Edição Uganda

Me Diverti Horrores num Infame Gueto Romani da Eslováquia

Em duas visitas ao local, tirei fotos do projeto e dei ao Martin, que mora por lá, câmeras descartáveis para que ele capturasse a própria experiência nesse gueto estranho e distópico.

por Alex Sturrock e Martin Slepcik
10 Abril 2015, 10:30am

Conheci Martin Slepcik e sua família enquanto tirava fotos em Cliftonville, Inglaterra. Eu os via por lá toda vez que visitava a cidade costeira, e eles se tornaram um dos pontos focais do projeto em que eu estava trabalhando. Aí, um dia, sem nenhum aviso, eles desapareceram.

Vizinhos me disseram que a família tinha voltado à Eslováquia. Querendo visitá-los e continuar a série de fotos, perguntei pela cidade se alguém tinha um endereço ou um telefone. Tudo que descobri foi que eles tinham ido a um lugar chamado Lunik IX e que eu não devia levar meu cachorro lá, porque ele seria comido. Algumas pessoas falaram que a área parecia saída do filme Distrito 9.

Lunik IX foi construído nas colinas perto da floresta nos arredores de Košice, uma pitoresca cidadezinha europeia. Košice tem tudo o que se poderia querer em termos de compras, entretenimento e infraestrutura, o que torna Lunik IX ainda mais difícil de entender assim que você chega lá.

Fiz alguma pesquisa online sobre Lunik IX, mas muitos artigos eram de alguns anos atrás e diziam que o lugar tinha sido demolido. Mas ele continua lá. O projeto foi construído no final dos anos 70, originalmente para alojar os roma, soldados e policiais, um grande experimento social típico da Checoslováquia da era comunista. No final, todos se mudaram, menos os roma; hoje, grande parte da vizinhança não tem água corrente, eletricidade ou aquecimento. Os roma enfrentam um preconceito extremo na Europa, e as oportunidades no gueto são nulas.

De longe, dá para perceber que o lugar não deveria estar de pé, quanto mais ocupado – ou superlotado, como tem sido há décadas. Lunik IX parece ter sido bombardeado. As paredes estão marcadas por fogo e fumaça, e há uma pilha de lixo doméstico da altura do primeiro andar. A maioria das luzes das ruas e janelas está quebrada. Quem precisa sair à noite usa lanternas ou celulares para enxergar onde está andando. O lugar tem uma vista direta para o Optima, um moderno shopping center que parece zombar do Lunik IX além de um cruzamento na estrada.

Em duas visitas ao local, tirei fotos do projeto e dei ao Martin câmeras descartáveis para que ele capturasse a própria experiência nesse gueto estranho e distópico.

Isto é o que vimos: