Troll misógino de internet atira nas costas de uma jovem e depois se mata no interior de SP

Antes de cometer o crime, homem de 29 anos postou em fórum seu desejo de se suicidar.

|
18 Junho 2018, 7:56pm

Uma mulher de 27 anos levou um tiro na nuca na última sexta-feira (15) após negar investidas de um homem que não conhecia em uma das principais avenidas de Penápolis, interior de SP. A vítima, que foi alvejada pelas costas enquanto fugia, foi encaminhada até a Santa Casa de Araçatuba, cidade vizinha, e está em estado estável. Já o atirador, André Luiz Gil Garcia, de 29 anos, fugiu após cometer o crime, mas deu um tiro no próprio peito quando se viu cercado pela Polícia Militar. Garcia era conhecido na internet como Kyo, El Fuego Sanctu e postou no mesmo dia em um notório fórum de ódio que iria se matar.

O jovem mantinha uma persona online bastante ativa antes de cometer suicídio, sendo apontado como moderador de um fórum racista brasileiro criado por Marcelo Valle Silveira Mello, outro notório troll misógino do Brasil que já foi alvo da Operação Intolerância em 2012 e foi finalmente preso preventivamente em maio de 2018 pela Operação Bravata. A vida dupla de André foi destacada pela professora universitária e blogueira feminista Lola Aronovich, que recebe ameaças de morte diariamente do grupo de Marcelo e André desde 2013 quando passou a denunciar as atividades virtuais criminosas desses trolls -- que também simpatizam com os celibatários involuntários, apelidados de “incels”.

No histórico de André, segundo a professora, estavam ataques racistas contra os filhos da cantora Simony e também a criação de uma página de Facebook racista a fim de apoiar a torcedora de Grêmio que xingou o goleiro Aranha durante uma partida de futebol. Ele também supostamente falava em matar uma ex-namorada sua abertamente nesses mesmos fóruns.

Último post de Garcia antes de cometer o crime e se suicidar. Foto: Reprodução

Antes de cometer o crime, André postou, pela última vez, uma thread no fórum que mediava afirmando seu desejo de tirar a sua vida. Também lamentou não poder matar Dolores por ela morar em outro estado e foi amplamente apoiado pelos usuários anônimos em não só se matar, mas levar mais gente junto com ele, de preferência mulheres e negros. Seu nome de troll já havia sido citado em operações anteriores como a Intolerância em 2012. Mesmo André não ter sido citado como criminoso na operação Bravata, os chaneiros especularam de que o jovem, além de sofrer depressão crônica, também estava apreensivo em ter seu nome descoberto pela Polícia Federal.

Após postar e responder algumas vezes na thread, Garcia saiu armado com uma garrucha calibre .32 e perseguiu a vítima e uma amiga dela pedindo para que ela saísse com ele até receber uma resposta negativa e abrir fogo contra a jovem. Assim como o responsável pelo Massacre do Realengo e também Elliot Rodgers, André já se tornou uma espécie de mártir entre os trolls incels que habitam os chans brasileiros.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.