​Chinv. Foto: Anderson Mendes/Divulgação
Chinv. Foto: Anderson Mendes/Divulgação
Drogas

Chinv mistura filosofia oriental, trap e maconha em sua nova mixtape 'ChozyBaby'

O prodígio do coletivo de rap e larica Sound Food Gang quer se conectar com sua criança interior, mas sem perder o conforto da prosperidade material.

O Chinv é a revelação da Copa São Paulo da crew de rap e rangos Sound Food Gang. O menino prodígio, que chegou no coletivo em 2015, é um diamante que vem sendo lapidado diariamente. ChozyBaby, sua nova mixtape que sai nesta quinta-feira (7) com exclusividade aqui no Noisey, é a síntese perfeita desse espírito de jovem talentoso cavando sua oportunidade pra abocanhar uma fatia do bolo do rap: ambição, metas, lean, conquistas e claro, o tripé estético que sustenta a juventude contemporânea descolada também tá lá: maconha, trap e Auto-Tune.

Publicidade

“A primeira coisa que meus ouvintes têm que saber sobre mim é que eu faço músicas pra ouvir chapado. Eu amo a erva tanto quanto a música. Pra mim, elas andam de mãos dadas (risos)”, conta Chinv, que investiu em referências de cinema, kung fu, filosofia oriental e animes para a construção da mixtape, cujo nome foi dado a partir do apelido que ele recebeu pelos membros da Sound Food Gang e que significa algo como “bebê fofo” ou “bebê aconchegante”.

Na época da FoodStation , os integrantes já falavam sobre esse talento do Chinv, que foi o último membro a ser integrado no coletivo. Desde sua chegada, o próprio coletivo percebeu a sua ligeira evolução. “Aprender rápido e fazer um pouco de tudo, talvez seja o motivo do pessoal me ver assim, mas tenho muito que aprender e evoluir. Eu sei do meu potencial e da minha importância pro coletivo. Eu não sinto nenhum peso [de ser o prodígio], porque cada membro da gangue é uma joia rara e única. Ninguém tem um papel mais importante que o outro.”

É fato que no mercado jovem por onde o rap circula, falar sobre anime, erva e batizar um som como “Mouse Gamer” pode até soar como um atalho para se conquistar público mais facilmente, mas pro Chinv, não é por aí. “Eu também piro em filmes, séries, livros, culinária, moda, jogos e antes de cair cabeça na música, fazia o corre do skate, então sempre tento deixar essas coisas presentes de alguma forma nos meus sons. As conexões pra mim são consequências, sempre vai ter quem se identifica com o que a gente vive e quem não”, diz.

Publicidade

Na mixtape, CrimeNow assina as produções ao lado do Chinv, que investiu pesado no trap e no Auto-Tune — apenas a faixa “Postal Card” não utiliza o recurso — como forma de mostrar que o gênero vai muito além dos skrr, flow gringo copiado e letras sem sentido. “O trap pra mim é uma evolução natural do rap. Não gosto de me prender aos nomes, pra mim o que importa é a musicalidade do beat, e talvez no trap seja onde isso acontece mais pra mim. Acho importante desmistificarmos a forma como o trap é visto aqui no Brasil — a ideia de que ele é banal e sem conteúdo, que incentive coisas ruins. Não se deve tirar uma conclusão sobre algo grande, baseada em meia dúzia de equívocos”, reflete Chinv. “Gosto bastante dos drips [traps com bastante melodia e Auto-Tune]. Por mais que muitos pensem o contrário, o Auto-Tune exige canto e musicalidade aguçada. Aprendi bastante coisa.”

Chinv também explorou essa questão do "prodígio fofo" pra sua mixtape. Pra ele, o ser humano precisa voltar à sua infância para recuperar a pureza que vai sendo perdida conforme a pessoa vai envelhecendo. "Buscar essa pureza na infância é se reconectar com o seu verdadeiro eu, lembrar de onde você veio e buscar sua própria essência. Crianças não se preocupam com dinheiro, aparência, nem nada que a sociedade nos impõe na vida adulta — pelo menos até agora (risos). É como o Emicida disse: 'quando os caminhos se confundem é necessário voltar ao começo'. Acho que se todo mundo tirasse um tempinho no dia pra voltar a ser criança, o mundo seria menos caótico."

Publicidade

O grande ponto de ChozyBaby é que em meio aos 808, o pianinho, o Auto-Tune e a tudo que Chinv canta, fica claro que existe um grande esforço entre tentar equilibrar a ambição de ganhar grana com um bem-estar. "Que atire a primeira pedra quem não gosta de um pouco de grana e conforto. Eu gosto bastante, mas acredito que isso não é e nunca vai ser mais importante do que nosso valor como ser humano. Viver coisas boas e ter dinheiro tem a ver com prosperidade e não com bens materiais em si", diz Chinv. "O conceito de prosperidade é bem profundo, mas de uma forma resumida é sobre ter autoestima, querer coisas boas e se permitir merecê-las. É também sobre atitudes, ter autoconhecimento, respeito e uma conexão com o universo."

Pra quem quiser participar da prosperidade cantada por Chinv em ChozyBaby, a Sound Food já marcou a data de lançamento da mixtape. O rolê acontece no próximo dia 16, no Bar do Haules, em Jundiaí.

Ouça Chozy Baby no player abaixo.

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.