Publicidade
Esta história é mais de 5 anos de idade.

Diga o Nome Dessas Doenças Horríveis!

Seu estômago é forte o suficiente para reconhecer essas terríveis doenças?

por Jonathan Smith
22 Abril 2014, 8:52pm

Um cara com febre amarela, provavelmente puto da vida por não ter nascido no século 21 (todas as imagens cortesia de The Sick Rose). 

Antigamente, as doenças eram muito piores. Tudo era fatal, todos os pacientes eram ratos de laboratório, toda teoria médica ainda estava em sua infância e a anestesiologia se resumia a uísque, um pedaço de pau e uma dose de cocaína. A única coisa boa dessas práticas médicas antigas eram as imagens superlegais que os artistas faziam dessas doenças escrotas devoradoras de carne.

O novo livro de Richard Barnett, The Sick Rose, traz uma coleção dos melhores exemplos de ilustrações médicas do final do século 18 até o começo do 20. Durante esse período, os artistas tinham um papel muito importante na educação médica. Os pacientes infestados que eles ilustravam eram usados para ensinar os estudantes a reconhecer e tratar os males conhecidos pelo homem, por isso, cada saco sifilítico tinha que ser registrado com detalhes em alta definição estilo Blu-ray.

Mas esses desenhos não eram somente retratos de gente morrendo. No começo dos anos 1800, os médicos começaram a abrir cadáveres por aí e a pagar artistas para documentar o que eles achavam lá dentro. Percebendo que se aprendia muito mais olhando dentro dos corpos do que só os observando por fora, Marie-Francois-Xavier escreveu em 1801:

“É possível fazer anotações durante 20 anos, ficar de manhã até a noite ao lado da cama do doente... e só vai conseguir uma confusão de sintomas, que, não sendo unidos em certo ponto, vão apresentar apenas o rastro de um fenômeno incoerente. Abra alguns corpos: essa obscuridade desaparecerá, algo que apenas a observação nunca poderia dissipar.”

Quando esse conselho pegou na comunidade médica como um todo, um catálogo ilustrado das partes internas do corpo humano começou a se formar e boa parte disso foi reimpresso agora no The Sick Rose. Assim como os desenhos externos de doenças, essas ilustrações eram vitais para educar os futuros médicos.

Quem consegue ficar imune à reação de: “Jesus amado, o que aconteceu com o rosto desse cara?”, logo nota que essas ilustrações são bem bacanas na verdade. Elas oferecem uma espiada num tempo em que arte e medicina eram coisas intimamente conectadas, uma época em que chegar aos 40 era considerado uma vitória.

Para testar nossos conhecimentos modernos de doenças versus os de nossos antepassados, pegamos essas 13 imagens do livro e demos várias opções de doenças. É tipo um teste do BuzzFeed, só que não tem nada a ver com séries dos anos 1990 e corre-se o risco de alguém acabar vomitando. Boa sorte!

(Algumas dessas imagens podem ser consideradas NSFW.)

 

@Jonathan_Smth

The Sick Rose – Disease and the Art of Medical Illustration, de Richard Barnett, será lançado pela Thames & Hudson no dia 2 de junho. O livro já está em pré-venda aqui.

Todas as imagens cortesia: Wellcome Library, Londres.