Maior do exercito Brasileiro sobrevoa a zona rural de Taubaté. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares patrulham ruas da cidade de Natividade da Serra. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares no centro histórico de São Luiz do Paraitinga. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares tomam posição para proteger o Fórum do Tribunal de Justiça em São Luiz do Paraitinga. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares simulam encontro entre líder rebelde (esq) e negociador das Nações Unidas- ONU (dir) em um Fórum do Tribunal de Justiça em São Luiz do Paraitinga. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares simulam escolta de líder rebelde (camisa clara) e negociador das Nações Unidas- ONU (quepe azul) em um Fórum do Tribunal de Justiça em São Luiz do Paraitinga. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares tomam posição entre morados na ruas do centro histórico de São Luiz do Paraitinga. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares tentam evitar atentado suicida em frente ao Fórum do Tribunal de Justiça em São Luiz do Paraitinga. Foto: Apu Gomes/VICE.
Comboio Militar em deslocamento na zona rural de Natividade da Serra. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares tomam posição durante deslocamento para localizar inimigos e minas terrestres na zona rural de Natividade da Serra. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares tomam posição durante deslocamento para localizar inimigos e minas terrestres na zona rural de Natividade da Serra. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares tomam posição durante deslocamento para localizar inimigos e minas terrestres na zona rural de Natividade da Serra.

Militares tomam posição durante deslocamento para localizar inimigos e minas terrestres na zona rural de Natividade da Serra. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares tomam posição durante deslocamento para localizar inimigos na zona rural de Natividade da Serra. Foto: Apu Gomes/VICE.
Militares em deslocamento para localizar inimigos na zona rural de Natividade da Serra. Foto: Apu Gomes/VICE
Militares tentam localizar minas terrestre na zona rural de Natividade da Serra. Foto: Apu Gomes/VICE
Militares tentam localizar minas terrestre na zona rural de Natividade da Serra. Foto: Apu Gomes/VICE
Moradores da região de Natividade da Serra passam por Pelotão do Exército em exercício na zona rural da cidade no interior de São Paulo durante. Foto: Apu Gomes/VICE