Nesse difícil 2018, Criolo quer acreditar no melhor do ser humano
Foto: Larissa Zaidan/VICE
Noisey

Nesse difícil 2018, Criolo quer acreditar no melhor do ser humano

O tema político de seu novo single, "Boca de Lobo", segundo o artista, é mais sobre união do que sobre conflito.

2018 não tem sido fácil para o brasileiro, especialmente no que diz respeito a direitos humanos e política. Além das infelizmente já rotineiras mortes de centenas de jovens periféricos pelo país, simbolizada esse ano pelo caso dos cinco fãs de hip hop de Maricá, tivemos o assassinato trágico de Marielle Franco, o incêndio no Museu Nacional e um clima eleitoral pra lá de violento com a ascensão do polêmico presidenciável Jair Bolsonaro.

Publicidade

Mas nem tudo é tragédia. Os atos das Mulheres Unidas Contra Bolsonaro em diversas cidades do país nesse último sábado (29) foram prova disso, e o trunfo artístico que o clima político tenso proporciona para alguns músicos é outra vitória nessa atmosfera hostil. Um deles é certamente o Criolo, que no domingo (30), dia em que a morte de Marielle completa 200 dias, estreou seu clipe "Boca de Lobo" primeiro no Museu da Imagem e Som, em São Paulo, e depois no YouTube.

A superprodução do clipe, que conta com animais gigantes em 3D, a destruição digital de grandes pontos da cidade de São Paulo e milhares de figurantes, é novidade para Criolo. A primeira imagem que veio à minha cabeça é que o vídeo representava uma visão de um futuro distópico, mas em entrevista na sexta-feira (28), antes da estreia oficial do single, Criolo me contou que "Boca de Lobo", na verdade, se trata de um olhar para o passado. Uma retrospectiva dos últimos anos no Brasil.

"O grande lance disso tudo não é apenas apresentar uma linha do tempo de tantas coisas horríveis que nos foram oferecidas para criar uma sensação de mais tristeza, de mais impotência", explicou o rapper. "A gente quer ampliar diálogo, ou criar um ambiente pra esse diálogo acontecer. É uma linha do tempo que a gente não quer que se repita."

O diretor do clipe, Denis Cisma, conta que a ideia para "Boca de Lobo" surgiu durante um almoço com Criolo, em que eles e o diretor artístico, Pedro Inoue, discutiam ideias sobre a nova música que o artista tinha composto. "Tivemos várias ideias, e essa foi a mais difícil de realizar. Era a mais fora da casa", explica. Inoue complementa: "Depois de [Childish] Gambino, o videoclipe foi reinventado de certa maneira. A política invade, transborda a cultura e as artes. E é claro que isso teria que vir do Criolo, que é um artista com uma liberdade muito grande de entrar na política e que ocupa uma lacuna artística."

Publicidade

Foto: Larissa Zaidan/VICE

Mas "Boca de Lobo" é também um retorno à forma para Criolo, cujo disco mais recente Espiral de Ilusão (2017) flutuava mais em torno do samba e da MPB. Nessa faixa, cuja produção é uma parceria entre Daniel Ganjaman e Nave, ele volta às rimas. "Eu nunca me distanciei do rap, ele está presente em tudo. Essa música aconteceu de nascer um rap, e veio por meio de uma série de sensações e histórias que eu senti e vivi no último ano e meio", fala.

O clipe foi gravado durante duas madrugadas no centro de São Paulo e contou com a participação de uma galera envolvida com movimentos sociais na capital, como a Ocupação 9 de Julho e moradores do Grajaú e Heliópolis. Todos os membros da equipe, inclusive os de pós-produção, participaram do trabalho voluntariamente — Inoue colocou que fizeram "pelo amor, não pelo dinheiro."

Foto: Larissa Zaidan/VICE

Os grandes animais em 3D que chafurdam na lama de Mariana (MG), sobrevoam o Sistema Único de Saúde e desabam prédios em São Paulo, são metáforas, segundo o trio, para o poder que governantes têm abusado desde o início da história do Brasil. "Longe de dizer que todos os políticos são ruins, isso seria falar que o ser humano não tem jeito. O mote do clipe é falar como essas pessoas brincam com o poder que têm somente pra seus interesses pessoais", explica Criolo. "No fundo, cada um com a sua loucura, todos querem estar bem. Agora a pergunta é, a custa de quê? E como? Será que precisa mais uma vez ser assim?"

A mensagem geral de "Boca de Lobo", segundo o rapper, é de otimismo e, por incrível que pareça, fé no melhor do ser humano. "Nós temos total condição e capacidade – já mostramos isso tantas e tantas vezes – de mudar esse cenário que está posto. Chegamos num lugar onde as pessoas estão se dando conta do tamanho da força que alguém mal intencionado pode ter, mas que essa pessoa não é maior que a gente. Nunca foi, nunca vai ser", fala. "No momento que a gente se reunir, eles não terão mais como reclamar que a gente só aponta problemas e não aponta soluções. A nossa geração está mostrando todos os caminhos e soluções."

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.