Descomplicando o jazz
Jazzy. Foto: Divulgação
Patrocinado

Descomplicando o jazz

Um roteiro pra curtir som e tomar uns drinks sem complicação.
12 Junho 2017, 4:57pm

Esse conteúdo é um oferecimento do whiskey Jameson.

O circuito jazz em São Paulo nunca deixou a desejar. Seguindo a própria lógica do estilo musical ao qual se dedicam, as casas de shows estão sempre experimentando. Os grooves, contratempos e improvisos rolam soltos na cidade, seja nos fundos de uma garagem ou nas instalações de um hostel. Ou, quem sabe, até mesmo num brechó. A onda de clubes mais caretas, que dominou o cenário por um tempo, começou a dissipar-se já há alguns anos, desde pelo menos quando o projeto Jazz nos Fundos e outros espaços, como Casa do Núcleo, Casa de Francisca e Mundo Pensante, inovaram no formato de celebrações mais intimistas, desencanadas, e com pistas pequenas.

Há várias casas surgidas recentemente que dão sequência a esse conceito e ainda oferecem os seus atrativos particulares. Fizemos um roteiro com alguns picos legais pra ouvir um som e tomar uns drinques sem complicação.

Divulgação

Boutique Vintage Brechó e Bar

A casa é isso o que o nome indica, uma loja de roupas e um bar de shows. A ideia veio da proprietária, Cristiane Seixas, que neste projeto uniu dois universos apreciados por ela. O primeiro brechó que ela teve surgiu há dez anos, e além disso já trabalhou em diversas festas e eventos. A programação do espaço, em frente ao Sesc Belenzinho, prioriza os shows autorais. Alguns desses nomes são a Freedom Big Band e o Thiago Romaro & Devil Bean's.

Divulgação

Madeleine Bar

Visível da rua, a cortina de veludo que emoldura o palco é a marca registrada deste jazz-bar que faz sucesso na Vila Madalena. Os shows, que só não rolam aos domingos, abrangem as mais variadas vertentes do jazz, numa programação que combina bandas residentes e nomes em ascensão. O Madeleine Bar já ganhou vários prêmios nos quesitos música ao vivo, bar de jazz e para ir a dois. A cozinha, sob o comando da experiente chef Ana Soares, também merece destaque.

Reprodução/Facebook

Jazzy

A festa Jazzy foi idealizada pelo Guigo Lima, da Chocolate e Groovelicious, ao lado dos DJs Tamenpi e Trusty. Trata-se de uma balada que atrai público maior de 30 anos. Tem sempre uma banda de jazz fazendo duas entradas, exposição e projeções mapeadas da VJ Elka Andrello e convidados. Quando a pista esquenta, assumem o som os DJs residentes e convidados. A programação musical abraça as mais diferentes vertentes do jazz e suas fusões.

Felipe Larozza/VICE

Jazz nos Fundos

O projeto do argentino Máximo Levy foi o responsável por descortinar a reciclagem do cenário do jazz e da música instrumental em São Paulo. O que começou como um reduto para iniciados ao fundo de uma garagem continua no mesmo terreno da rua Cardeal Arcoverde, na Vila Madalena. A única diferença é que agora encontra-se no subsolo de um sobrado de três pisos e nova entrada pelo número 742. O sobrado em questão é o Centro Cultural de Música Instrumental, idealizado por Máximo no ano passado. Programação: jazznosfundos.net

Daniel 46

Jazz no Hostel

Com a proposta de levar o jazz para lugares inusitados da cidade, e assim nunca cair na mesmice, a dupla de organizadores Renato e Ramon escolheu explorar os ambientes dos hostels. E há vários por aí com uma acústica legal, como eles já conseguiram provar. Serve-se comes e bebes nos eventos, sempre em endereços próximos do metrô. O Jazz no Hostel no momento está hospedado no Okupe Hostel, no Jardim Paulista.

Para mais matérias como esta visite o site feito pela VICE em parceria com Jameson.