Noticias

Acusado de assassinar o casal Zé Cláudio e Maria do Espírito Santo é condenado a 60 anos de prisão

José Rodrigues Moreira foi condenado por duplo homicídio qualificado pela morte, em 2011, de José Cláudio Ribeiro da Silva e de sua esposa Maria do Espírito Santo da Silva.
07 Dezembro 2016, 6:10pm

Imagem ilustrativa. F_otos por Marcelo Lacerda/VICE,_ originalmente feita para esta matéria.

José Cláudio Ribeiro da Silva (o Zé Cláudio) e Maria do Espírito Santo, um casal extrativistas do Pará ficaram conhecidos por militarem a favor dos pequenos produtores contra interesses de latifundiários madeireiros, carvoeiros e fazendeiros — e que foram assassinados em abril de 2011, depois de sofrerem perseguições e ameaças.

A luta do casal persistia pela preservação do Assentamento Agroextrativista Praia Alta Piranheira, que ainda é mantido por extrativistas que trabalham de forma sustentável, em Nova Ipixuna, no Pará.

Nosso documentário sobre o caso, "TOXIC: Amazônia", foi vencedor do prêmio "Herói da Floresta", concedido pela ONU em 2012.

Acusado pela morte do casal, José Rodrigues Moreira enfrentou seu primeiro julgamento em Marabá, em 2013, e acabou sendo absolvido pelo júri popular. Mas o Ministério Público cancelou a decisão do júri levando o caso até a capital, Belém. Na última terça-feira (06), Rodrigues foi condenado a 60 anos de reclusão pela Justiça paraense, por homicídio das duas vítimas e não poderá recorrer em liberdade, como informa a EBC.

Nesse mesmo julgamento, Lindonjohnson Silva Rocha, irmão de José, e Alberto Nascimento também foram condenados como co-autores do crime. Lindonjohnson foi condenado a 42 anos e está foragido desde novembro de 2015, assim como José. Já Alberto, condenado a 43 anos de prisão, cumpre pena no hospital de custódia e tratamento psiquiátrico, em Santa Izabel, nordeste do estado, segundo o G1.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.