Sexo

É assim que deves limpar-te antes e depois do sexo

Há tantas formas de manter a higiene como há pessoas no Mundo, mas há coisas que todos devíamos saber.
22.2.19
mãos a mexer em barro
Imagem via utilizador de Flickr Peter Shanks/CC By 2.0. 

Este artigo foi originalmente publicado na VICE Espanha.

Com kleenex, toalhitas húmidas, um bom duche ou uma lavagem no bidé. Existem tantos rituais pós-coito como pessoas no Mundo. Há quem limpe com papel higiénico e depois com água e há até quem, depois de usar preservativo, o limpe, o encha de água, sopre, faça um nó e o deite no contentor amarelo.

Apesar dos padrões standard da limpeza e higiene indicarem que, depois de uma queca, deve haver um mínimo de limpeza, decidimos perguntar a uma especialista qual é a melhor maneira de tratar da higiene depois de termos relações sexuais. Segundo explica Sara Giol, fisioterapeuta especializada em fisiosexologia e pavimento pélvico e professora na Sex Academy, em Barcelona, é mais importante manter uma boa higiene antes de fazer sexo do que depois. "Antes de ter relações devíamos limpar-nos, principalmente os genitais, mãos e boca. A falta de higiene aumenta o risco de infecção", salienta.

Publicidade

Vê: "Apolonia Lapiedra, a maior estrela porno espanhola da actualidade"


Assim, devemos eliminar as bactérias das nossas mãos com água e sabão, para evitar que, durante a masturbação, entrem em contacto com as zonas mais sensíveis. Lavar os dentes, para além de evitar o incómodo de teres mau hálito, também serve para eliminar restos de comida, para que não passem para os genitais. Todavia, o excesso de higiene também pode ser nocivo, principalmente para a vagina. "A obsessão por limpar para que não cheire leva-nos, às vezes, a usar sabonetes que podem ser maus para o organismo. Para lavar os genitais devíamos usar unicamente água", assegura a especialista. E acrescenta: "O excesso de água aplicada prolongado também não é recomendado, porque pode alterar a flora vaginal".

"A vagina tem um PH ácido que ajuda a matar os micróbios que possam entrar. Ainda assim, há pessoas propensas a infecções e, por isso, qualquer especialista em ginecologia recomendaria que façam xixi depois de fazer sexo. Mas, não é o sexo que produz as infecções, tem de haver algum problema por detrás", assegura Sara. E acrescenta: "Por vezes, os problemas do pavimento pélvico aparecem por causas hormonais, por exemplo uma uretra dilatada favorece a entrada de mais bactérias. Urinar é o que vai provocar a expulsão dessas bactérias e a limpeza da tua uretra". O sémen, segundo nos diz, é estéril, pelo que, por mais tempo que fique dentro do nosso organismo não causa absolutamente nada, nenhum dano.

Publicidade

No caso da higiene masculina, é preferível usar água do que as míticas toalhitas. A razão para isto é que, às vezes, podem ficar restos de celulose no prepúcio e provocar irritações. Há toalhitas húmidas que têm álcool e outros produtos químicos que também podem irritar a pele, para além dos problemas ambientais que estes produtos geram. "Por vezes, depois de termos relações sexuais, fica uma espécie de secreção bacteriana protectora, que é esbranquiçada e que oxida com o ar. Esta secreção chama-se esmegma e pode ficar à volta do clitoris ou dentro do prepúcio, podendo chegar a doer", explica Sara. Por isso, recomenda-nos que nos limpemos com água. No caso do pénis, limpar o prepúcio e, na vagina, também com água e passando os dedos entre os lábios para limpar todos os cantinhos. E alerta: "É importante, sobretudo no caso das mulheres, limparem-se de frente para trás e, no caso de relações com penetração anal, não mudar de anal a vaginal sem mudar de preservativo".

No caso de haver penetração vaginal com menstruação, a higiene deve ser feita só com água. Neste caso, devemos ter em conta que é mais simples o contágio de uma DST. Algo que também aumenta o risco é a depilação púbica: o pêlo está lá para proteger, por isso, ao não haver pêlo, o risco é maior. Fazer depilação com lâmina também pode deixar pequenos cortes. Sara também não recomenda nada aquilo que já vimos milhões de vezes em filmes porno, de cuspir para se ficar mais molhada e pronta para a relação. "Do ponto de vista da higiene, se a boca estiver limpa não há problema; a questão é que a saliva não serve como lubrificante pelo seu PH, o da vagina é ácido e o da saliva básico", justifica.

Publicidade

Outro âmbito em que devemos ter cuidado no que toca à higiene e ao sexo, diz respeito aos utensílios sexuais que usamos. "É preciso limpar os brinquedos sexuais, idealmente antes de os usar, para eliminar qualquer tipo de sujidade e, também a seguir à utilização, para que seja mais fácil limpá-los antes de os usarmos a próxima vez", realça a especialista. Isto, com sabonete especial, de preferência comprado na farmácia, para não estragar o silicone.

Para Sara, uma das coisas que é preciso destacar é que não se deve ir a correr fazer uma limpeza logo depois de ter sexo. E há uma explicação cientifica: "Durante a excitação e o orgasmo estamos a segregar dopamina, a hormona do prazer. Depois, segregamos seratonina, a hormona do bem-estar. Se logo a seguir ao orgasmo cortamos este fluxo de seratonina, isso pode provocar problemas a longo prazo e levar a que possamos perder a sensação plena de um orgasmo".

Quando lhe pergunto com que sintomas nos devemos preocupar, explica que, em caso de ardor, mau cheiro ou mudanças de aspecto, tanto de pele como de fluxo, deve consultar-se um especialista. Se, além disso, sentimos algum tipo de dor nos genitais, quer tenha havido ou não penetração, há que recorrer ao centro médico para saber o que, realmente, se passa.


Segue a VICE Portugal no Facebook , no Twitter e no Instagram .

Vê mais vídeos , documentários e reportagens em VICE VÍDEO.