Publicidade
Esta história é mais de 5 anos de idade.
Music by VICE

Guia Noisey de Bundas em Capas de Disco

Brioco, loló, furico, buzanfa, toba, bumbum, boguinha, rabeta, pandeiro, fiofó, anel, butico, forévis, onde o sol não bate. Tudo isso em capas de discos.

por Lelo Jimmy Batista
21 Agosto 2014, 8:42pm

Essa capa diz muito sobre o nível de apuros no qual se encontra o universo inteiro, mas a bunda da Nicki Minaj, exposta em todo o seu glorioso excesso na capa de seu novo single Anaconda, foi o tema mais discutido das últimas semanas. Chuck Creekmur, editor do AllHipHop.com, publicou uma carta aberta expressando sua profunda decepção e preocupação, como fã de hip hop e como pai de família, ante a surpresa de deparar-se com as bárbaras nádegas de Minaj nessa capa, e alguns dias depois publicamos aqui no Noisey uma resposta a essa carta para ressaltar uma coisa bastante óbvia. Algo como as mulheres não precisarem pedir licença para decidir se mostram ou não a bunda na capa de um disco. Enquanto isso uma enxurrada de reinterpretações, colagens e pastiches da bunda de Nicki Minaj inundaram a internet em questão de minutos.

Sem nada mais a dizer a respeito (e sem ignorar o fato de que o Gully do Spank Rock não causou nem a metade das reações que causou o Anaconda, provavelmente porque a foto poderia ser encarada de um ângulo mais politicamente correto por conta de sua conotação vagamente etnológica e social, ou talvez porque ninguém queira comer o Spank Rock), decidi aproveitar o tema para pesquisar brevemente a história das bundas em capas de discos. Porque, não, a Nicki Minaj não é a primeira (e nem será a última) a incluir suas nádegas em um disco, e enquanto as pessoas fazem isso o mundo segue seu curso, goste ou não.

A BUNDA CASUAL

BRUCE SPRINGSTEEN Born In The U.S.A. (1984)

A foto é de Annie Leibovitz. Seus pais conhecem, você conhece e seus filhos provavelmente conhecerão. E nenhuma dessas pessoas que conhecem a capa sabem dizer o nome de mais que duas músicas do disco. Nem você. E acho que eu também não. Esse traseiro agora é parte da cultura popular do ocidente, e não podemos fazer nada a respeito. O que é surpreendente na história é que, pra começar, essa foto não foi planejada para ser a capa do disco, a ideia era que fosse o Bruce Springsteen de frente. Porém, quase por acidente, a Lebovitz tirou essa foto durante a sessão e gostaram mais dessa que do resto. Diga-se de passagem, esse cinto não era legal nem em 1984.

Nível de polêmica: 74%

Muita gente quis interpretar que a imagem representava uma afronta de Bruce Springsteen à bandeira americana. Coisa que ele negou dizendo: “São só minhas nádegas, não há nenhuma mensagem oculta nessa fotografia. Não há nada além da minha bunda nesses bolsos de trás”. Mandou bem, Bruce.

A BUNDA ARTSY

EROS NECROPSIQUE Charnelle Transcendance (1997)

Essa foto é do Man Ray, coisa que seus pais sabem caso eles trabalhem em alguma instituição de ensino em um país que não seja terceiromundista e seus filhos provavelmente opinarão sobre ela durante um segundo em algum tipo de Tumblr supersônico e depois irão ver alguma outra coisa que interesse aos adolescentes do futuro. Todos eles podem viver sem nunca checar o tracklist deste primeiro disco do Eros Necropsique, no qual poderiam encontrar títulos como '“Le Mélodieux Écoulement Du Temps” [“O Fluxo Melodioso do Tempo”], “Avortement Suicidaire” [“Aborto Suicida”] e “Délirium De L'Être Seul” [“O Delírio de Estar Sozinho”]. Foi todo gravado no Studio Melody de Dreux, dura 43 minutos e 54 segundos e está na wishlist de 14 usuários do Discogs.com, onde ele tem uma qualificação de 4/5 (uma média da pontuação dada a ele pelos 10 usuários que o qualificaram, incluindo o ANTonIn_ARTaud, o lycos70 e o mrlamort).

Nível de polêmica: 49%

Preocupações sobre bundas à parte (no dia em que uma foto do Man Ray gerar polêmica me lembrem de mudar de país), o grupo processou o jornal francês Présent por difamação, depois que este os descreveu como “satânicos” e “perigosos”.

A NÁDEGA SUGESTIVA

ERIC CLAPTON E.C. Was Here (1975)

GLORIOUS BANKROBBERS Dynamite Sex Doze (1989)

Como disse Sartre, vemos aquilo que podemos ver, o que nesse caso não é muito, mas é nesse tipo de promessa que mora a diversão, não é?

Nível de polêmica: 0%

Os dois discos foram lançados depois de 1945.

A BUNDA ASSEXUAL

SCISSOR SISTERS Night Work (2010)

THE DONNAS Bitchin' (2007)

Com todo respeito a Sartre, eu acho que sobretudo vemos aquilo que queremos ver. Nesse caso, onde há uma bunda de homem que é ao mesmo tempo uma bunda de mulher e vice-versa, ao invés de tentar adivinhar talvez seja mais interessante escolher sem pensar muito.

Nível de polêmica:1%

Um denominador comum entre esses dois discos é que eles foram terrivelmente mal vendidos e aceleraram significativamente o fracasso das duas bandas em questão.

A BUNDA DA CUMPLICIDADE

LOVERBOY Get Lucky (1981)

Para provar que sempre devemos acreditar na sorte até nos casos mais difíceis, pensem no Loverboy, que com essa bunda de tábua conseguiu reinar nas paradas dos Estados Unidos durante a primeira metade dos anos 80.

Nível de polêmica: 0%

Não há absolutamente nada nessa bunda. Ela não pode ter causado nem cinco minutos de discussão.

A BUNDA ARROGANTE

COOLRUNNINGS Babes Forever (2010)

Como disse Albert Camus, “o trabalho de um homem não é nada mais do que essa caminhada lenta para voltar a descobrir, através dos desvios da arte, essas duas ou três grandes e simples imagens em cuja presença ele abriu pela primeira vez seu coração”. Não sei vocês, mas pra mim essa capa do Babes Forever é claramente uma dessas duas ou três.

Nível de polêmica: 0%

O que podemos esperar de uma banda de garagem de 2010 que lança todos os seus discos em mp3?

A BUNDA VINGADORA

DEEP THROAT The Devil In Miss Jones (1982)

Geralmente a morte afeta a sociedade de tal forma que ela tem que encontrar o assassino e impor a ele um castigo exemplar. Se não houver a possibilidade de se encontrar o culpado, a vítima deixa de ser um objeto de interesse, assim como o culpado. Esse é o motivo pelo qual existem trabalhos pouco objetivos como esta imagem da Mistress Wanda, que vai agitar esse chicote sem piedade até arrancar a pele desse motoqueiro holandês a quem ela acaba de chupar o pau há alguns minutos atrás sem nenhum outro motivo além de vê-lo acabar-se em um eterno gemido grudento.

Nível de polêmica:0%

É uma banda alemã de metal. É preciso muito mais violência pra assustar essa gente.

NÁDEGAS EM FARRAPOS

VIXEN French Warriors (2004)

No resto da semana ela se chamava Corrine Picaud e conseguia encontrar em menos de 14 segundos qualquer título que lhe pedissem os clientes da loja de discos onde ela trabalhava. Mas na sexta-feira ela se transformava em Roxxxy Lamborghini e se acabava pouco a pouco de ecstasy, entre paredes descascadas e luzes de neon, atraindo suas presas como Nova York atrai ratos e turistas.

Nível de polêmica: 11%

É um demo de uma banda francesa. Isso não importa nem pros franceses. Essa bunda só interessa aos ratos e aos turistas.

A BUNDA DA ELEGÂNCIA

ROXY MUSIC For Your Pleasure (1973)

Esta é Amanda Lear fotografada por Karl Stoecker para o segundo (e o melhor) disco do Roxy Music. Quando se chega a esse nível de perfeição, você tem que manter a cabeça no lugar.

Nível de polêmica: 0%

O bom gosto sempre te protege da polêmica. O único problema é que ele também te protege de todo o resto.

A BUNDA DA DECADÊNCIA

GILGAMESH Vulgar Display Of Ass (1996)

Ao contrário do Roxy Music, uma banda de punk-ska australiana estará sempre protegida pelo outro extremo da percepção. O mau gosto não só está permitido como soa normal. Reparem a tranquilidade dessa bunda peluda prestes a ser socada por um punho sem pelos.

Nível de polêmica: 0%

Quando está avisado não tem erro. Ali diz claramente “Vulgar Display Of Ass” que significa exatamente o que indica a foto-exibição vulgar da bunda.

A BUNDA FECHADA

WASNATCH Front To Back (2013)

É mais ou menos assim que eu imagino as reuniões editoriais da revista em quadrinhos mexicana El Libro Vaquero.

Nível de polêmica: 0%

É uma capa irônica de 2013.

A BUNDA ABERTA

TYPE O NEGATIVE The Origin Of The Feces (1992)

Que coisa desagradável essa foto. E tudo o que ela tem de desagradável tem de boa. O que são essas letras fosforescentes sobre um cu aberto? Gênios do cacete.

Nível de polêmica: 98%

Esse verdadeiro-falso álbum ao vivo (as músicas foram tocadas ao vivo, mas no estúdio, e os ruídos do público, que são basicamente uma série de reclamações e insultos, foram adicionadas a posteriori), estiloso e definitivamente muito subestimado que lançou o Type O Negative teve, é claro, uma recusa absoluta no mercado americano. Até porque é um cu aberto.

A BUNDA RETRÔ

THE COUNTS Funk Pump (1974)

Se você esteve na ativa entre 1971 e 1991, é provável que tenha se deparado com uma dessas bundas pelo menos uma vez na sua vida. E você escolheu cuidadosamente cada palavra para conquistar essa bunda, que foi afastando-se lentamente antes que você pudesse dizer qualquer coisa. Depois disso você foi pra casa e pensou em mudar o rumo da sua vida para buscar essas nádegas.

Nível de polêmica: 0%

O que acabei de escrever pode me causar mais problemas em 2014 do que tudo o que esse disco de funk teve que suportar durante 40 anos.

A BUNDA DO FUTURO

HOTWIRE Hotwire (1995)

Se você esteve na ativa entre 1978 e 1985, você certamente imaginava o futuro como essa capa do Hotwire. O problema é que este disco saiu em 1995, um ano em que uma imagem como esta só podia significar duas coisas: uma compilação de eurodance ou um disco de techno finlandês. Estavam perto disso.

Nível de polêmica: 0% se você tiver um emprego de verdade. 97% se for designer gráfico.

A BUNDA LIVRE

ROGER WATERS The Pros And Cons Of Hitch-Hiking (1984)

Se é verdade que essa bunda não existe na vida real, a reciprocidade torna ela mais real do que ela é.

Nível de polêmica: 96%

Essa capa do Roger Waters foi assassinada a pedido de organizações feministas, aí colocaram uma tarja preta na bunda da Linzi Drew.

A BUNDA CATIVA

O'DONEL LEVY Everything I Do Gonna Be Funky (1973)

Olhem, olhem. Olhem mais de perto. Ali. Estão vendo? Elas se mexem!

Nível de polêmica: 0%

Vejam essa foto novamente. No funk não tem problema algum. Nunca.

A MULTIBUNDA

2 LIVE CREW As Nasty As They Wanna Be (1989)

Sejamos honestos. O 2 Live Crew foi um grupo bem administrado que surgiu no momento certo para fazer toda a merda que eles deviam ter feito. Têm cinco hits e dois deles estão nesse disco.

Nível de polêmica: 100%

Mais do que ser censurado, o As Nasty As They Wanna Be foi recolhido das lojas e proibido em vários condados da Flórida por obscenidade. E nem foi por causa da capa. Para seu azar, as duas melhores canções são “Me So Horny” e “Get The Fuck Outta My House”.

A SEMI-BUNDA

THE STROKES Is This It (2001)

A luva me fez gostar de todo o resto.

Nível de polêmica: 91%

Sim, até isso eles são capazes de censurar. Esses caretas malditos.

AS NÁDEGAS DE PAPAI E MAMÃE

ICE-T Gangsta Rap (2006)

Olha só esses dois pombinhos condenados à morte após assassinar sua tia rica.

Nível de polêmica: 79%

A Melee Records foi a única gravadora que quis lançar um disco com uma capa dessas. Por que vivemos em um mundo no qual já podemos desfrutar naturalmente da imagem ao natural de uma parceira republicana?