Publicidade
Noisey

Rica Pancita analisa os lançamentos da sexta #104

Antes que venham perguntar, já aviso que nem ouvi esse disco novo do Weezer.

por Rica Pancita do Twitter
25 Janeiro 2019, 3:43pm

Eae tá bem?

Última sexta-feira do mês, finalmente. O ano já tá quase acabando já, falta pouco. Enquanto isso, os lançamentos tão vindo em boa quantidade, porém a qualidade mesmo meu Deus do céu. Tá fraquinho ainda, galera precisa dar um #boost. Então nem tenho muito pra falar aqui também de introdução, vamo direto pro que saiu essa semana.

Nota: Antes que venham perguntar, já aviso que nem ouvi esse disco novo do Weezer. Se eu quiser ouvir cover (e eu não quero), vou pra barzinho no Méier com som ao vivo sucessos do pop-rock nacional E internacional.

Valeu, então? Valeu então.

----LANÇAMENTO TOP DA SEMANA----

Não teve. Num vou enfiar uma aqui só pra falar que teve UMA e ninguém perder viagem. Não teve.

----OUTROS LANÇAMENTOS QUE TÃO LEGAL TAMBÉM----

Florence + The Machine - “Moderation”

É legalzinha a música. O som é o som que você já imagina que venha da Florence. É exatamente isso aí. Piano, coro de fundo, a batida que vai crescendo, esse esquema manjado já. Mas, ainda assim, é uma boa música.

Tim Presley’s White Fence - I Have to Feed Larry’s Hawk

Um bom disco de indie rock meio que cabeçudinho. Bom mesmo. Mas sem nenhuma faixa que me faça ficar “caralho que musicão”. Ele inteiro é interessante, mas não recomendo muito deixar rolando na festinha. É coisa de ficar de boa sozinho ouvindo. Pode até te despertar alguma coisa. A mim mesmo não despertou muito não. Apesar de ser bom (é bom).

Jards Macalé & Tim Bernardes - “Buraco da Consolação”

Bossinha que até que boa de ouvir. O dueto em si não achei que rolou tããão legal, mas enfim a melodia tá gostosinha.

----LANÇAMENTOS QUE OK TAMBÉM NÃO É DE TODO MAL----

Stephen Malkmus - “Viktor Borgia”

Teoricamente, esses sons electro do Malkmus já tão prontos faz tempo e os cara da Matador falaram “não cara, segura isso daí, lança outra coisa agora e depois a gente bota esses aí”. Se foi assim mesmo então muito obrigado Matador pelo Malkmus ter lançado o Sparkle Hard, que inclusive eu coloquei na minha lista de melhores de 2018. Porque esse som tá muito “brincando de Kraftwerk”, mas sem nada de muito interessante. Sei lá, acho que o artista tem que tar livre pra fazer o que ele estiver afim de fazer, mesmo que seja algo sem graça. É okzinha, se muito.

Broken Social Scene - “All I Want”

Ah meu. É o indiezinho aí década passada total, quase que um esquema Arcade Fire, mas buscando ser mais “experimental” que, no fim das contas: tanto faz. Aqui num pegou foi é nada, viu. Mas aí fica a quão indie que você é. Boazinha-inha.

American Football - “Uncomfortably Numb”

Ó aí o emozinho velha guarda. Basicamente isso é o máximo de comentário que consigo fazer sobre a música. Ter ou não o vocal da Hayley Williams aqui tanto faz, num muda nada. Dava até pra trabalhar melhor esse dueto aí, mas enfim, do jeito que tá tá ok.

The Dandy Warhols - Why You So Crazy

Puta rolê confuso esse aqui. Fica variando tanto o ritmo de uma música pra outra que fica parecendo uma playlist tocando no modo aleatório. Aí tem uma alt-folk, um eletrônico ambient, um indiezinho, uma instrumental no piano, e assim vai. E desse grande #caldeirão #cultural eu mesmo não tirei nenhuma faixa que tenha de fato agradado. É várias okzinha.

Santana - In Search of Mona Lisa

EPzinho que sei lá. É som pro teu pai deixar rolando enquanto dirige. Graças a Deus que meteram uns “edit version” das faixas, porque a versão integral é solinho que não acaba mais. “Do You Remember Me” é praticamente 9 minutos de solinho. Então digo que é um bom EP, mas só ouve as versões editadas só. Num precisa ouvir tudo não.

----AS QUE MELHOR DEIXA PRA LÁ----

MC Rebecca - “Do Meu Jeito”

Infelizmente meio fraquinha essa. Pop-funk com base latina que não empolga muito não. E é isso.

Daniela Mercury & Caetano Veloso - “Proibido o Carnaval”

Procura o teu amigo mais próximo que em algum momento falou “ah mas pelo menos em épocas assim é que vem umas músicas mais pá, umas letras de protesto” aí cê mostra essa aqui pra ele. A letra tem umas parada muito UP TO DATE como “vai de rosa ou vai de azul?”, o som é o axé limpinho bem popzinho e, enfim, tá aí a música aí. Bem bem médio.

Vampire Weekend - “Harmony Hall” / “2021”

Vô bem ligeiro nessa aqui: achei bem bobilda. Pop-rockinho de 5 minutos que num vai pra lugar nenhum, fora o refrãozinho de uuuuhhhhhhhUUUHHH que é b-o-b-i-l-d-o-o-o-o. Não rolou.

Backstreet Boys - DNA

São exatos 39 minutos de popzinho açúcar sem a menor graça. Na metade do disco eu já não tava aguentando mais tanta baladinha fraca. É baladinha fraca no violão, é baladinha fraca eletrônico, opção de baladinha fraca é o que não faltou aqui. Recomendo evitar.

Toda semana, o guerreiro brasileiro Rica Pancita seleciona a nata dos lançamentos do universo pop para a playlist só com o ouro fonográfico no Sexta Lançamentos por Rica Pancita.

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tagged:
brasil
música
Spotify
Jards Macalé
florence + the machine
Playlist
Sexta lançamentos por Rica Pancita
tim bernardes
Tim Presley’s White Fence