Publicidade
Notícias

Boletim Matutino da VICE - 5/12/2018

Tudo o que você precisa saber sobre o mundo esta manhã com curadoria da VICE.

por Equipe VICE Brasil
05 Dezembro 2018, 12:08pm

Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Brasil

PF cumpre 11 mandados de prisão na 57ª fase da Operação Lava Jato

A Polícia Federal (PF) está nas ruas para cumprir mandados da 57ª fase da Operação Lava Jato. Esta etapa, de acordo com a PF, investiga a ação de uma organização criminosa que agia na área de trading da Petrobras. Foram expedidos 11 mandados de prisão preventiva, e 26 de busca e apreensão. Até o momento, cinco pessoas foram presas no estado do Rio de Janeiro. O pagamento de pelo menos US$ 31 milhões em propinas para funcionários da Petrobras, entre 2009 e 2014, é apurado nesta fase, segundo o Ministério Público Federal. um dos mandados de busca e apreensão é contra o diretor de uma empresa de transporte marítimoOmar Emir Chaves Neto. Ele é ligado a Konstantinos Kotronakis, ex-cônsul honorário da Grécia. Kotronakis chegou a ser proibido de deixar o país, pelo então juiz federal Sérgio Moro, por suspeita de pagar propina ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. – G1

Brasil é o segundo país que mais cai em índice de liberdade de expressão

Brasil é o 2º país em que as garantias para a liberdade de expressão mais decaíram nos últimos três anos, atrás apenas da República Dominicana, diz relatório Agenda de Expressão (Expression Agenda ou XPA), elaborado pela organização não governamental Artigo 19, e publicado nesta quarta-feira (5). Segundo o estudo, o nível de liberdade de expressão tem declinado no mundo há dez anos, mas teve sua queda acentuada nos últimos três, quando a imprensa mundial viu sua liberdade cada vez mais restrita. Hoje, segundo a Artigo 19, a liberdade de expressão está no seu nível mais baixo em uma década. – Folha de S. Paulo

Brasil está entre países que mais perdem dinheiro com mudanças climáticas

O Brasil está entre os 18 países com mais perdas econômicas decorrentes de desastres climáticos. O ranking foi apresentado nesta terça (4) na COP-24 do Clima pela organização alemã Germanwatch, que reúne dados climáticos e socioeconômicos de 181 países. Embora no ranking geral o país figure longe do topo dos mais vulneráveis ao clima, aparecendo na 79ª posição em 2017 e na 90ª posição na média de 1998 para cá, o Brasil alcança a 18ª posição no ranking dos que mais perdem economicamente com as mudanças climáticas. As perdas anuais passam de US$ 1,7 bilhão (R$ 6,4 bilhões) ao ano. – Folha de S. Paulo

Mais de R$ 45 milhões roubados de agência no Maranhão foram recuperados, diz governo

Mais de R$ 45 milhões foram recuperados pela Polícia Militar do Maranhão em ação na noite desta segunda-feira (3) em Santa Luzia do Paruá, a 164 km de São Luís. Segundo a polícia, 13 assaltantes fortemente armados foram flagrados em um caminhão com parte do dinheiro roubado do Banco do Brasil de Bacabal, no dia 25 de novembro. Após confronto, três homens morreram e outros três ficaram feridos. De acordo com a polícia, os presos têm relação direta com o bando que assaltou a agência em Bacabal. As investigações apontam que eles estariam no Maranhão para dar suporte aos outros membros da quadrilha para sair do estado com o dinheiro do assalto. – G1

Mundo

Procurador turco pede a prisão de pessoas próximas ao príncipe saudita no caso Khashoggi

O procurador-geral de Istambul pediu nesta quarta-feira (5) a detenção de duas pessoas próximas ao príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohamed bin Salman, no caso do assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi no consulado saudita na cidade. De acordo com um documento transmitido pela Procuradoria ao tribunal, o gabinete do procurador-geral de Istambul solicitou mandatos de detenção contra Ahmed al Assiri, ex-vice-chefe de Inteligência, e Saud al Qahtani, ex-conselheiro da corte real. Os documentos citam "fortes suspeitas" de que eles estiveram envolvidos no planejamento do assassinato de Khashoggi. – G1

E mais

Quora anuncia vazamento de dados de 100 milhões de usuários

O Quora, um site que oferece um serviço de perguntas e respostas colaboradas por usuários, anunciou que terceiros obtiveram acesso não autorizado ao seu banco de dados, capturando informações de 100 milhões de pessoas. Os dados incluem nome, e-mail, senha criptografada, dados vinculados de redes sociais e mensagens diretas. A invasão ocorreu na sexta-feira (30), mas a empresa divulgou o alerta esta semana. De acordo com o comunicado, a Quora acredita ter identificado e neutralizado a vulnerabilidade explorada pelos invasores, mas o caso ainda está sob investigação. Uma empresa especializada foi contratada para auxiliar a equipe interna do site nessa tarefa. – G1