Foto: Willian Machado​

Fotos de b-boys e b-girls em mais de uma década de dança de rua no Brasil

Uma exposição do trabalho de anos do primeiro fotógrafo a documentar sistematicamente os b-boys e b-girls brasileiros.

|
15 Março 2016, 6:00pm

Foto: Willian Machado​

Em 2004, dentre os alunos do lendário Mr. Kokada estava o então pequeno aprendiz de b-boy Willian Machado. A molecada mais velha da rua que era aluna do mestre já estava arrebentando no breaking, um pouco de Thaide nos falantes e o jovem de 14 anos se envolveu com a cena.

Depois de anos e uma longa caminhada, em 2013, na conhecida Jam Olido, no centro de São Paulo, ele se torna o primeiro fotógrafo a documentar sistematicamente os b-boys brasileiros. Um resumo de todos esses anos está na exposição "O Breaking", que abre dia 15 de março (hoje) na Fábrica de Cultura do Jaçanã, zona norte de São Paulo.

Zé The King. Foto: Willian Machado


A VICE bateu um belo papo com o Willian sobre b-boys, fotografia, e, de quebra, descolou umas fotos para dar mais vontade de colar. Saca só:


VICE: Você pode se apresentar?
Willian Machado: Meu nome é Willian Machado, tenho 25 anos, sou fotógrafo profissional, pioneiro na fotografia de breaking no Brasil, e faço parte do time de artistas patrocinados pela New Era, também patrocinadora da exposição.

VICE: De onde vem seu envolvimento com os b-boys? E de onde surgiu a ideia da documentação?
Meu envolvimento com os b-boys vem de meados de 2004, com os alunos do saudoso Mr. Kokada. Os moleques mais velhos da minha rua eram alunos dele.

Em 2012, me tornei fotógrafo profissional e comecei a analisar o cenário de Breaking no Brasil. Vi que não tinha profissionais especializados. Chamei meu amigo filmmaker Daniel Souza e fomos estudar os gringos para saber como era feito lá fora. Nossas referências eram Little Shao (fotógrafo), Nika Kramer (fotógrafa) e YAK Films.

Aranha. Foto: Willian Machado

Em 2013, cobrimos a Jam Olido e, logo em seguida, o Racha na Arena. A aceitação do público foi imediata. Era uma novidade ter fotografias de breaking com qualidade e um trailer do evento com finalização cinematográfica.

Em 2014, fotografei o Racha na Arena, o BC One, o Cypher Brazil e, logo em seguida, eu já era fotógrafo oficial da Freestyle Session Brazil. Era um sonho se realizando: conhecer os melhores b-boys do mundo. A fotografia me proporcionou isso.

Eu busco colocar os b-boys e b-girls no ápice de seus movimentos. Eu via expressões e detalhes em seus movimentos que, aos olhos do público, passavam despercebidos. Não penso só como fotógrafo, penso como b-boy, como atleta. Todos nós queremos uma fotografia maravilhosa do movimento que estamos fazendo ou da manobra que estamos executando.

Hoje em dia eu inspiro outros fotógrafos e fico orgulhoso em saber que consegui abrir novos horizontes para novos talentos da fotografia e da dança.

VICE: Quem são os b-boys brasileiros que você mais admira?
A fotografia de breaking me proporcionou conhecer tantos b-boys e b-girls que se eu for citar cada um deles a lista seria interminável. Posso citar grandes crews: Tsunami All Stars, Funkfockers e Killarockers que representam bem o Brasil, mas eu admiro todos os b-boys e b-girls de um modo geral. Eu sei o quanto é difícil "bater osso" ali no chão. A antiga geração e a nova geração me inspiram a cada dia.

Gerson Afrobreak. Foto: Willian Machado

VICE: O que é a exposição que você está fazendo e o que a galera pode esperar das conversas que vão rolar contigo?
A Exposição "O Breaking" é composta por fotografias de b-boys e b-girls em batalhas, cyphers, sessions e stances. Eu a criei em 2014, e foi a primeira exposição fotográfica de breaking da América Latina. A cada ano ela fica exposta em algum ponto cultural do Estado de São Paulo.

A exposição traz as obras impressas em tamanho grande para que o público possa ver os detalhes dos movimentos de cada b-boy e b-girl.

Harry. Foto: Willian Machado

Em 2014 e 2015, a exposição veio acompanhada apenas de palestras sobre o processo fotográfico.

Para esse ano, a exposição, além de conter fotografias inéditas, vem acompanhada de duas palestras ministradas por mim e pelo Alan Rodrigues com os temas "Marketing para Atletas", voltada ao publico da dança para conquista de patrocínios, e "Como realizar teus sonhos" voltada para todos os públicos.

A exposição também contará com um workshop de breaking ministrado pelo b-boy Grilo.

Tudo de graça. Nossa missão é levar conhecimento cultural e empresarial ao público para que todos possam ter a oportunidade de realizar seus sonhos.

Exposição O Breaking

Local: Fabrica de Cultura do Jaçana.
Rua Raimundo Eduardo da Silva, 138 - Jova Rural
Horário de funcionamento: das 9h às 21h
Telefone: (11) 2249-8010
Abertura da exposição: 15/03/2016
Encerramento da exposição: 31/03/2016
Programação Especial
Palestras:
Willian Machado às 14h
Alan Rodrigues às 14h20h

Workshop 22/03
B-boy Grilo às 14h50


Siga o Willian no Instagram e no Facebook.

Siga a VICE Brasil no
Facebook, Twitter e Instagram.