Política

O que vimos em Charlottesville

As coisas descontrolaram-se muito antes de um carro ter atropelado propositadamente um grupo de pessoas.

Por Allie Conti; fotos por Jessica Lehrman
13 Agosto 2017, 7:15pm

Demonstrators parade through Charlottesville during the Unite the Right rally.

Este artigo foi originalmente publicado na VICE USA.

Eu e a minha fotógrafa chegámos ao Emancipation Park, em Charlottesville, Virginia, cerca de meia hora antes da hora marcada para o arranque da Marcha "Unite the Right", mas, por essa altura já as coisas tinha começado a ficar descontroladas.

Participantes da contra manifestação atiravam tinta aos nacionalistas brancos. Este carro da polícia foi um dano colateral:

Gás pimenta foi usado como arma pelos nacionalistas e os afectados foram sendo assistidos por médicos voluntários:

Depois de a Polícia Estadual da Virginia ter forçado toda a gente a dispersar, os nacionalistas brancos dirigiram-se para o McIntyre Park, para planearem os passos seguintes:

Contra-manifestantes seguraram cartazes para "cumprimentarem" os nacionalistas brancos, enquanto estes marchavam pelas ruas de Charlottesville, escoltados pela polícia anti-motim:

Os racistas mostravam-se impassíveis perante os protestos das pessoas:

As pessoas não abandonavam as ruas, mesmo com as bombas de fumo a rebentar:

De ambos os lados, havia pessoas com vários tipos de armas, desde bastões de metal, a sticks de hóquei, ou mesmo armas de fogo. A qualquer momento e em qualquer lugar podia rebentar uma escaramuça:

A Guarda Nacional acabou por ser chamada para controlar a situação:

Os nacionalistas brancos continuavam a deambular por ali de forma ostensiva nas suas carrinhas, alguns deles com capacetes decorados com imagens de Pepe the Frog:

No McIntyre Park - que acabou por se transformar na base de operações dos elementos da direita alternativa - médicos voluntários tratavam alguns extremistas feridos:

Minutos depois, deu-se a tragédia no local onde os contra-manifestantes de tinham reunido. Um Dodge Charger atingiu uma multidão e foi o caos total. Uma mulher morreu e 19 pessoas ficaram feridas:

As pessoas ajudaram aqueles que foram atingidos pela viatura - e que ainda conseguiam andar - a sair do meio do caos, enquanto outros davam as mãos e rezavam. Face aos acontecimentos de sábado, o que mais se pode fazer?

Segue a Jessica Lehrman no Instagram e a Allie Conti on Twitter.