Sexo

Este basco criou o Google Maps dos melhores locais públicos para fazer sexo

No país vizinho há mais de 12 mil "picaderos" - o nome que a rapaziada aqui do lado dá aos sítios públicos mais conhecidos para se praticar o amor - geolocalizados em Mispicaderos.com. Em Portugal, encontras pelo menos mil.
15 March 2018, 11:00am
Montagem cortesia do entrevistado.

Este artigo foi originalmente publicado na VICE Espanha.

Parques de estacionamento vazios, descampados, jardins sem ninguém, ou zonas meio abandonadas à noite, esses lugares pseudo clandestinos que todos os adolescentes - e não tão adolescente - já visitaram para praticar a arte do sexo, seja porque não havia sítio melhor, por morbidez ou, simplesmente, para não serem apanhados. É tão comum que, hoje em dia, podes encontrar mais de 12 mil sítios públicos deste tipo - a que os espanhóis chamam "picaderos" - geolocalizados por toda a Espanha, mas também em Portugal.

Devemos esta indexação ao trabalho do nosso protagonista, Josean G. - que nos pediu para se manter num pseudo anonimato -, um basco de 43 anos que criou o Mispicaderos.com, o site de culto para todos aqueles que andam à procura de um cantinho sossegado para fornicar. Só têm de se inscrever e ainda podem adicionar locais novos.

Neste motor de busca que utiliza a API do Google Maps, podes pontuar e comentar os locais públicos para fazer sexo, ou filtrar as buscas por localização, orientação sexual, privacidade, se vais de carro ou a pé, ou se queres um local em que caibam até 20 pessoas. Há sítios de todo o tipo. De pousadas a casas-de-banho de centros comerciais, hotéis baratos ou locais que organizam festas sexuais. Tudo geolocalizado, para que a tua vida sexual não sofra com as distâncias.

No site, podes procurar os "picaderos" mais próximos da tua localização

Para saber de onde saiu a ideia e o que é que implica ser o criador de um site tão útil como divertido, falámos com este web designer de Bilbao, chamado Josean G.

Vice: Olá, Josean. Descobri o teu site há pouco tempo e fiquei maravilhado. Como é que surgiu a ideia?

A ideia nasceu em 2009 e fi-lo sem grandes pretensões. Sou web designer e, por essa altura, já levava uns anos a trabalhar com o Google Maps. Um dia ocorreu-me utilizar a plataforma para localizar sítios públicos em que se pudesse fazer sexo. Pensei que seria útil para muitas pessoas, por isso confirmei se ainda não tinha sido feito nada do género - nessa altura não era como hoje em dia, que QUALQUER ideia que tenhas já alguém a fez - e pus mãos à obra. Pode dizer-se que estava predestinado que um site destes nascesse em Bilbao, cidade conhecida pelo "problema basco".

A que mais te dedicas, para além do site de sítios públicos ideais para fazer sexo?
Infelizmente, isto não me chega para viver. Por isso, trabalho como desenhador gráfico por conta de outrem.


Vê: "O que é que se passa com o amor?"


Percebo pela tua resposta que estás sozinho nisto.
Sim. Sou o ideólogo, desenhador, programador e faço a manutenção do mispicaderos.com. À parte, um amigo meu trata do Facebook e do Twitter.

Já te apareceu algum tipo de oportunidade laboral para além do site?
Na verdade, não muitas, ou nenhuma aliás. Por causa das visitas ao site já consegui sacar algum dinheiro com banners de publicidade, mas coisa pouca. E agora cada vez menos..

Falemos um pouco de ti. Qual foi o teu primeiro "picadero"? Foi uma boa experiência?

Não te vou contar qual foi o meu primeiro sítio público nem qual era o meu lugar habitual, mas digo-te que sim, estão no site. Como não?

Em vez disso, conto-te que o primeiro sítio marcado no mapa foi em Artxanda. Um lugar mítico para os bilbaínos, um desses "picaderos" de toda a vida. Esse marquei-o eu e os seguintes já foram entre amigos e conhecidos. Depois, a dada altura, o site tornou-se viral e as pessoas começaram a mandar-me mais e mais localizações.

Qualquer cantinho da cidade com um pouco de privacidade pode ser um "picadero".

Há "picaderos" marcados em aeroportos, centros comerciais ou, aparentemente, qualquer sítio em que se possa ter um pouco de privacidade. Achas que tudo isto é normal?

Estou completamente espantado. "Já vi locais públicos em que se faz sexo que tu não ias acreditar..." - referência a Blade Runner. Assombra-me a abundância de casas-de-banho e provadores de roupa que há e que são autênticos. Ou seja, há mesmo quem os use! Mesmo assim, em várias ocasiões adicionaram locais em mosteiros, casas de presidentes da câmara, políticos, etc. Obviamente que esses já não lá estão, não quero foder a vida a ninguém.

Qual é a maior loucura que já leste num relato, ou que te tenham enviado por e-mail, sobre um desses locais públicos?

A maioria são lugares típicos, alguns um pouco surpreendentes como casas-de-banho, museus, cemitérios. Pode haver casos em que desconfio se são verdadeiros: parece-me difícil de acreditar que haja quem mande quecas nos provadores do El Corte Inglés. Mas, tirando esse tipo de sítios, tive experiências curiosas de locais que foram adicionados e eram casas de políticos, de presidentes da câmara, etc.

Uma "divertida" aconteceu como consequência de alguém ter adicionado um mosteiro. Recebi um fax ameaçador a dizer-me que, ou o apagava imediatamente, ou teria de enfrentar as consequências legais. Obviamente que apaguei, também não estou aqui para chatear ninguém. Fiquei foi com a dúvida de como é que descobriram. Ou seja, quem denunciou o lugar seria do mosteiro. O que é que andava a fazer a ver sites de locais para pinar? Deixo isto por aqui.

"Techados del Prado", é o "picadero" de Espanha mais comentado e com melhor nota do país

Vi que o site já se expandiu para outros países. Como é que será o futuro do Mispicaderos?

Em Espanha corre lindamente. Cada dia há uma média de três ou quatro lugares novos. Para além disso, as pessoas cada vez os põem com mais cuidado e detalhe. Enquanto conseguir manter o site e fazer uns quantos euros, vou continuar. Sobre o tema de fazer isto no estrangeiro, pensei que seria mais fácil. Ao fim e ao cabo, fode-se em todo o lado, não? Pois, não. Fiz uma versão em inglês com o objectivo de captar o publico anglo-saxónico e conseguir alguma visibilidade mundial, mas só teve êxito em Portugal e na América do Sul, embora aqui seja mais complicado, porque os motéis estão muito normalizados. Curiosamente, onde também tive muito sucesso foi em Itália. Os nossos irmãos italianos são os que mais se parecem connosco, no que respeita a pinar em sítios públicos. Não têm uma palavra concreta como em espanhol (picadero), mas têm a expressão ‘Andare in camporella’, que significa qualquer coisa como ir dar umas cambalhotas, que no fundo é o mesmo conceito que o nosso picadero.

Portugal está bem recheadinho

Achas que o conceito de sítio público, ou “picadero”, tem a ver com o nível de riqueza do país?

Sem dúvida. Acho que é a principal razão. À falta de um lugar adequado, uma casa onde se possa mandar uma rapidinha, é preciso encontrar opções. Por exemplo, na Alemanha os jovens emancipam-se muito cedo, por isso não têm este problema. Em França nem existe o conceito. A ideia de um sítio público em que dê para fazer sexo só faz sucesso em países que não são demasiado ricos e com carácter latino.

Consideras-te um especialista em locais públicos adequados para sexo? Podemos dizer que és o maior expert em Espanha.

Claro que sim, alguém tem dúvidas? (risos). Falando a sério, não sou de todo. Teria que, pelo menos, tê-los experimentado a todos para merecer um título desses. Neste país há mais de 12 mil “picaderos”, por isso a pessoa que já tenha experimentado metade é o verdadeiro expert de Espanha.

O "picadero" de Barcelona com mais comentário é esta sala de cinema porno

Se não és um adolescente que recorre a estes locais por necessidade e não frequentas sítios públicos para mandar umas quecas, significa que a cama já te sabe a pouco?

Acho que há três motivos principais para fazer sexo num local público: tens um date mas não tens casa, tens um ou uma amante e não queres que te apanhem, ou andas à procura de um sitio diferente para apimentar a coisa. Todas elas têm um pouco a componente mais macabra, de que te dá mais pica fazer num carro que numa cama. Bem, desde que o tempo o permita, porque um descampado em Burgos em Janeiro não me parece a melhor ideia

No site existe o filtro de dogging ou cruising. Praticas o dogging?

Eu? Há um ano não sabia sequer o que era! Já tenho a minha casinha e passo bem sem essas procuras por sítios e fetiches.

E o que é que te dizem os teus amigos? As típicas piadas de provocação?
Toda a gente à minha volta sabe, apesar de ser algo que tento manter um bocadinho em segredo, porque há muitas pessoas púdicas a quem isto lhes parece uma aberração. A verdade é que os meus amigos e colegas de trabalho têm-me como se fosse um especialista em temas sexuais, mas não sou. Fiz o site, mas podia ter localizado outra coisa qualquer. O que já me aconteceu várias vezes foi, em conversas sobre o site, dizerem-me “Olha! Faltam imensos na minha zona!”, como se eu fosse o culpado. É aí que os incentivo a que os coloquem.

Como é que caracterizas a criação deste site?

Eu só criei uma ferramenta em que as pessoas pudessem partilhar os seus locais íntimos favoritos e outros pudessem encontrá-los, já que não existe outra maneira de conhecer estes sítios. Ou é pelo mispicaderos.com, ou é pelo boca-a-boca de toda a vida. Actualmente, e enquanto não me der despesas, continuarei. E se, por acaso ou graças a este artigo, aparecer um investidor, dedicar-me-ei a melhorá-lo bastante e a expandi-lo para outros países.


Segue a VICE Portugal no Facebook, no Twitter e no Instagram.

Vê mais vídeos, documentários e reportagens em VICE VÍDEO.