Noticias

A irmã de Kim Jong Un pode substitui-lo se ele morrer. Quem é Kim Yo Jong?

Pouco se sabe sobre a mulher de 32 anos que é a assessora mais próxima de Kim Jong Un. Será que ela pode se tornar a nova Líder Suprema?
23 Abril 2020, 11:51am
Kim Yo Jong, irmã do líder da Coreia do Norte Kim Jong Un, numa cerimônia fúnebre no Mausoléu de Ho Chi Minh em Hanói, 2 de março de 2019. (Foto: JORGE SILVA/AFP via Getty Images.)

Recentemente oficiais da inteligência dos EUA bradaram que Kim Jong Un está à beira da morte. Segundo oficiais da Coreia do Sul, ele não está. Segundo a Coreia do Norte, nada está acontecendo, circulando.

A verdade é que ninguém fora do pequeno grupo da elite norte-coreana no poder sabe se Kim está mal nem quão mal. Mas há rumores sobre a saúde do ditador desde o ano passado, e considerando que ele é obeso e o histórico da família de doenças cardíacas, não é surpresa que a atenção agora esteja se voltando para seu sucessor.

E boa parte da atenção está sobre a irmã de Kim, Kim Yo Jong.

Especialistas com quem a VICE News falou estão divididos sobre a possibilidade de Yo Jong se tornar Líder Suprema. Alguns acreditam que é impossível que uma mulher de 32 anos assuma o controle de um país comandado por uma elite de homens velhos poderosos. Outros acreditam que ela é a sucessora natural de Kim, e que suas aparições públicas recentes mostram que ela está sendo preparada para assumir.

Outros ainda dizem que é impossível prever o que vai acontecer quando Kim morrer.

Mas a possibilidade de uma mulher assumir o poder em Pyongyang não deve ser considerada uma chance das políticas internacionais do país serem abrandadas.

“É totalmente possível que Kim Yo Jong se mostre ainda mais tirânica que seu irmão, pai e avô”, disse Sung Yoon Lee, especialistas nas Coreias da Fletcher School da Universidade Tufts, a VICE News. “Ela terá que mostrar coragem provocando os EUA com grandes testes de armas, e ataques mortais contra a Coreia do Sul e as forças americanas mobilizadas ali.”

Quem é Kim Yo Jong?

Nascida em 26 de setembro de 1987, Yo Jong é a quinta filha, a mais nova, do ex-líder norte-coreano Kim Jong Il. A mãe dela era Ko Yong Hui, a segunda amante do antigo líder.

Yo Jong tinha 9 anos quando foi mandada para Berna na Suíça, onde frequentou o ensino fundamental. Foi lá que ela forjou um laço próximo com o irmão mais velho King Jong Un. Os dois dividiam uma casa com seu próprio chef, equipe de empregados e guarda-costas, segundo o North Korean Leadership Watch.

Yo Jong voltou para a Coreia do Norte em 2000, depois de completar os estudos. Pouco se sabe sobre suas atividades nos anos seguintes, mas seu futuro como parte da dinastia política da família foi sinalizado em 2002, quando seu pai disse a estrangeiros que a filha mais nova estava interessada em política e queria uma carreira no governo da Coreia do Norte.

Em 2007, ela se formou na Universidade Kim Il Sung em Pyongyang em ciência da computação e se juntou ao Partido dos Trabalhadores.

Ela se tornou uma assessora próxima do pai depois que ele sofreu vários derrames em 2008. Nos anos seguintes, ela ajudou a planejar a ascensão do irmão para Líder Supremo em 2011, quando o pai faleceu.

A assessora mais próxima do irmão

Yo Jong sempre esteva ao lado do irmão durante seu reinado, participando de cúpulas de alto escalão, incluindo duas reuniões com o presidente americano Donald Trump em 2018 e 2019.

Ela também viu o lado impiedoso de Kim de perto, incluindo quando ele ordenou a execução do tio Jang Song Thaek em 2013, depois de acusações de corrupção, uso de drogas, jogo, promiscuidade e levar uma “vida dissoluta e depravada”.

A agência de inteligência sul-coreana relatou depois que Jang foi morto com armas antiaéreas e lança-chamas.

Nas fotografias ela sempre aparece usando um blazer verde-oliva que normalmente é usado por repórteres e fotógrafos que documentam as visitas da Kim Jong Un a fábricas e inspeções militares – mas sua influência sobre Kim, seu perfil público e interações com o resto do mundo tem sido enorme.

“O jeito como a mídia norte-coreana lida com Kim Yo Jong parece indicar que ela tem um papel significativo em várias questões, de política doméstica, economia, desenvolvimento de armas e relações com a outra Coreia e a China”, disse Joel Wit, diretor da 38 North e ex-oficial do Departamento de Estado dos EUA, a VICE News.

“Ainda não está claro se Kim Yo Jong está envolvida em moldar e executar as políticas de Pyongyang com os EUA, e se sim, quão profundamente. Mas seu envolvimento com a criação e execução de políticas do regime de Kim Jong Un sugere que ela vai seguir um caminho similar ao do irmão”, acrescentou Wit.

A única mancha na carreira de Yo Jong até agora foi o fracasso da segunda cúpula com Trump, pelo qual o irmão a culpou. Como resultado, ela foi removida do politburo do partido – mas a mídia estatal norte-coreana relatou semana passada que ela foi restabelecida.

Essa decisão veio depois de vários marcos notáveis recentes que impulsionaram significativamente seu perfil político público.

Mês passado, ela fez sua primeira declaração pública onde atacou a Coreia do Sul, chamando o governo de país de “cachorro que late de medo” depois de protestos de Seul contra um exercício militar com armas no Norte.

E mês passado, Yo Jong revelou que Trump tinha mandado uma carta para o irmão. Enquanto elogiou os esforços do presidente americano, ela alertou que o país precisa fazer mais para avançar com as discussões pela desnuclearização.

Ela pode se tornar a Líder Suprema?

Enquanto parece que Yo Jong está recebendo responsabilidades maiores sob o irmão, alguns especialistas acreditam que a estrutura da Coreia do Norte significa que uma mulher nunca poderá assumir o poder.

“A Coreia do Norte é um país confuciano onde idade e masculinidade são respeitadas. Kim Yo Jong é a aliada de maior confiança de Kim Jong Un, mas nada além disso”, disse Leonid Petrov, especialista na Coreia do Norte e palestrante do International College of Management em Sydney, a VICE News.

Petrov apontou que no caso da morte do irmão, Yo Jong poderia estar ameaçada por aqueles que querem tomar o poder, um destino similar ao da esposa do poderoso líder chinês Mao Zedong, que tinha muito poder antes de morrer.

“Se Kim Jong Un está morto ou incapacitado, Kim Yo Jong pode repetir o destino de Jiang Qing, também conhecida como Madame Mao, que foi presa logo depois da morte de Mao por supostas ‘atividades antipartido’.”

Mas outros não acreditam que a situação é tão preto no branco.

“Mesmo na era do absolutismo, poucas mulheres se tornaram soberanas ou líderes nos países do Leste Asiático.”

“Não é impossível, mas o establishment da Coreia do Norte é muito à moda antiga e machista, e ter que servir uma mulher não seria algo bem aceito nesse establishment”, disse Steve Tsang, diretor do SOAS China Insitute de Londres, a VICE News. “Mesmo na era do absolutismo, poucas mulheres se tornaram soberanas ou líderes nos países do Leste Asiático.”

E alguns especialistas acreditam que suas atividades públicas recentes no palco internacional, além de sua ligação direta com a linhagem dos líderes anteriores, a tornam uma candidata óbvia.

“Ela é a herdeira natural do trono, já que o regime da família Kim é mais uma dinastia que uma república”, disse Lee. “Um papel que Yo Jong tem na preservação do regime é que ela é uma entidade conhecida dentro e fora da Coreia do Norte. Ela se encontrou cara a cara com Trump, Xi e Moon. Ela exala um lado mais suave do sistema tirânico implacável da Coreia do Norte.”

Wit está entre um dos especialistas com mais experiência na Coreia do Norte, tendo ajudado a negociar o acordo de 1994 com Pyongyang que congelou a operação e construção de reatores nucleares, que suspeitavam ser parte de um programa de armas nucleares disfarçado.

Ele diz que há vários cenários possíveis quando Kim Jong Un morrer, incluindo Kim Yo Jong assumir o poder, se tornando uma figura central apoiada por um conselho de oficiais mais velhos, ou alguém que não é parte da família assumir.

Então, com todas as décadas em que observou a Coreia do Norte, o que ele acha que vai acontecer quando Kim Jong Un realmente morrer? “Honestamente, não faço ideia”, disse Wit.

Ele apontou que as especulações antes de Kim Jong Un assumir o poder se mostraram totalmente erradas.

“As apostas quando Kim Jong Un assumiu eram que ele seria uma figura no centro de um conselho de oficiais mais velhos liderado por seu tio Jang”, ele disse. “E sabemos como isso terminou.”

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.